Correntes políticas se unem no Vasco e Eurico diz: 'Pacificação histórica'
menu button lance
lancelogo lancelogo lance

Correntes políticas se unem no Vasco e Eurico diz: 'Pacificação histórica'

Vasco
Líderes políticos do Vasco se reuniram em coletiva no início da tarde desta segunda (David Nascimento/LANCE!Press)
David Nascimento - 08/10/2018 - 15:12
Rio de Janeiro (RJ)
Esta segunda-feira foi considerada histórica por muitos nomes importantes da história do Vasco. Presidente do Conselho de Beneméritos, Eurico Miranda, ao lado do presidente interino do clube Alexandre Campello e outros beneméritos e grandes beneméritos - Luiz Manuel, Sonia Andrade, Edmilson Valentim, Roberto Monteiro, Silvio Godoy, Olavo Monteiro de Carvalho, José Carlos Osório, Sérgio Frias, Eloi Ferreira, Peralta, João Nóbrega, Denis Carrega, José Luís Moreira e Jorge Salgado -, membros de diversas correntes políticas do clube, se uniram em prol de uma pacificação no clube. Além desta união, foi ratificado o fato de serem contra a decisão judicial que anulou a última eleição do clube, marcando nova para dezembro.

- Isso é um sonho que está se tornando realidade. Eu só quero dizer que sou apenas um dos que está dentro dessa pacificação. Para mim, é o dia da maior importância. Eu acho que conseguimos passar o nosso real objetivo, mostrar que estamos pacificados internamente e que vamos pacificar na Justiça também. Hoje é um dia histórico para o Vasco. Nós temos aqui reunidos com o Vasco absolutamente pacificado. Estou aqui com as grandes lideranças do Vasco demonstrando que o clube está pacificado. Estou aqui como presidente do Conselho de Beneméritos participando dessa pacificação. O objetivo hoje, claro, é dar uma demonstração de que o Vasco está pacificado internamente. E agora vamos tentar pacificar na Justiça - afirmou Eurico Miranda, sendo ratificado por Alexandre Campello:

- Como foi dito pelo Eurico Miranda, hoje é um dia histórico no Vasco. Ouço há mais de 30 anos que o Vasco unido seria ainda maior, mas não imaginava que fosse presenciar um dia como esse. Essa pacificação vem em um momento de grande dificuldade do clube. E o Vasco é caracterizado por se unir diante das adversidades. Foi assim na construção do estádio, foi assim quando aceitamos os negros e operários. E está sendo assim nos dias de hoje. Dias em que o Vasco está vivendo enormes dificuldades, abismo, e tendo oportunidade de virar essa chave. É importante que as pessoas se dispam das suas vaidades. Para o Vasco era fundamental deixar as diferenças de lado. O que eu quero fazer aqui é proclamar a todos esses que ainda não se uniram que se dispam também da vaidade. Que possamos juntos fazer o futuro do clube. E que se encerre essa briga judicial, para que os problemas sejam discutidos dentro do clube.

E MAIS:
Não houveram representantes do grupo "Sempre Vasco", liderado pelo conselheiro interino Julio Brant, presentes na reunião. Alexandre Campello deixou em aberta a possibilidade de conversa. Há recursos em segunda instância na Justiça contra a decisão liminar, a serem julgados pela desembargadora Márcia Ferreira Alvarenga, da 17ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, responsável no início do ano por invalidar a urna 7.

DECLARAÇÕES DOS DEMAIS BENEMÉRITOS NA COLETIVA

Olavo: "Temos de servir de exemplo para todos aqui no Vasco se unam, sem nada político. Temos de trabalhar e pensar no grande"

Godoy: "Chance de salvar o Vasco de uma situação triste. Vamos nos unir"

Roberto Monteiro: "A decisão da Justiça chega em um momento ruim para o Vasco. É um momento muito delicado. Nos unimos. Vamos unir forças contra esta decisão que pode levar o Vasco para a segunda divisão. Os problemas do Vasco têm de se resolvidos dentro do Vasco"

Luis Fernandes: "As lideranças do Vasco aqui reunidas estavam na última eleição em diferentes chapas. Temos de destacar. A decisão pode inviabilizar o clube e principalmente o futebol que quer evitar o rebaixamento no Brasileiro. A antecipação da eleição paralisa a administração e pode gerar a qualquer chapa vencedora administrar um clube rebaixado"

José Luís Moreira: "Peço para os vascaínos deixarem a vaidade de lado para irmos em um caminho só: tirar o Vasco desta situação"

Jorge Salgado: "Nossa situação é gravíssima. Estamos passando por dificuldades financeiras. A liminar da juíza veio em hora imprópria"

Sonia Andrade: "Eu vou dirigir minha fala para a Justiça. A decisão sem contraditório me deixa preocupada. Isso gera a insegurança jurídica. Imaginem as pessoas que vão ficar sem salário? Pessoas que têm a responsabilidade de alimentar outras pessoas?"

Sérgio Frias: "É um momento histórico com várias frentes políticas reunidas na mesa. De fato temos de nos unir"

Denis Carrega: "Todas as vezes que o Vasco precisou dos vascaínos nós nos unimos. É a hora de se unir e pensar só no clube"

Eloi: "O Vasco nunca fugiu dos desafios. Este momento é histórico. O Judiciário vendo todas as forças políticas hoje aqui irá reformar a decisão"

João Nóbrega: "Este momento é de união para o Vasco"

OUTROS TÓPICOS TRATADOS POR ALEXANDRE CAMPELLO NA COLETIVA

- sobre se balanço entregue por Eurico Miranda na semana passada terá validade ou será mantido o feito pela atual gestão:
"Estamos aqui para falar da pacificação, conseguir uma mediação, um equilíbrio dessas vontades dos mais variados grupos. Essa questão é uma questão do Conselho Fiscal e não cabe mais a Diretoria Administrativa"

- sobre efeitos da decisão liminar:
"Como vocês já devem ter visto, na decisão liminar a juíza coloca que todos os atos dessa gestão poderão ser ratificados ou não, por quem for eleito e assumir a partir de dezembro. Então, a partir desse momento ninguém assina qualquer contrato com o Vasco. Nós demonstramos anteriormente que existia uma programação financeira e que necessitávamos esse empréstimo para concluir 2018. Com a decisão do Conselho de postergar, hoje o clube não tem recursos para chegar a dezembro"

- sobre planejamento para 2019 com a decisão liminar:
"Naturalmente, já se começa a pensar 2019. Em menos de um mês, você já tem de pensar 2019. Quem renova com o Vasco? Quem não renova? Como traz novos jogadores, se não existe legitimidade nos seus atos? Eu tenho definido essa pacificação desde o início, mas ela não seria possível se não tivesse boa vontade de todos. Acho que essa dificuldade que nos uniu. A situação caótica foi o ponto de partida. A ação do Eurico foi fundamental"

- sobre busca por outras alternativas financeiras:
"Não estamos parados, trabalhando para procurar alternativas, embora com muitas dificuldades. Com certeza, a direção está trabalhando muito para que o futebol continue funcionando com salários em dia e todas as condições. Essa é uma mensagem para todos os vascaínos, inclusive para a Sempre Vasco. Volto a dizer: esse é o momento em que precisamos colocar o Vasco em primeiro plano e estamos abertos a conversar"

> Assista a seguir o grito de "Casaca" que encerrou a coletiva na Lagoa!

Facebook Lance Twitter Lance