Base do Fla virou prioridade, venceu e estava a dias de deixar os containers
menu button lance
lancelogo lancelogo lance

Base do Fla virou prioridade, venceu e estava a dias de deixar os containers

Incêndio Ninho do Urubu
Jovem lamenta o ocorrido na frente do Ninho do Urubu, na manhã de sexta-feira (Foto: Adriano Fontes/ AMPress)
Alexandre Araújo e Matheus Dantas - 09/02/2019 - 06:00
Rio de Janeiro (RJ)
A mudança definitiva das categorias de base dos containers - atingidos por um incêndio que vitimou 10 atletas na madrugada de sexta-feira - para o módulo utilizado pelo time profissional até duas semanas atrás estava prevista para os próximos dias. Nos últimos anos, a formação dos jovens tornou-se prioridade no clube e as divisões de base venceram muito antes de sofrer um duro golpe - o mais duro dos 123 anos de história do Clube de Regatas do Flamengo.

Afinal, os jovens tiveram grandes conquistas, muitos deram o retorno técnico esperado entre os profissionais e o clube, a partir de 2019, passaria a oferecer uma nova estrutura aos jovens. As autoridades irão investigar as causas e consequência do incêndio e contam com o apoio do Flamengo, que, nestes primeiros momentos, voltou suas atenções para os familiares das vítimas.


E MAIS:
CAPACIDADE E ESTRUTURA FÍSICA

Com a inauguração do módulo do CT que atende os profissionais desde o fim de janeiro, as categorias de base estavam prestes a ter à disposição a estrutura utilizada pelo time principal nas últimas temporadas, o "módulo 1", que conta com academia moderna, auditória, refeitório, piscinas e departamento médico.

O número de leitos também crescerá consideravelmente. Em 2013, eram 28 leitos. Atualmente, a estrutura provisória abrigava até 62 atletas. No novo módulo, o Flamengo terá a capacidade de residir até 88 jogadores no Ninho do Urubu, onde funciona uma escola que atende 64 alunos com uma metodologia visando a conciliação dos estudos com a rotina de partidas e treinamentos.


AS DIVISÕES DE BASE DO FLAMENGO

Os investimentos nas divisões de base passaram de R$ 8,29 milhões, em 2014, para R$ 19,67 milhões em 2018, segundo um relatório divulgado em dezembro, ainda na gestão de Eduardo Bandeira de Mello. O mandatário citava o trabalho desenvolvido - e o legado - nas categorias como o motivo de maior orgulho de sua gestão. Bandeira presidiu o clube por dois mandatos, entre 2013 e 2018.

O departamento de captação foi um dos que mais cresceu. O Flamengo, hoje, conta com nove observadores técnicos espalhados pelo Brasil. Em 2015, eram dois no Rio de Janeiro, diz o relatório. O maior poder de captação e avaliação resultou no crescimento de atletas aprovados nas categorias de base: 127 entre janeiro e agosto de 2018. Nos anos anteriores, o número não passou de 80.

HISTÓRICO DE CONQUISTAS RECENTES

A função da base é a formação de atletas aptos a defenderem o time principal. Os títulos, contudo, têm sua importância e ajudam a avaliar se o caminho trilhado é o correto. Nas últimas temporadas. o Flamengo alcançou resultados expressivos. Por exemplo, chegou em 37 finais dos 61 campeonatos estaduais disputados nas categorias Sub-13 a Sub-20. Foram 24 títulos conquistados.

No âmbito nacional, os garotos do Flamengo chegaram em nove finais entre 2014 e 2018. Os resultados mais expressivos foram da equipe Sub-20, que conquistou a Copa SP de Futebol Júnior em 2016 e 2018. Além da Copa do Brasil deste ano, o time Sub-17 chegou às finais da Taça BH em 2015 e 2017.

Na atual temporada, a participação na Copa SP de Futebol Júnior foi frustrante, com a equipe caindo na segunda fase do torneio, ao perder para o Figueirense.

BONS NÚMEROS NO ELENCO PRINCIPAL E SELEÇÕES

Na campanha eleitoral de seu primeiro mandato, uma das promessas de Eduardo Bandeira de Mello era ter 50% do elenco profissional formado por atletas oriundos das categorias de base. O percentual não foi atingido - hoje, são 13 crias da Gávea entre os 32 nomes listados no site na página do elenco -, mas nomes importantes do elenco nos últimos anos foram formados em casa: Lucas Paquetá, Vinicius Júnior, Léo Duarte, Jorge, Ainda há outros que estão buscando maiores oportunidades, como Thuler, Lincoln, Kleber e Jean Lucas.

O número de atletas do Flamengo convocados para as seleções de base também cresceu nos últimos anos. De 15 em 2016 passou para 22 em 2018. Em 2019, foram três atletas convocados para o Sul-Americana Sub-20 (Hugo, Thuler e Lincoln) e outros três crias da Gávea (Gabriel Noga, Daniel Cabral e Reinier) na lista de 26 convocados para a Sub-17: três serão cortados para a lista final do Sul-Americano da categoria que será realizado em março, no Peru.

Facebook Lance Twitter Lance