Sobe e desce: veja quem foi bem e quem ficou devendo no Vasco até aqui
menu button lance
lancelogo lancelogo lance

Sobe e desce: veja quem foi bem e quem ficou devendo no Vasco até aqui

Vasco - Capa Galeria
Vasco ainda não teve atuações de qualidade ao longo da temporada (Foto: Rafael Ribeiro/Vasco)
Felippe Rocha - 20/03/2020 - 06:00
Rio de Janeiro (RJ)
A pausa no futebol mundo afora se dá por motivos de força maior com a pandemia de coronavírus, mas este mesmo LANCE! já havia dito que ela poderia ser, por algumas razões, benéfica para o Vasco. Um dos motivos é o momento técnico de parte do elenco que vinha sendo comandado por Abel Braga. O treinador entrou em um acordo com o clube para deixar o comando e um novo nome chegará a São Januário com algumas missões claras: uma é elevar e equilibrar o nível dos jogadores.

QUEM SE DESTACOU: 

Leandro Castan:
O capitão vive momento de ótima forma física, mesmo aos 33 anos. Disputou 11 dos 14 jogos do Vasco até aqui - média alta para quem era constantemente poupado em temporadas anteriores - e segue liderando a defesa, tecnicamente, e o elenco todo pelas características fora das quatro linhas.

Henrique:
Embora constantemente criticado pela torcida, foi dos jogadores mais acionados ofensivamente no período sob as ordens de Abel Braga. Com Ramon ainda ausente por questões físicas, o titular não deu brecha para Alexandre que, quando teve chance, não correspondeu.



Andrey:
Inconstante nas últimas temporadas, o segundo volante de origem se tornou primeiro volante com o último treinador e foi o principal jogador do meio-campo. Responsável pela saída de bola, também mostrou evolução no poder de marcação. É o grande destaque do Cruz-Maltino em 2020.

Germán Cano:
Contratado para ser o homem-gol vascaíno, tem justificado a titularidade e os valores nele investidos. Em 11 partidas até aqui, o argentino marcou cinco gols, inclusive garantiu classificações e consequentes aportes financeiros ao clube.

E MAIS:
QUEM ESTÁ DEVENDO:

Yago Pikachu:
Viveu, neste início de ano, o pior período com a camisa do Vasco, provavelmente. Lateral com Abel, era responsável por conduzir a bola rumo ao setor central e tentava ajudar na construção de jogadas. Não esteve bem nesta função, contudo, cometendo erros incomuns.

Raul:
Após viver seu auge sob as ordens de Vanderlei Luxemburgo e sonhar até com a Seleção Brasileira, não conseguiu, até agora, dar sequência. Justiça seja feita, no ano passado a exigência era mais física, enquanto em 2020 tem lhe sido exigido maior capacidade criativa.

Marrony:
Atacante que é, ainda não conseguiu marcar o primeiro gol na temporada, apenas um contra, no duelo com o Altos (PI), pela Copa do Brasil. Todo o setor no Vasco vive uma crise (são oito gols marcados, média de 0,57 por partida), mas o jogador de 21 anos não conseguiu render de forma efetiva nem pela direita, nem se aproximando de Cano, nem pela esquerda, para onde retornou após a fratura de Talles Magno.

SINAL AMARELO:

Merecem atenção Fernando Miguel, Fredy Guarín e Werley. O goleiro foi pouco exigido, mas titubeou na saída debaixo das traves no momento do gol do Goiás, o que acabou sendo decisivo para a derrota em São Januário, pela Copa do Brasil. Já o volante, de quem tanto se espera, ainda não conseguiu fazer mais do que um jogo animador contra o ABC, da quarta divisão nacional, em partida pela Copa do Brasil. Ele jogou pouco: esteve em campo em três ocasiões, mas parece demorar parece carecer de mais tempo que os demais para encontrar o melhor ritmo.

O caso do zagueiro é o que menos preocupa. Apesar de a torcida ainda não confiar no jogador de forma plena, Werley comprometeu pouco até o momento, e vem mostrando entrosamento com Castan.

O Vasco segue com atividades paralisadas por conta da pandemia de coronavírus. O clube adota cautela pelo novo treinador, que substituirá o demitido Abel Braga.

Facebook Lance Twitter Lance