Mecenas do esporte brasileiro, Braguinha morre aos 94 anos
menu button lance
lancelogo lancelogo lance

Mecenas do esporte brasileiro, Braguinha morre aos 94 anos

Braguinha
Braguinha foi um dos grandes mecenas do esporte brasileiro (Foto: Alexandre Arruda/Divulgação)
LANCE! - 12/01/2021 - 15:19
Rio de Janeiro (RJ)
Responsável por grandes investimentos no esporte brasileiro, Antônio Carlos de Almeida Braga, o Braguinha, morreu nesta terça-feira, aos 94 anos, em Portugal, onde vivia desde o início da pandemia de Covid-19. 

A família informou que o empresário estava com a saúde frágil e foi para Sintra, em Portugal, no ano passado. Ele passou mal na manhã desta terça e foi internado em um hospital, onde morreu. O velório e o enterro serão em Portugal.

Braguinha também era sócio benemérito do Fluminense. O clube decretou luto oficial de três dias, mesmo período em que ficará com a bandeira a meio mastro, em Laranjeiras. Além disso, fará um minuto de silêncio em homenagem ao empresário no jogo contra o Sport, sábado, no Nilton Santos.



Apaixonado por diversas modalidades, Braguinha se tornou grande amigo de Ayrton Senna e Guga, dois astros nacionais que contaram com apoio do banqueiro. Ele também foi o dono de uma das maiores seguradoras do Brasil, a Atlântica Boavista, que depois foi transformada em Bradesco Seguros.

A empresa inaugurou o patrocínio corporativo ao vôlei brasileiro nos anos 1980. A equipe contava com nomes como Bernard, Bernardinho, Renan e Xandó. Outros ídolos apoiados pelo empresário foram Pelé e Emerson Fittipaldi.

Querido Braguinha , Feliz Aniversário 94 anos você e um Patrimônio do esporte brasileiro, Seleção brasileira de futebol...

Publicado por Emerson Fittipaldi em Sexta-feira, 3 de julho de 2020
- Se o vôlei cresceu, podemos dizer que muito foi por causa dele. Depois dos Jogos de Moscou, ele formou o time da Atlântica-Boavista e começou a profissionalizar a modalidade aqui no país. Aí, surgiu a Geração de Prata, e o Braguinha foi responsável por esse sucesso - disse Radamés Lattari, vice-presidente eleito da CBV, durante uma homenagem da entidade a Braguinha, em 2015.

O primeiro encontro de Guga com Braguinha foi relatado pelo campeão na biografia "Guga – Um Brasileiro". O ex-tenista relembra as primeiras impressões do empresário sobre ele.

"O magrelo bate forte, o menino é bom, tá na cara que tem futuro, mas precisa engordar, está muito magrinho, precisa comer para ganhar força”, teria dito o empresário, antes de abrir a carteira para garantir ao jovem tenista que cumpriria à risca a profecia “uma contribuição”. “Na época uma fortuna para a gente”, escreveu Guga.

Outro momento em que Guga prestou homenagem a Braguinha foi durante o Rio Open de 2015. Ele falou da importância do banqueiro para que ele não desistisse da carreira.

- A primeira vez que eu cheguei a Roland Garros, eu entrei de gaiato, não tinha nem ingresso. Foi o Braguinha quem me fez acreditar que o sonho era possível, que eu poderia me tornar campeão - contou Guga.


E MAIS:
Facebook Lance Twitter Lance