Filme repetido: boa atuação vale pouco para um Vasco desesperado e com defesa sempre vazada

Filme repetido: boa atuação vale pouco para um Vasco desesperado e com defesa sempre vazada

Vasco x Cruzeiro
Ricardo Graça foi titular novamente. Ele quem tem formado a dupla com Leandro Castan (Foto: Rafael Ribeiro/Vasco)
Felippe Rocha - 20/09/2021 - 11:00
Rio de Janeiro (RJ)
O goleiro Fábio fez uma grande partida. Pelo menos três defesas importantes que impediram o Vasco de ampliar o placar que construía. Teve também o gol de Daniel Amorim, anulado, o que causou muitas reclamações do Cruz-Malitino. Mas tudo isso é circunstância do jogo. O que não é nada natural é a defesa falhar. De novo. Voltamos a falar das mesmas coisas.

Não há hipótese realista de o Cruz-Maltino conseguir as vitórias e a arrancada que precisa para brigar pelo acesso se seguir levando gols. É exatamente isso: não pode mais levar gols. A defesa precisa ser intransponível. O tempo todo. Nos dois jogos com Fernando Diniz foram quatro pontos perdidos nos três minutos finais.


- Temos que trabalhar em todas as frentes, incessantemente, para fechar todos os buracos. Nossa preocupação era deixar o time mais forte, descansado. O Daniel Amorim, que fez o gol (anulado), é alto e, eventualmente, a chance que o Cruzeiro teria seria na bola parada. Tínhamos o melhor time para evitar o gol de bola parada e, mesmo assim, tomamos - lamentou Diniz, que completou:

- Às vezes, na vida, fazemos o que está ao nosso alcance. Eu faria o que fiz. É continuar trabalhando, acreditar sistematicamente. Quando as coisas estão como estão - jogamos bem contra o CRB, jogamos bem hoje (domingo), os jogadores trabalhando muito, estou sempre treinando o time - temos que falar do nosso desejo. É difícil, mas temos que acreditar - pregou o treinador.

-> Confira a tabela da Série B do Campeonato Brasileiro

É natural. Acreditar é o primeiro passo. Melhorar drasticamente o desempenho defensivo é o segundo.

E MAIS:
Facebook Lance Twitter Lance