São Paulo aprende com erros, vence Palmeiras, encerra série invicta de rival e sai na frente na Copa do Brasil

São Paulo aprende com erros, vence Palmeiras, encerra série invicta de rival e sai na frente na Copa do Brasil

Rafael Ribeiro - 23/06/2022 - 22:02
São Paulo (SP)
O Palmeiras era o favorito. E depois da virada histórica, nos acréscimos, da última segunda-feira (20), não havia quem pudesse apostar o contrário, certo? Errado. Mostrando brio e, acima de tudo, capacidade de 'lamber suas feridas', como disseram seus jogadores, o São Paulo novamente teve amplo domínio do primeiro tempo, conseguiu marcar o gol que lhe deu a vitória por 1 a 0 e, mais importante, segurou o resultado na noite desta quinta-feira (23), no duelo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil, no Morumbi.


GALERIAS
+ Veja as atuações do São Paulo segundo a equipe L!
+ Veja as atuações do Palmeiras segundo a equipe L!




Fim da invencibilidade de 19 jogos do Verdão, que apesar de ter os 'reforços' de Marcos Rocha e Zé Rafael, se mostrou incrivelmente mais apático, com um meio-campo preso na marcação tricolor e um ataque inoperante. O líder do Campeonato Brasileiro agora precisa de uma vitória mínima no duelo de volta, no Allianz Parque, para levar a decisão da classificação aos pênaltis.

Festa e alegria do lado tricolor, que mandou a campo a mesma equipe que começou o vexame de segunda, quebra uma sequência de sete jogos onde abre o placar no primeiro tempo e depois entrega ao adversário, dá o troco sobre o poderoso rival e ganha fôlego - e sossego - para tentar melhorar sua colocação no Brasileirão.

SENTIMENTOS MOVIDOS POR UM IDEAL

Se algum algum indício de trauma pela virada espetacular da última segunda-feira (20), ele começou a acabar já na escalação. Os expoentes tricolores se reuniram com Rogério Ceni e acabaram com um princípio de crise: pediram para jogar o clássico. E a escalação do São Paulo foi repetida.

E foi assim, meio engasgado com o Palmeiras, meio empurrados pela grande torcida que foi ao Morumbi, que o São Paulo começou dominando completamente o jogo

VAI PRA CIMA DELES TRICOLOR

As chances são-paulinas começaram a aparecer cedo. Aos 2', Reinaldo avançou pela esquerda e cruzou na medida para Calleri, que desviou de cabeça e exigiu grande defesa de Weverton. No rebote, Igor Gomes mandou por cima do gol palmeirense.

Aos 7', o lateral-direito foi de novo o expoente ofensivo. Partiu em jogada individual, passou por Piquerez e finalizou rasteiro. A bola ainda chegou a desviar em Murilo e sair rente à trave de Weverton.

VAMOS JOGAR PALMEIRAS

Era um Palmeiras apático, cujo meio-campo se mostrou presa fácil da marcação tricolor. O eixo Zé Rafael, Dudu e Gabriel Veron, apático, não produzia e as bolas não chegavam como deviam para Rony no ataque.

Melhor para o São Paulo, que aproveitava o início fulminante para cravar mais chances no jogo. Aos 11' Calleri cabeceou cobrança de lateral de Reinaldo e novamente Weverton teve que se esticar para desviar.

Patrick fez o gol da vitória do São Paulo (Foto Alex Silva /Lancepress!)
É GOL, QUE FELICIDADE...

Aos 15' (sim, você não está lendo errado), o São Paulo chegava pela quinta vez com perigo no ataque. Em ótima tabela, Nestor e Patrick encontraram, advinha, Igor Vinícius, que mais uma finalizou cruzado e exigiu o corte da defesa.

Depois desse verdadeiro bombardeio, o Palmeiras até conseguiu equilibrar as coisas em suas laterais e barrar o avanço tricolor. Mas a história é conhecida. Quem vinha desenhando o gol constantemente sabe melhor o caminho para chegar até ele na comparação com quem parecia não ter entrado em campo.

E o Morumbi explodiu aos 30'. Patrick, sempre ele, recebeu passe na entrada da área, entrou cortando a marcação e finalizou na saída de Weverton para abrir o placar.

VERDÃO 'BLAZÊ' PARA, REPENSA, MAS NÃO PRODUZ

Logo após o gol, o Pantera Negra tricolor encontrou tempo para invadir outra vez a área e finalizar de novo, desta vez para a defesa de Weverton.

Mas era um sinal mais do que claro que as coisas precisavam mudar no Palmeiras. Já eram seis finalizações são-paulinas contra apenas uma do time líder do Brasileirão, que diferente de segunda teve até reforços para o jogo desta noite.

Até houve uma tentativa, de recuar mais os alas Dudu e Veron para buscar o jogo no meio-campo. Mas o máximo alcançado pelo Verdão foi uma jogada ensaiada em cobrança de falta aos 40', com Scarpa dando o passe para Gustavo Gómez desviar pela linha de fundo. Pouco, muito pouco para um Palmeiras surpreendentemente dominado. Ficava a esperança do segundo tempo.


TABULEIRO ARMADO PARA SEGUNDO TEMPO E VERDÃO UM POUCO MAIS ORGANIZADO

Os times voltaram do intervalo sem alterações e o tabuleiro foi armado para o jogo de xadrez do segundo tempo. O objetivo alviverde era repetir o que ocorreu na segunda. O Tricolor, o contrário.

De qualquer forma, com as peças à mesa, o cenário foi se desenhando idêntico ao do último jogo. Isso é, a bronca no vestiário do Palmeiras deve ter surtido o efeito necessário.

João Martins - assim como segunda - inverteu Dudu e Veron de lado e o Palmeiras passou a ganhar mais terreno. Isso fez com que chances acontecessem. Danilo e Zé Rafael arriscaram de longe, por cima do gol. Mas foi aos 11' com Rony furando um cruzamento na medida de Marcos Rocha, que o Verdão arrancou suspiros de sua torcida.

TRICOLOR APOSTA NA GUERRA PSICOLÓGICA

Se a marcação eficiente do primeiro tempo dava sinais de desgaste - como segunda -, o Tricolor foi para o tudo ou nada. No psicológico. Até um gandula foi expulso por retardar o início de jogo.

Aos 14', Gómez caiu na pilha tricolor, fez falta pesada em Calleri e deu início a um princípio de tumulto na linha de fundo.

TOMA LÁ DE CÁ NA RETA FINAL

Se na segunda o São Paulo apostou na retranca como forma de tentar se preparar para o bote alviverde, hoje as coisas não se repetiram. Desta vez, para cada chance criada pelo rival, a resposta vinha na sequência.

Aos 23', após rápida cobrança de falta, Gustavo Scarpa arrancou para o meio e chutou por cima do gol de Jandrei.

Aos 29', Léo subiu à área e desviou cobrança de escanteio rente à trave de Weverton. Logo na sequência, Igor Vinícius, um dos destaques do dia, fez boa jogada pela direita, deixou Piquerez no chão e cruzou na medida para Nestor, que chutou pior cima do travessão.

O tempo foi passando, mas o São Paulo mostrou ter aprendido com os erros de segunda. Neutralizou todos os espaços alviverdes e conseguiu ter um final de jogo escancaradamente mais tranquilo que no último Choque-Rei. Preocupação, mesmo, só com Arboleda, que deixou o campo com uma contusão aparentemente grave.

PRÓXIMOS COMPROMISSOS

São Paulo e Palmeiras voltam a campo no próximo domingo (26), pelo Campeonato Brasileiro. O Verdão vai a Florianópolis (SC), defender sua liderança em confronto com o Avaí, às 16h (de Brasília). O Tricolor busca a recuperação ante o Juventude, de novo no Morumbi, às 18h (de Brasília). O duelo de volta entre ambos pelas oitavas de final da Copa do Brasil acontece no dia 14 de julho, às 20h (de Brasília), no Allianz Parque.

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 1 X 0 PALMEIRAS


Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Data/Horário: 23/06/2022, às 20h
Árbitro: Raphael Claus
Assistentes: Danilo Ricardo Simon Manis e Rodrigo Figueiredo Henrique Correa.
VAR: Wagner Reway
Público e renda: 38.201 pagantes/ R$ 2.004.965,00

Cartões amarelos: Murilo, Marcos Rocha e Gustavo Gómez (Palmeiras); Reinaldo e Gabriel Neves (São Paulo) 
Cartões vermelhos:

GOLS
Patrick aos 30min do 1ºT (1-0)

SÃO PAULO
Jandrei; Diego Costa, Arboleda (Miranda 37/2) e Léo; Igor Vinícius, Gabriel Neves (Andre Anderson 51/2), Rodrigo Nestor, Igor Gomes, Patrick (Pablo Maia 37/2) e Reinaldo (Welington 41/2); Calleri
Técnico: Rogério Ceni

PALMEIRAS
Weverton; Marcos Rocha (Mayke 36/2), Gustavo Gómez, Murilo e Piquerez; Danilo (Gabriel Menino 21/2), Zé Rafael e Gustavo Scarpa; Dudu (Wesley 30/2), Gabriel Veron (Rafael Navarro 21/2) e Rony (Breno Lopes 30/2)
Técnico: João Martins (interino)

E MAIS:
Facebook Lance Twitter Lance