Bruno Henrique vê fase do Palmeiras como oscilação: 'Não está péssimo'
menu button lance
lancelogo lancelogo lance

Bruno Henrique vê fase do Palmeiras como oscilação: 'Não está péssimo'

Bruno Henrique
Bruno Henrique defendeu que o Palmeiras continua firme na briga por dois títulos (Cesar Greco/Agência Palmeiras)
William Correia - 29/07/2019 - 15:58
São Paulo (SP)
Abrindo uma semana que tem partida decisiva contra o argentino Godoy Cruz, nesta terça-feira, pela Libertadores, e clássico diante do Corinthians, no domingo, Bruno Henrique foi escolhido para atender a imprensa nesta segunda-feira. O capitão falou em oscilação em todas as respostas ao longo de quase 20 minutos de entrevista coletiva, e apontou que o Palmeiras, mesmo sem vencer há cinco jogos, não vive um momento tão ruim como parece.

- Nossa preocupação é em melhorar nosso futebol. Estamos brigando pelas quartas de final da Libertadores, com totais condições de vencer o Godoy Cruz, e em segundo no Brasileiro, brigando. Não é um momento péssimo, em que perdemos tudo. É um momento ruim, de alguns jogos, e temos de ver o que estamos errando. Mas o momento não é péssimo. Pelo contrário. Estamos em duas competições e brigando com reais possibilidades de ganhar o título.




E MAIS:
A oscilação já eliminou o Verdão nas quartas de final da Copa do Brasil, diante do Inter, nos pênaltis, e custou a liderança do Campeonato Brasileiro, agora com o Santos, dois pontos acima do time comandado por Luiz Felipe Scolari. A última vitória foi no dia 10, 1 a 0, no Allianz Parque, na ida dos confrontos ante o Inter na Copa do Brasil. Desde então, duas derrotas, três empates.

- Desde que voltamos da Copa América, vencemos o Inter por 1 a 0, em um jogo muito bom, e, depois, oscilamos. Quando se perde um jogo, a oscilação acontece em passe, marcação, cobertura, comunicação. Perde-se a confiança do que vinha fazendo, porque tudo acontecia naturalmente. Oscilação acontece no futebol. Sabemos a força do elenco e trabalhamos para que ela não aconteça mais. Estamos nos cobrando para voltar a fazer o que fazíamos - comentou Bruno Henrique, admitindo a confiança abalada.

- Quando os resultados não vêm, é natural perder um pouco a confiança. O time vinha muito bem, vencendo e, assim, tudo flui mais naturalmente. Quando não se joga tão bem e tem resultados negativos, a confiança vai diminuindo. Quando se está mal, é dar um passo para trás para ver no que está errando e, depois, dar dois, três para frente de novo. É o que procuramos fazer.

O período já causou protestos da torcida no sábado, logo após o empate por 1 a 1 diante do Vasco, no Allianz Parque, pelo Campeonato Brasileiro. O Palmeiras perdeu sua força defensiva e saiu atrás no placar nas últimas cinco partidas, levando sete gols e marcando somente quatro.

- Oscilamos defensivamente também. Éramos uma equipe difícil de ser vazada e, quando ia ao ataque, fazia os gols. Infelizmente, agora, não está acontecendo desta maneira. Queremos retomar o mais rápido possível o nosso jogo forte e consistente, primeiramente defensivamente e, depois, atacando. Essa oscilação vai passar. Nosso time é muito competente, com elenco e treinador muito bons. Espero que voltemos à nossa essência - apontou Bruno Henrique.

A cobrança do próprio elenco é para acabar com a má fase já nesta terça-feira. O Verdão recebe o Godoy Cruz e, como a partida de ida ficou 2 a 2, a equipe avança para as quartas de final da Libertadores com um empate por 0 a 0 ou 1 a 1, já que gol fora de casa conta como critério de desempate.

Facebook Lance Twitter Lance