Guia do Gauchão 2019: Análise dos times, regulamento e muito mais
menu button lance
lancelogo lancelogo lance

Guia do Gauchão 2019: Análise dos times, regulamento e muito mais

S11 Campo Pro, da Penalty, será a bola do Gauchão 2019
Foto: Reprodução/Penalty
Futebol Latino - 18/01/2019 - 09:10
No próximo sábado (19), à partir das 19 h, começará a 99ª edição do Campeonato Gaúcho. Assim como ocorreu na edição passada, 12 times jogarão na elite do estado, sendo eles esse ano Aimoré, Avenida, Brasil de Pelotas, Caxias, Grêmio, Internacional, Juventude, Novo Hamburgo, Pelotas, São José, São Luiz e Veranópolis.

Apesar da reconhecida força histórica e financeira de Grêmio e Inter, os times do interior buscam sempre quebrar a hegemonia dos grandes se valendo da força e, porque não, resgatando a boa e velha "peleia" gaúcha.

E MAIS:
REGULAMENTO

O torneio será disputado em duas fases sendo a primeira delas composta por 11 rodadas no sistema de todos contra todos onde os oito primeiros vão a segunda fase e os dois últimos serão rebaixados a segunda divisão do Gauchão. No ano passado, Cruzeiro-RS e São Paulo-RS foram aqueles que caíram para darem lugar a Aimoré e Pelotas.

Na segunda fase, a competição entra na fase eliminatória onde o primeiro colocado enfrenta o oitavo da classificação na primeira fase em duas partidas e a sequência segue: 2° x 7°, 3° x 6° e 4° x 5°. O mando de campo do segundo jogo será da equipe de melhor campanha.

Na sequência, disputa-se as semifinais e a decisão sendo que, para fim de mando de campo, a campanha cumulativa segue valendo. Ou seja, dependendo do desempenho já no mata-mata, os mandos de campo de uma etapa para outra podem se inverter no que estava previsto da primeira fase.

Além do campeão do Gauchão, o torneio também premia o vencedor do interior para aquele de melhor pontuação excluindo a dupla GreNal. Serão três vagas para a Copa do Brasil 2020 aos três primeiros da classificação geral que não tem vaga por outros critérios assim como o quarto colocado sem divisão nacional estará classificado para a Série D do Brasileirão 2020.

E MAIS:
GRÊMIO E A ESPINHA DORSAL CONSERVADA

Muito bem sucedido há pelo menos dois anos no que se refere a desempenho e resultados se traduzindo em títulos, o Tricolor conseguiu em 2018 o alívio da quebra de jejum no estadual e, como atual campeão, vem apostando na manutenção de peças importantes no elenco com adições pontuais como elemento principal.

Pensando na equipe que terminou a temporada de 2018, a grande perda do plantel gremista foi a saída do arqueiro Marcelo Grohe rumo ao Al Ittihad-ARA. Até mesmo pensando nisso, o clube foi ao mercado e acertou a chegada de Julio César, ex-Fluminense. Assim como a saída de Cícero, que não chegou a um acordo de renovação, e foi sucedido por Rômulo que chega via empréstimo do Flamengo.

Para preencher outros espaços considerados como lacunas do plantel, já chegaram também o meia argentino Walter Montoya além do centroavante Felipe Vizeu.

INTERNACIONAL E O SENTIMENTO DE AFIRMAÇÃO

Se o pensamento no Inter em 2018 era de recuperar seu prestígio em um ano que marcava a volta a elite do Brasileirão, a análise feita no Beira-Rio pensando na temporada 2019 é de afirmação. De consolidar um processo tocado positivamente e carregado de elogios pela diretoria e também por Odair Hellmann.

Em relação as mudanças de elenco, a perda de Leandro Damião para o Kawasaki Frontale-JAP pode ser considerada a mais sentida dentro do plantel. Algo que foi preenchido com a chegada do ídolo Rafael Sobis e, caso se confirme em caráter oficial, incrementada com a chegada do colombiano Tréllez via empréstimo do São Paulo. 

Por sua vez, as aquisições para deixar o plantel mais encorpado não foram poucas, já que seis atletas foram oficialmente adicionados: O lateral-direito Bruno, os meio-campistas Matheus Galdezani (lesão no joelho no dia da apresentação) e Rodrigo Lindoso além dos atacantes Guilherme Parede, Guilherme Parede e o já citado Sobis.


E MAIS:
AS FORÇAS DO INTERIOR

Muito mais pelo aspecto da tradição histórica do que propriamente contando com condição financeira favorável, Brasil de Pelotas, Caxias, Juventude e o Pelotas se apresentam como os clubes de mais potencial para atrapalharem a vida da dupla capitalina.

E, mesmo assim, essas equipes passaram por uma remontagem quase que completa dos seus elencos por desempenhos ruins no segundo semestre de 2018 ou mesmo porque tiveram ausência de partidas em boa parte do ano.

Algumas caras conhecidas do grande público que disputarão o Gauchão 2019:

Ademir Sopa e Marcão: O volante aos 39 anos de idade ex-São Caetano, Portuguesa e Guarani além do centroavante ex-Atlético-PR, Bahia e Goiás reforçam com bastante experiência o São Luiz.

Bolivar, Fred e Neuton: Enquanto o lendário zagueiro do Inter campeão do mundo será o treinador do Novo Hamburgo, o defensor ex-Grêmio, Goiás e Vitória além do lateral revelado na base do Tricolor também reforçam o Noia.

Braian Rodríguez: O uruguaio com passagem apagada pelo Grêmio em 2016 foi recentemente apresentado pelo Juventude.

Bruno Aguiar e Boquita: O zagueiro com passagens por Santos e Guarani além do volante revelado no Corinthians defenderão o Brasil de Pelotas.

Gustavo Xuxa: Meia ex-Mirassol e São Caetano jogará pelo Aimoré.

Julio Santa Cruz: Nesse caso, o seu irmão é a figura conhecida. Isso porque Julio, contratado para ser o matador do Pelotas, é irmão de Roque Santa Cruz, lendário atacante paraguaio revelado pelo Olimpia que rodou por grandes clubes da Europa.

Léo Jaime: Após incontáveis temporadas no Bragantino, o meia disputará o Gauchão pelo Caxias.

Facebook Lance Twitter Lance