Galeria de craques: veja quem são os maiores ídolos da história nos 100 anos do Cruzeiro
menu button lance
lancelogo lancelogo lance

Galeria de craques: veja quem são os maiores ídolos da história nos 100 anos do Cruzeiro

  •  Niginho(no meio da foto) foi o primeiro grande craque da Raposa. Ele jogou nas décadas de 1920 e 1930, sendo conhecido como o "Carrasco dos Clássicos" em Minas
    Niginho(no meio da foto) foi o primeiro grande craque da Raposa. Ele jogou nas décadas de 1920 e 1930, sendo conhecido como o "Carrasco dos Clássicos" em Minas (Reprodução/Cruzeiro)
  •  Orlando Fantoni foi atacante da Raposa nos anos 1930 e 1940, al[em de treinador pelo clube, vencendo o Mineiro de 1968
    Orlando Fantoni foi atacante da Raposa nos anos 1930 e 1940, além de treinador pelo clube, vencendo o Mineiro de 1968 (Reprodução/Cruzeiro)
  •  Wilson Piazza (ex-jogador da Seleção Brasileira)
    Wilson Piazza venceu tudo que poderia com a Raposa. Libertadores, Taça Brasil, Mineiro e ainda foi Tricampeão na Copa de 1970. Conseguia ser versátil na zaga e como volante.  (Foto: Cruzeiro/Divulgação)
  •  Raul Plassmann - Cruzeiro (Foto: Thiago Fernandes/LANCE!Press)
    Raul Plassmann brilhou dentro do campo, fazendo parte da máquina azul dos anos 1960 e 1970 e inovou ao imortalizar a camisa amarela no seu uniforme.  (Foto: Thiago Fernandes/LANCE!Press) Raul Plassmann - Cruzeiro (Foto: Thiago Fernandes/LANCE!Press)
  •  Tostão no Cruzeiro (Foto: Divulgação)
    Tostão também surgiu nos anos 1960, década que colocou o Cruzeiro de vez no mapa do futebol nacional. É considerado o maior nome do clube na história. (Foto: Divulgação) Tostão no Cruzeiro (Foto: Divulgação)
  •  Dirceu Lopes pelo Cruzeiro
    Dirceu Lopes era o "Príncipe" do Cruzeiro pela elegância em campo e uma dupla perfeita com Tostão. Ainda é lembrado como um camisa 10 extraclasse no futebol mundial.  Reprodução
  •  Natal, o "Diabo Loiro", infernizava as defesas adversárias no timaço dos anos 1960 e início da ´decada de 1970. Fez parte do time que bateu o poderoso Santos de Pelé, em 1966.
    Natal, o "Diabo Loiro", infernizava as defesas adversárias no timaço dos anos 1960 e início da ´decada de 1970. Fez parte do time que bateu o poderoso Santos de Pelé, em 1966. (Arquivo/Cruzeiro)
  •  Procópio Cardoso Neto (Foto: Blog Cruzeiro Online)
    Procópio Cardoso era um zagueiro viril e firme, que dava a "dose de força" no refinado Cruzeiro dos anos 1960. (Foto: Blog Cruzeiro Online) Procópio Cardoso Neto (Foto: Blog Cruzeiro Online)
  •  Zé Carlos ex jogador
    Zé Carlos era um "motorzinho" do time azul. Fez parte de duas eras vencedoras, de Dirceu Lopes, Tostão e Cia, e da equipe que venceu a Libertadores de 1976. (Foto: Divulgação/Cruzeiro)
  •  Liderado por Nelinho, o Cruzeiro superou o River Plate na final da Copa Libertadores de 1976
    Nelinho tinha o chute mais forte do futebol mundial nos anos 1970, a ponto de colocar a bola para fora do Mineirão. Foi o maior lateral-direito da história da Raposa.  (Foto: Daniel Caselli/AFP)
  •  Palhinha - Cruzeiro
    Palhinha é ainda o maior artilheiro do Cruzeiro em uma Libertadores. Ele foi às redes 13 vezes na conquista de 1976. (Foto: Divulgação)
  •  River Plate 3x2 Cruzeiro (1976) - Joãozinho
    O "Bailarino" Joãozinho nasceu para o drible a ainda era um "ireesponsável" do bem. Foi dele o gol que deu a Libertadores de 1976 na vitória sobre o River Plate por  3x2 em uma cobrança de falta que deveria ser feita por Nelinho. (Foto: Reprodução/Internet)
  •  Ademir foi ídolo em uma época de "vacas magras" nos anos 1980. Foi vital em jornadas pela Supercopa da Libertadores de 1988 e no bicampeonato de 1991 e 1992
    Ademir foi ídolo em uma época de "vacas magras" nos anos 1980. Foi vital em jornadas pela Supercopa da Libertadores de 1988 e no bicampeonato de 1991 e 1992 (Arquivo/Cruzeiro)
  •  Douglas era outro volante que fez história nas edições da Supercopa da Libertadores pela Raposa
    Douglas era outro volante que fez história nas edições da Supercopa da Libertadores pela Raposa (Arquivo/Cruzeiro)
  •  Vencedor e considerado o maior lateral-esquerdo do clube, mesmo sendo destro, Nonato venceu muitos títulos memoráveis com a Raposa, como a Copa do Brasil de 1996
    Vencedor e considerado o maior lateral-esquerdo do clube, mesmo sendo destro, Nonato venceu muitos títulos memoráveis com a Raposa, como a Copa do Brasil de 1996 (Arquivo/Cruzeiro)
  •  Marco Antônio Boiadeiro - Cruzeiro
    Marco Antônio Boiadeiro  deu seu toque de classe ao meio de campo do Cruzeiro nos anos 1990, com direito a música feita para ele. "Boi, Boi, Boi, Boiadeiro, vê se faz um gol pra torcida do Cruzeiro". (Foto: Reprodução)
  •  1996 -Herói: Marcelo Ramos e Roberto Gaúcho (Cruzeiro)
    Heróis: Marcelo Ramos e Roberto Gaúcho formaram dupla vencedora, mas cada um teve sua parcela grande no centenário do Cruzeiro com direito a Copa do Brasil e Libertadores da América pelo clube.  (Foto: Reprodução)
  •  Ricardinho (ex-volante, pelo Cruzeiro)
    Ricardinho é o maior vencedor de títulos na história da Raposa com 15 troféus pelo clube azul. O ex-volante ainda é reverenciado pela torcida. (Foto: Antonio David Farina/Arquivo Lance!)
  •  O segundo Palhinha a aparecer no Cruzeiro também foi vencedor. Levou a Raposa ao segundo título da Libertadores, entre outras conquistas, com seu futebol refinado no meio de campo.
    O segundo Palhinha a aparecer no Cruzeiro também foi vencedor. Levou a Raposa ao segundo título da Libertadores, entre outras conquistas, com seu futebol refinado no meio de campo. (Arquivo/Cruzeiro)
  •  VA GOLEIROS - Dida, Cruzeiro
    Dida chegou ao  Cruzeiro em 1994. Fora dos campos, era calado e tímido. Dentro, virava um gigante, tendo jornadas memoráveis com a camisa celeste, garantindo títulos com suas defesas.  (foto:Divulgação)
  •  Roberto Perfumo - Cruzeiro
    Roberto Perfumo  foi um dos primeiros grandes ídolos estrangeiros do Cruzeiro. Fez história no clube anos 1970.  (Foto: Twitter/Cruzeiro)
  •  Luisão é cria da base celeste e fez parte do time que venceu a Tríplice Coroa, em 2003
    Luisão é cria da base celeste e fez parte do time que venceu a Tríplice Coroa, em 2003 (Cruzeiro/Arquivo)
  •  Sorín, ex-jogador do Cruzeiro (Reprodução)
    Sorín, trouxe a raça argentina para o Cruzeiro e conquistou o torcedor com energia em campo e amor pelo clube.  (Reprodução) Sorín, ex-jogador do Cruzeiro (Reprodução)
  •  2000 - Herói: Giovanni (Cruzeiro)
    Herói da Copa do Brasil de 200, Giovanni é lembrado por um dos gols mais emocionantes na história da Raposa.  (Foto: Arquivo)
  •  2003 - Alex conduziu o Cruzeiro ao título da Copa do Brasil. Tríplice Coroa da Raposa
    Alex conduziu o Cruzeiro aos título da Copa do Brasil, Mineiro e Brasileiro de 2003, a Tríplice Coroa. Foi o maestro da equiupe naquele ano mágico.  (Foto: Ari Ferreira/Lancepress!)
  •  Fábio comentou que é um ano de união de todos no clube para que a Raposa volte à Série A do Brasileiro
    Fábio é o jogador com mais partidas pelo Cruzeiro nos seus 100 anos. Em 2021, pode chegar  1000  jogos com a camisa celeste. Além de duelos memoráveis, conquistou a torcida com títulos e dedicação dentro e fora de campo ao clube.  (Bruno Haddad/Cruzeiro)
Valinor Conteúdo - 02/01/2021 - 03:28
Belo Horizonte
As páginas imortais do Cruzeiro Esporte Clube teve diversos craques e ídolos que ajudaram a construir os 100 anos o clube azul, completados neste 2 de janeiro de 2021. Selecionamos nomes de todos os tempos que estão no panteão de lendas da Raposa. Veja os nomes na galeria acima.

CONFIRA A CLASSIFICAÇÃO DA SÉRIE B DO BRASILEIRO


E MAIS:
Facebook Lance Twitter Lance