Mano exalta qualidade do Palmeiras: 'Quando a bola chegar, eles vão fazer'
menu button lance
lancelogo lancelogo lance

Mano exalta qualidade do Palmeiras: 'Quando a bola chegar, eles vão fazer'

Palmeiras x Fluminense - Mano Menezes
Mano Menezes mantém o 100% de aproveitamento à frente do Palmeiras (Foto: Cesar Greco/Palmeiras)
LANCE! - 10/09/2019 - 23:48
São Paulo (SP)
Ao falar de Luiz Adriano, autor dos três gols da vitória do Palmeiras por 3 a 0 sobre o Fluminense, Mano Menezes evitou "chover no molhado", nas palavras do próprio técnico. Após o triunfo na partida atrasada da 16ª rodada, que deixou o Alviverde a três pontos do líder Flamengo no Brasileiro, o comandante palmeirense exaltou a qualidade do elenco que tem à disposição. 

- Falar de um centroavante que fez três gols no jogo é chover no molhado. É importante para ele fazer. A bola chegou. A equipe precisa oferecer. Hoje (terça-feira) e contra o Goiás as bolas chegaram, jogadas bem construída. São jogadores de alto nível, se a bola chegar nessa condição eles vão fazer. Na medida em que fizermos isso com qualidade, todos eles, quando estiverem fazendo a função, vão marcar - avaliou o treinador. 




> Confira e simule a tabela do Campeonato Brasileiro

A segunda vitória em dois jogos no comando do Palmeiras deve dar tranquilidade a Mano. Isso porque, antes mesmo da estreia, o treinador foi rejeitado por parte da torcida pois seu estilo de jogo seria muito semelhante ao de Luiz Felipe Scolari, demitido após duas eliminações, na Copa do Brasil e Libertadores. O novo técnico da equipe paulista contrariou a tese e enumerou as diferenças em relação ao seu antecessor: 

- Embora o pessoal de um modo geral me achava mais do mesmo, eu penso que uma análise um pouco mais profunda é capaz de estabelecer diferenças. Todas são boas. Meu time joga com um pouco mais de aproximação, um pouco mais de posse de bola. Estamos trabalhando para a equipe fazer isso. Em determinado momento ainda alongamos muito, aí perdemos o controle. Lá e cá, a mim não deixa contente. Não gosto. Você perde com facilidade o controle do jogo. Quando tem uma vantagem do jogo, é mais desnecessário e menos inteligente ainda. Você dá ao adversário uma oportunidade que ele quer. O time tem que construir essa capacidade de trabalhar a bola, saber levar a marcação para um lado e usar o outro com qualidade. Abrir linhas na defesa. É assim que eu sempre trabalhei. 


E MAIS:
OUTROS TÓPICOS DA COLETIVA DE MANO MENEZES

DIAGNÓSTICO DA VITÓRIA
- Penso que iniciamos bem o jogo, era importante começar bem. Estávamos voltando para casa depois de uma eliminação. Precisávamos transmitir uma tranquilidade. Fizemos o gol, criamos mais umas três oportunidades. Depois tivemos uma queda de produção, errando a bola na frente e a transição. O Fluminense é um time difícil de enfrentar porque tem muita posse. Isso fez a gente baixar um pouco no campo, que não era a ideia. Retomamos a bola, mas ficamos sem saída. Segundo tempo corrigimos isso. Começaram a aparecer mais espaços na medida em que o Fluminense arriscou. Aí em duas ótimas jogadas fizemos os gols. Construímos uma boa vitória, importante. Um jogo isolado que nos aproxima do Santos e Flamengo. Saímos satisfeitos.

EQUILÍBRIO ENTRE ATACAR E DEFENDER
-Eu penso que para vencer um campeonato não pode ficar sofrendo muitos gols toda hora, se não te obriga a fazer muitos gols para obter a vitória. Existe uma confusão entre se defender bem e não atacar. Uma coisa não tem nada a ver com a outra. Se defender bem é a obrigação de um time que está sendo atacado. Se pudermos fazer isso mais para frente, vamos sofrer menos, recuperar a bola no campo de ataque. Esse é o ideal. Mas às vezes você não consegue. Nessa hora você tem que ter uma postura de defesa para evitar que o adversário entre no seu gol. Esse é o caminho.

DEYVERSON FORA DOS RELACIONADOS
- Eu só posso relacionar 23. Temos mais que isso. Alguns, em determinados momentos, vão ficar fora. Mas ninguém está fora do grupo. Não tem razão nenhuma de termos algum jogador fora com o nível de profissionalismo que eles têm. Estamos, para alguns, em um processo de evolução onde é possível, pela qualidade do elenco, você usar em determinados jogos, trabalhar com eles durante uma semana cheia e usar depois. O Deyverson pode estar logo, logo. Não tenho certeza ainda quem colocar no jogo contra o Cruzeiro.

REENCONTRO COM EX-CLUBE
- O Cruzeiro tem um grande elenco, vocês sabem disso. Eu tive o privilégio de ficar três anos lá. Os momentos difíceis todas as equipes passam. É o momento mais difícil do que todos esperavam, mas eu tenho acompanhado as notícias e teremos uma equipe diferente contra nós. É aquela história da troca de filosofia. O Rogério pensa o futebol com suas ideias e está tentando implementar-las. Às vezes as coisas andam mais devagar. O nosso problema é tentar vencer no sábado e fazer a terceira vitória consecutiva, que seria muito bom no último jogo do primeiro turno. Poderíamos fazer uma pontuação quase que recorde do Palmeiras no primeiro turno. Comparado aos números do ano passado, já está se chegando em um número melhor. Cria a esperança de que é possível, vamos trabalhar muito para isso.

Facebook Lance Twitter Lance