Sette Câmara dá bronca em Nathan, mas diz que métodos de Dudamel no Atlético-MG 'pareciam do exército'
menu button lance
lancelogo lancelogo lance

Sette Câmara dá bronca em Nathan, mas diz que métodos de Dudamel no Atlético-MG 'pareciam do exército'

Sérgio Sette Câmara - Presidente do Atlético-MG
O presidente alvinegro repreeendeu Nathan pelas declarações sobre Dudamel, mas também criticou o treinador venezuelano-(Foto: Bruno Cantini / Atlético-MG)
Valinor Conteúdo - 13/04/2020 - 15:40
Belo Horizonte
A intensa troca de declarações nada elogiosas entre o meia Nathan e o ex-técnico do Atlético-MG, Rafael Dudamel, ainda repercutem no futebol mineiro. O jogador criticou os métodos do venezuelano, que ficou apenas 52 dias no alvinegro. Em resposta, Dudamel chamou as falas de Nathan de covardes e disse que tinha o aval do presidente Sérgio Sette Câmara para sua metodologia de trabalho.

Sette Câmara se posicionou e falou sobre a desavença entre o jogador, o técnico e ainda como ele via o trabalho do ex-funcionário, demitido no fim de fevereiro após 10 jogos no comando do Galo.

O presidente do Atlético disse que a demissão de Dudamel foi por incompetência técnica, na sua visão, e não concordava com a disciplina imposta ao elenco, que considerava exagerada.

-Senti que queria colocar regras rígidas demais, criando regras onde não havia necessidade. Parecia coisa de exército, não é bem por aí. Jogador já é profissional, ele tinha é que deixar o time preparado- disse o mandatário do Atlético à Rádio Itatiaia.

Sette Câmara também falou sobre não ter procurado mais o treinador após sua demissão, uma questão levantada por Dudamel. Ele explicou que não se reuniu com Dudamel porque não deveria perder tempo com quem já não estava mais no clube, tendo como foco renovar o departamento de futebol alvinegro, com as contratações de Jorge Sampaoli para comandar o time e de Alexandre Mattos, que assumiu a diretoria de futebol no lugar de Rui Costa.


E MAIS:
- Na verdade, é o seguinte: o Dudamel foi demitido por incompetência técnica. Não tem que ficar falando muito. Eu vi que ele reclamou, que eu não teria me reunido com ele. Eu tenho pouco tempo para colocar de pé aquilo que, efetivamente, não estava. Quando ele chegou, não conseguiu abraçar o elenco. Senti que queria colocar regras rígidas demais, criando regras onde não havia necessidade. E deixou de aplicar algum tipo de prática ligada ao futebol. Quer dizer, deixar o time mais bem preparado em detrimento de regras inaplicáveis a jogadores de futebol. “Jogador tem que acordar a tal hora. Tomar café a tal hora, etc”. Parecia coisa de exército, não é bem por aí. Jogador já é profissional, tinha que deixar o time preparado, implementar esquema de jogo. Isso não aconteceu- explicou.

Sette Câmara foi além e não demonstrou que teria qualquer obrigação de atender ou falar com Dudamel após sua saída do cargo, pois na visão do presidente do Galo, o clube tem de fazer o acerto do que lhe deve pela quebra de contrato.

O Atlético-MG e Dudamel demoraram a acertar a forma de pagamento da multa e o treinador ainda nem teve seu o fim do vínculo oficialmente reconhecido pela CBF. Seu contrato ainda consta no BID(Boletim Informativo Diário) da entidade.

-Não tem que dar satisfação para ele. Temos que pagar o que devemos a ele, dentro de um acordo que foi feito. E pronto e acabou. A vida é essa. Não tem que atirar para todo lado- disse.

Bronca em Nathan

Depois que o meia-atacante Nathan se posicionou publicamente contra os métodos de Dudamel, Sérgio Sette Câmara o repreendeu pelas falas.

- No caso do Nathan, acho que ele deveria ficar quieto, não tinha que ter feito esse tipo de comentário. Se ele achasse isso tudo do treinador, deveria ter falado para ele na época, e não depois. Mas isso a gente conversará com o jogador, com calma, internamente-disse.



E MAIS:
Facebook Lance Twitter Lance