Defensa y Justicia: LANCE! traça um perfil completo do rival do Botafogo na Sul-Americana
menu button lance
lancelogo lancelogo lance

Defensa y Justicia: LANCE! traça um perfil completo do rival do Botafogo na Sul-Americana

Defensa y Justicia
(Foto: Divulgação/DyJ)
Sergio Santana - 05/02/2019 - 07:00
Rio de Janeiro (RJ)
O Botafogo não terá vida fácil na primeira fase da Copa Sul-Americana. O sorteio, realizado ainda no ano passado, colocou o Defensa y Justicia no radar do clube de General Severiano logo no primeiro confronto de ambas as equipes na segunda principal competição internacional do continente.

A primeira partida do confronto será realizada nesta quarta-feira, no Estádio Nilton Santos, às 21h30. A volta será disputada duas semanas depois, no dia 20 de fevereiro, no Estádio Norberto Tomaghello, às 21h30 (de Brasília).

Treinado pelo ex-jogador Sebastián Beccacece, o Defensa y Justicia é um dos clubes que atualmente está em melhor fase no futebol argentino, brigando pela liderança do campeonato nacional. O LANCE! preparou um material detalhando pontos de destaque do primeiro adversário alvinegro.

BOM MOMENTO

Defensa y Justicia
Jogadores comemoram a vitória diante do San Martín de Tucumán, por 2 a 1 - o último jogo antes de visitar o Botafogo (Foto: Divulgação/DyJ)
O Defensa y Justicia vive o melhor momento de sua história. O clube de Buenos Aires, que passou muito tempos nas divisões inferiores da Argentina, subiu para a elite local na temporada 2013-14, após garantir o vice-campeonato da Série B. Depois de brigar contra as posições inferiores em sua temporada inicial na elite, o DyJ sempre figurou na primeira metade da tabela.

Atualmente, a equipe de Buenos Aires é a segunda colocada no Campeonato Argentino, sendo a principal perseguidora do Racing, líder do torneio - três pontos separam as duas equipes na tabela. Após 17 partidas disputadas, o DyJ venceu onze, empatou seis e ainda não sabe o que é perder. São 24 gols marcados e dez sofridos durante esse período.

O TREINADOR

Santiago Beccacece e Jorge Sampaoli
Sebastián Beccacece é 'discípulo' de Jorge Sampaoli (Foto: AP)
Um dos destaques da equipe argentina encontra-se justamente na casamata. Após a saída de Ariel Holán, atualmente no Independiente, o Defensa y Justicia conseguiu substituir seu treinador à altura. Sebastian Beccacece, ex-defensor de 38 anos, treina o DyJ e é um dos técnicos em melhor momento no futebol argentino, ganhando holofotes no futebol sul-americano.

Becaccece foi o principal "braço direito" de Jorge Sampaoli, atualmente no Santos, durante muito tempo. Foi, ao lado dele, assistente técnico de Peru, Equador e Universidad do Chile. Após 15 anos juntos, Sebastian teve a primeira experiência como treinador no próprio DyJ, quando a equipe jogou a Copa Sul-Americana pela primeira vez em sua história, mas interrompeu sua história para voltar a trabalhar com Sampaoli, dessa vez na seleção argentina, antes da Copa do Mundo de 2018.

Após o fracasso dos Hermanos no Mundial, Jorge Sampaoli foi demitido da seleção, e Beccacece retornou ao Defensa y Justicia para continuar a história com a equipe verde e amarela. Além de todo conteúdo tático e estrategista, o treinador é marcado pelo seu forte temperamento, sendo, antes de tudo, um torcedor à beira do campo, como é possível ver neste vídeo:

COMO JOGA? 

Defensa y Justicia
A bola e o controle de espaços são a prioridade (Foto: Divulgação/DyJ)
Seguindo as "escolas" de Marcelo Bielsa e Jorge Sampaoli, o time de Sebastian Beccacece tem como sua prioridade o controle da posse de bola e, com todos os jogadores guardando suas posições iniciais em campo- o chamado jogo de posição -, controlar o espaço e avançar ao ataque a partir dos toques rápidos, triangulações e movimentações de todos os jogadores. 

A equipe tem seu esquema moldado no 4-3-3, e Beccacece monta sua formação justamente com a presença de um lateral, um meio-campista e um jogador de beirada em cada lado, garantindo espaçamento em todos os setores do campo. O DyJ valoriza a posse de bola e constrói suas jogadas de forma paciente, sempre em busca do ataque.

DEFESA PARTICIPATIVA

Defensa y Justicia - Alexander Barboza
Zagueiro Alex Barboza é um dos destaques (Foto: Divulgação/DyJ)
Como a posse de bola é a prioridade para o Defensa y Justicia, as jogadas são construídas desde o campo defensivo. Para isso, é imprescindível que o goleiro Ezequiel Unsain e os zagueiros Alexander Barboza e Lisandro Martinez tenham a capacidade de começarem as tramas ofensivas com a bola no pé, desde a fase defensa. A ideia de Beccacece é que a posse de bola seja construída desde sua própria área.

Os números explicam: Lisandro Martinez, no atual Campeonato Argentino, trocou 876 passes corretos, sendo o segundo jogador da competição que mais acerta passes. Alexander Barboza, com 705 no total, é o nono atleta nessa lista. Os zagueiros participam ativamente do jogo.

O COMANDANTE

Defensa y Justicia - Leonel Miranda
Camisa 10, Leonel Miranda é o cérebro e coração da equipe verde e amarela (Foto: Divulgação/DyJ)
Se o assunto é passe certo, quem realmente se destaca no quesito é Leonel Miranda. No atual Campeonato Argentino, o camisa 10 do DyJ acertou 1023 passes, sendo melhor o passador da competição, com 85% de acerto. Desses, 25 foram considerados decisivos - aqueles que antecedem a uma finalização - e o jogador criou duas grandes chances de gol.

Apesar de ser o primeiro volante, Leonel Miranda é a principal engrenagem para fazer o sistema do DyJ funcionar. Na saída de bola, ele recua - formando uma linha de três atletas - e auxilia os zagueiros na construção de jogadas na defesa. Apesar da participação na primeira metade do campo, é possível ver o camisa 10 aparecendo em regiões mais avançadas do gramado, qualificando toda a posse da bola. É o verdadeiro coração da equipe.

ATAQUE PARTICIPATIVO

Defensa y Justicia
Nicolas Fernandez (o da direita) é a principal ameaça do ataque do Defensa y Justicia (Foto: Divulgação/DyJ)
Assim como o restante da equipe, o setor ofensivo também se destaca pela intensidade e constantes movimentações. O trio de ataque é formado por Ciro Rius, atuando pelo lado direito, Gastón Togni, pela esquerda, e Nicolas Fernández, pelo centro. Em campo, é comum ver os dois jogadores de beirada fazendo movimentos em diagonal e aparecendo pelo meio, enquanto o atleta centralizado aparece sempre nas costas dos marcadores.

Nicolas Fernandez é mais um dos destaques do time. Atuou como ponta em praticamente toda a carreira, mas se transformou em "falso nove" com Beccacece, atuando pelo centro e se destacando pela movimentação e corridas  em profundidade.

Além do trio, outro jogador que merece uma menção honrosa no ataque é Matias Rojas. O camisa 26 faz parte da trinca de meio-campistas, mas é o atual artilheiro da equipe do Campeonato Argentino, com sete gols marcados. O paraguaio aparece com frequência na segunda metade do campo e é marcado pelos chutes de média/longa distância.

INTENSIDADE E PRESSÃO


Defensa y Justicia
DyJ incomoda o adversário o tempo inteiro (Foto: Divulgação/DyJ)
O Defensa y Justicia consegue ser ofensivo até mesmo quando defende. O objetivo da equipe é ter a bola e permanecer no campo de ataque o tempo inteiro justamente para evitar que o time adversário fique com a posse e, por consequência, crie suas tramas em busca do gol.

Por isso, o Defensa y Justicia é marcado pela pressão na saída de bola do rival, justamente com o objetivo de evitar que eles se propaguem ofensivamente. Quando o DyJ perde a posse da bola, a ordem de Sebastián Beccacece é que seus atletas incomodem os adversários, com o objetivo de evitar um contra-ataque do contra-ataque e, por consequência, não vejam os rivais conseguirem construir tramas em velocidade.

FICOU NO QUASE EM 2018 E FEZ HISTÓRIA NO MORUMBI

São Paulo x Defensa y Justicia
DyJ eliminou o São Paulo no Morumbi na Copa Sul-Americana de 2017; no ano passado, bateu na trave (Foto: NELSON ALMEIDA / AFP)
O Defensa y Justicia fez sua estreia em competições internacionais na Copa Sul-Americana de 2017. A primeira partida internacional da equipe foi logo contra o São Paulo, uma das equipes mais tradicionais do continente. Treinados pelo próprio Sebastián Beccacece, os Canários superaram o Tricolor no Morumbi e avançaram de fase. Posteriormente, foram eliminados pela Chapecoense.

Na Sul-Americana do ano passado, o DyJ bateu na trave, mas provou à América do Sul que está preparado para o futebol em nível continental. No torneio, o DyJ eliminou América de Cali-COL, El Nacional-EQU, Banfield-ARG, e foram eliminados pelo Junior Barranquilla nas quartas de final, com a equipe colombiana marcando um gol nos minutos finais do jogo da volta.

ESTÁDIO NORBERTO TOMAGHELLO


Defensa y Justicia
No total, estádio possui capacidade para 10.500 torcedores (Foto: Divulgação/DyJ)
O Defensa y Justicia manda suas partidas no Estádio Norberto Tomaghello, na cidade Florencio Varela, uma província de Buenos Aires. A arena foi construída em 1978, mas passou por recentes obras, que fizeram a capacidade aumentar para cerca de 10.500 espectadores. É um estádio com as arquibancadas próximas do gramado, o que representa a pressão da torcida a todo instante. 

Na atual temporada, o Defensa y Justicia fez oito partidas em seu estádio pelo Campeonato Argentino. O desempenho da equipe nessas partidas é de cinco vitórias e três empates, com 14 gols marcados e seis sofridos.

VISITANTE INDIGESTO

Defensa y Justicia
DyJ é o melhor visitante da Superliga Argentina (Foto: Divulgação/DyJ)
Os bons números diante do seu torcedor são relativamente bons, mas o desempenho do Defensa y Justicia é ainda melhor fora de casa. Os Canários são os melhores visitantes da Superliga Argentina: nove partidas disputadas, com seis vitórias e três empates - nesse período, balançaram e rede em dez oportunidades e sofreram quatro gols.

A última vitória da equipe antes de enfrentar o Botafogo foi justamente longe de seus domínios. No Estádio La Ciudadela, os Canários venceram o San Martín de Tucumán por 2 a 1, com Nicolas Fernandez marcando o gol que garantiu o triunfo nos minutos finais do duelo. 

Time-base: Unsain; Tripichio, Barboza, Lisandro Martínez, Delgado; Blanco, Leonel Miranda, Rojas; Ciro Rius, Nicolas Fernandez, Togni.

Facebook Lance Twitter Lance