Vasco bate seu recorde negativo de finalizações na temporada
menu button lance
lancelogo lancelogo lance

Vasco bate seu recorde negativo de finalizações na temporada

Vasco x Flamengo Pikachu
Pikachu teve atuação discreta (Rafael Ribeiro/Vasco)
André Schmidt - 14/04/2019 - 22:51
Rio de Janeiro (RJ)
A atuação apática do Vasco neste domingo, na primeira partida da decisão do Campeonato Carioca, contra o Flamengo, pode ser enxergada também através dos números. Com apenas 39,1% de posse de bola na partida, segundo dados do Footstats, e com dificuldades para acertar a transição entre defesa e ataque, a equipe do técnico Alberto Valentim finalizou apenas seis vezes no jogo.

Antes da bola rolar no Nilton Santos, o Cruzmaltino tinha uma média de 15 arremates por duelo, 150% a mais do volume obtido no clássico. Das seis tentativas, apenas uma foi na direção do gol - a cabeçada de Marrony, que triscou o travessão. As outras cinco conclusões passaram longe do gol do goleiro Diego Alves, que não precisou realizar nenhuma defesa.

Essa foi a pior marca do time no ano. No confronto anterior com o Flamengo, na disputada da Taça Rio que terminou em 1 a 1, a equipe finalizou 12 vezes, o dobro da atuação deste fim de semana. No primeiro duelo do ano, também terminado em 1 a 1, foram 16, sendo sete no alvo. Até então, o volume mais baixo havia sido contra o Fluminense, na final da Taça Guanabara, quando a equipe concluiu apenas sete vezes, e acabou vencendo após um cruzamento de Danilo Barcelos que foi direto no gol.

E MAIS:
Além da baixa posse de bola, outro dado ajuda a entender a dificuldade encontrada pelo time na primeira partida da final. Os meias rubro-negros atuaram mais avançados, pressionando a saída de bola vascaína, que acabou acuado em seu campo de defesa. Arrascaeta, Éverton Ribeiro, Willian Arão e Bruno Henrique roubaram oito bolas no jogo, duas cada um. Cuellar desarmou outras quatro vezes. No Vasco, apenas Raul desarmou mais que os meias ofensivos do Fla, com três. 

Em desvantagem de dois gols para a partida decisiva, o time de Valentim precisará se reorganizar ofensivamente caso queira lutar ainda pelo título Carioca.

Facebook Lance Twitter Lance