Preparo físico volta à pauta no São Paulo; Cuca vê falta de ritmo de jogo
menu button lance
lancelogo lancelogo lance

Preparo físico volta à pauta no São Paulo; Cuca vê falta de ritmo de jogo

São Paulo x Palmeiras - Cuca
Cuca entende que time evoluiu fisicamente, mas ainda vê falta de ritmo de jogo (Foto: Marcello Zambrana)
Alexandre Guariglia - 16/07/2019 - 07:00
São Paulo (SP)
Pouco antes da pausa para a Copa América, era consenso dentro e fora do São Paulo que um dos aspectos que precisavam ser corrigidos no período era a preparação física do time. Dessa forma, os treinamentos dessas últimas semanas sem jogos foram com enfoque no condicionamento físico dos atletas, que vinham sendo elogiados pela comissão técnica. No entanto, foi só ter a primeira partida oficial para essa problema voltar a assombrar o Morumbi.

Contra o Palmeiras, após um início de muita intensidade, que culminou na abertura do placar por parte do Tricolor, parecia que aquele ritmo se manteria durante os 90 minutos, mas antes mesmo da metade da segunda etapa já foi possível notar a diferença entre as duas equipes na questão física. O rival dominou o segundo tempo, e o torcedor via suas principais peças já sem condições de competir, casos de Hernanes e Pato, que saíram exaustos.

Ambos, que não tiveram uma pré-temporada adequada no início do ano, eram vistos como alguns dos mais beneficiados com a pausa neste período da temporada, tanto nos aspectos de treinamento, quanto nos de recuperação. No entanto, a partida do último sábado mostrou que ainda há algo a ser ajustado, principalmente por serem dois dos principais jogadores do elenco. Naquela altura, já sem Pablo, o time sentiu demais e foi dominado.



E MAIS:
Ao ser questionado na entrevista coletiva após o clássico, Cuca disse ter visto evolução em relação ao que pegou quando chegou ao clube. Para ele, não havia como trabalhar esse problema antes de estabelecer um equilíbrio físico no elenco, e o que faltou contra o Palmeiras foi ritmo de jogo, ajuste que a comissão técnica enxerga como necessário neste momento.

- Na questão física eu acho que nós evoluímos, porque no primeiro semestre, por diversos fatores, por já ter jogado um torneio nos EUA, ter jogadores que estavam voltando de lesão, da seleção sub-23, ou seja, você não tinha o equilíbrio, não tinha como trabalhar esse equilíbrio. Hoje eu acho que tivemos uma condição melhor e falta o natural que é o ritmo de jogo, tão importante quanto o condicionamento. Esse ritmo de jogo a gente vai buscar gradativamente, sem dúvida vai melhorar, mas eu acho que hoje deu para ver um São Paulo forte e apenas lamentar o resultado - declarou o comandante.

Após o jogo, no estádio e nas redes sociais, torcedores criticaram essa deficiência da equipe, que já foi vista em outros jogos durante a temporada, em que o São Paulo era dominado pelo adversário, não conseguia ampliar ou abrir o placar e ficava no sufoco para segurar o resultado, sem importar o nível de qualidade dos que estavam do outro lado do campo. No momento, o Tricolor tem o pior ataque do país com apenas 26 gols em 32 partidas oficiais.

Facebook Lance Twitter Lance