Ao L!, Bruno Silva revela propostas da Série A e explica retorno ao Avaí: 'Tenho uma gratidão'
menu button lance
lancelogo lancelogo lance

Ao L!, Bruno Silva revela propostas da Série A e explica retorno ao Avaí: 'Tenho uma gratidão'

Bruno Silva
Bruno Silva em sua apresentação no Avaí (Foto: Avaí/Divulgação)
Matheus Costa* - 27/05/2020 - 09:00
Rio de Janeiro (RJ)
Depois do rebaixamento para a segunda divisão em 2019, o Avaí resolveu investir em nomes de peso para garantir seu retorno a elite do futebol brasileiro. Por isso, o clube contratou nomes carimbados como Valdívia, Adryan, Kelvin, Wesley, Rildo e, por último, o volante Ralf. Mas um dos mais conhecidos é o do volante Bruno Silva, que fez seu retorno à Ressacada por um motivo.

Em entrevista exclusiva ao LANCE!, o experiente volante explicou seu retorno ao clube, onde atuou de 2007 à 2012. Bruno revela que teve propostas para permanecer na Série A, mas pela gratidão que tem pelo clube, resolveu ajudar na missão de recolocar o Avaí na primeira divisão.

- Eu tinha propostas de clubes da Série A. A gente estava conversando com o Avaí, é um clube que abriu as portas para mim quando eu era apenas o Bruno e não o Bruno Silva. Eu tenho uma gratidão. Espero poder retribuir toda essa expectativa, toda essa confiança que a diretoria depositou em mim. O começo não foi como a gente esperava. Infelizmente, aconteceu um acidente que eu não pude jogar e ajudar a equipe. Creio que, passando essa pandemia desse vírus, eu vou voltar e me dedicar para ser o Bruno que a torcida espera e ajudar a voltar com o Avaí para a Série A, que é o lugar de onde o Avaí não tem que sair. Acho que coisas boas vão acontecer - afirmou.

Com um elenco tão gabaritado com nomes conhecidos, Bruno afirma que a intenção é ganhar tudo, desde o Campeonato Catarinense até o maior objetivo de todos, ou como ele mesmo diz, a cereja do bolo: garantir a volta do Avaí para a primeira divisão.

- Nossa equipe tem jogadores que estão acostumados a jogar a Série A. Então acho que o nosso objetivo, a nossa meta nesse ano era ser campeão catarinense, ir longe na Copa do Brasil e, a cereja do bolo, que com certeza com a gente trabalhando vai ser a volta do Avaí para a Série A. Eu acho que nada melhor do que ter jogadores experientes que estão acostumados a jogar a Série A. Isso com certeza vai ajudar bastante. Sim, nós vamos jogar a Série B, mas essa experiência vai ter que pesar em alguma hora e espero que, quando chegar essa hora, a gente possa saber administrar e chamar a responsabilidade para conseguir o nosso objetivo, que é recolocar o Avaí na Série A - explicou.

As atividades do futebol estão interrompidas no Brasil. Alguns clubes se movimentam para garantir a retomada das atividades, enquanto outros preferem aguardar condições adequadas para o retorno. Bruno explica que sente falta do futebol, mas pondera que a prioridade é a saúde de sua família, sempre em primeiro lugar.

- É lógico que a gente sente falta do futebol que é uma coisa que a gente ama e sempre faz, mas nós estamos falando de uma coisa muito séria que está acontecendo no mundo. Eu tenho família. Então, primeiro a saúde da família, do meu filho e da minha esposa. A gente vai aguentando essa falta do futebol, mas o mais importante é a família estar bem. Logo, logo isso aí vai passar e nós iremos poder fazer o que a gente mais gosta - encerrou.

Confira outras respostas de Bruno Silva:

A melhor equipe que já atuou:

- A equipe do Botafogo de 2016 e 2017 teve um grande trabalho. Infelizmente, não ganhamos um título pela desconfiança, por tudo que existia lá. Nós chegamos a uma semifinal de Copa do Brasil e nas quartas de final da Libertadores. Foi uma grande equipe que eu joguei. A equipe do Cruzeiro, que nós fomos campeões da Copa do Brasil em 2018. O Internacional de agora, que eu acabei ficando pouco tempo. Acho que não falo um clube especificamente, mas coloco estes três clubes como os melhores que eu passei -

O melhor companheiro de equipe:

- Eu não vou nomear um jogador porque eu joguei com grandes jogadores que fizeram diferença e mudam uma partida. Arrascaeta e o Thiago Neves no Cruzeiro, o D'Alessandro que eu tive um prazer de jogar com ele um pouco no Inter e já deu pra ver que era um cara diferenciado, Montillo, Ganso, Nenê que são caras que conseguem resolver uma partida. De enfrentar eu lembro de um jogo contra o Santos do Neymar, que acho que foi o cara mais difícil que eu enfrentei. Foi o Neymar. -

O momento mais engraçado que já vivenciou em sua carreira:

- Eu estava no Botafogo. Foi num Botafogo x Grêmio, em 2016 na Arena do Grêmio. A gente tinha que ganhar para irmos à Libertadores. Sassá e Airton, que eram do mesmo time, trocaram socos e o Sassá foi expulso. Nós ganhamos o jogo por 1 a 0, eu acabei fazendo o gol e ajudei o Botafogo. Nós comemoramos e esquecemos da briga. Só que quando a gente foi para o vestiário, o Sassá estava saindo e o Airton entrando. Aí nós lembramos da briga e falamos: "Ih, vai ter briga". Não teve briga. Um abraçou o outro, beijou, pulou, teve foto que tiramos juntos e no final todo mundo comemorou. Pra mim, que vivi isso aí, foi muito engraçado - 

Recado para torcida do Avaí

- Eu queria deixar um recado para a nação Avaiana. Esse ano vai ser um ano de conquistas e vitórias. Nós montamos uma equipe para brigar por títulos e para voltar com o Avaí para a Série A. Espero que possam nos ajudar e nos apoiar. Eu vivi isso e sei que a torcida Avaiana, quando apoia a equipe, a equipe fica muito forte. Espero que a torcida possa nos apoiar em todos os momentos. Nós vamos ter os resultados que eles esperam -

*Estagiário sob a supervisão de Tadeu Rocha.

Facebook Lance Twitter Lance