Recordes, estádios... LANCE! traz balanço histórico da Copa do Brasil
menu button lance
lancelogo lancelogo lance

Recordes, estádios... LANCE! traz balanço histórico da Copa do Brasil

Troféu da Copa do Brasil
Cruzeiro e Corinthians começam disputa pelo título da Copa do Brasil nesta quarta-feira (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)
Bárbara Mendonça* - 10/10/2018 - 07:00
Rio de Janeiro (RJ)
São R$50 milhões em jogo, a glória da conquista e um dos principais títulos nacionais em disputa. Vai começar a decisão da Copa do Brasil! Nesta quarta-feira, Cruzeiro e Corinthians duelam no jogo de ida da grande final; a partida que será no Mineirão, começa às 21h45 (horário de Brasília).

Antes da bola rolar, o LANCE! traz um breve histórico das decisões do torneio nacional. Quais foram os estádios, quem marcou mais gols, quais foram os maiores públicos? As respostas a todas essas perguntas estão abaixo. Confira!

Maioria dos campeões da Copa do Brasil decidiu título fora de casa
Em 29 edições na Copa do Brasil, o tão exaltado 'fator casa' parece não fazer tanta diferença - ao menos nas finais. Ao analisar todas as decisões do torneio nacional até agora, percebe-se que o retrospecto é favorável aos clubes que jogam a partida de volta longe de seus domínios. 

Em 13 ocasiões, levantou o troféu o clube que decidiu em casa. A primeira vez em que isso ocorreu foi logo na estreia da Copa do Brasil, em 1989, quando o Grêmio levantou o caneco ao superar o Sport diante de sua torcida no Olímpico. Os outros 12 títulos dos mandantes foram de 1991 a 1994 (Criciúma, Internacional, Cruzeiro e Grêmio), 1998 (Palmeiras), 2000 e 2003 (Cruzeiro), 2008 (Sport), 2013 (Flamengo) e de 2015 a 2017 (Palmeiras, Grêmio e Cruzeiro).



Copa do Brasil de 2014 - Cruzeiro 0x1 Atlético-MG
Atlético-MG foi o último clube a ser campeão da Copa do Brasil, em 2014, no Mineirão (Foto: Ramon Bitencourt/Lancepress!)
O primeiro clube a ser campeão fora de casa foi o Flamengo, em 1990, em duelo contra o Goiás no Serra Dourada. Cinco anos depois, em 1995, o Corinthians conquistou a taça ao vencer o Grêmio no Olímpico. As outras ocasiões em que os visitantes levaram a melhor aconteceram em 1996 e 1997 (Cruzeiro e Grêmio), 1999 (Juventude), 2001 e 2002 (Grêmio e Corinthians), de 2004 a 2007 (Santo André, Paulista, Flamengo e Fluminense), de 2009 a 2012 (Corinthians, Santos, Vasco e Palmeiras) e 2014 (Atlético-MG).

Até o momento, nenhuma decisão teve hat-trick 
Expectativas por um hat-trick na final da Copa do Brasil? É melhor ir com calma. De 1989 até 2017, nenhum jogador balançou a rede em três vezes em um mesmo jogo de decisão da competição. Os que mais se aproximaram da marca foram Luis Mário (Grêmio), Deivid (Corinthians), Alecsandro (Internacional), Dudu (Palmeiras) e Pedro Rocha (Grêmio): todos marcaram dois gols.

2002 - Deivid foi o artilheiro e destaque do campeão Corinthians
Em 2002, Deivid marcou dois gols na final e foi o artilheiro da Copa do Brasil, com 13 gols (Foto: Reginaldo Castro/Lancepress!)
Maiores públicos em finais
​Com 54 mil ingressos já vendidos - e uma carga adicional de 2500 entradas liberadas nesta segunda-feira -, o Cruzeiro conta com a força de sua torcida para sair na frente na decisão. Entretanto, a garantia de casa cheia não dará à Raposa mais um lugar no ranking de dez melhores públicos da Copa do Brasil.

O maior número de torcedores presentes em uma final do torneio foi em 1999, quando Juventude e Botafogo empataram por 0 a 0 no Maracanã: foram 101.581 pessoas presentes. Logo atrás vem Grêmio e Flamengo (empate por 2 a 2), na decisão de 1997, com 95.125 torcedores no Maracanã.

Curiosidade: dos dez maiores públicos registrados nas decisões da Copa do Brasil, apenas um jogo não foi disputado no Maracanã ou no Mineirão. O duelo em questão aconteceu em 2001, quando o Grêmio venceu o Corinthians por 3 a 1 no Morumbi. Confira o ranking abaixo!

Os dez melhores públicos em finais de Copa do Brasil
1 - Botafogo 0x0 Juventude - 1999 - Maracanã - 101.581 presentes
2 - Flamengo 2x2 Grêmio - 1997 - Maracanã - 95.125 presentes
3 - Cruzeiro 2x1 São Paulo - 2000 - Mineirão - 85.841 presentes
4 - Corinthians 1x3 Grêmio - 2001 - Morumbi - 80.000 presentes
5 - Cruzeiro 3x1 Flamengo - 2003 - Mineirão - 79.614 presentes
6 - Flamengo 0x2 Santo André - 2004 - Maracanã - 73.210 presentes
7 - Flamengo 1x1 Cruzeiro - 2003 - Maracanã - 73.104 presentes
8 - Cruzeiro 2x1 Grêmio - 1993 - Mineirão - 70.723 presentes
9 - Flamengo 2x0 Atlético-PR - 2013 - Maracanã - 68.857
10 - Cruzeiro 1x1 Palmeiras - 1996 - Mineirão - 68.763 presentes


E MAIS:
Botafogo 0 x 0 Juventude - 1999
Duelo entre Juventude e Botafogo, em 1999, tem o maior público de uma final de Copa do Brasil até os dias de hoje (Foto: Reprodução)
Arena Corinthians é 27º estádio a receber uma final de Copa do Brasil
Desde 1989, 26 estádios sediaram uma decisão do torneio nacional. Em 2018, a Arena Corinthians receberá a final da Copa do Brasil pela primeira vez, tornando-se a 27ª praça esportiva a fazê-lo.

O Mineirão é o estádio que mais viu decisões de Copa do Brasil, com nove finais; a primeira foi em 1993 (Cruzeiro x Grêmio). O Maracanã vem logo atrás, com oito duelos, sendo o primeiro em 1997 (Flamengo x Grêmio) - mas o célebre estádio tem um detalhe a mais: o Templo do Futebol é o único local até os dias de hoje a sediar tanto a ida quanto a volta da final, abrigando os times de Flamengo e Vasco em 2006.

Os estádios que receberam as 29 finais de Copa do Brasil até hoje
- Nove vezes: Mineirão (1993, 1996, 1998, 2000, 2003, 2014, 2016, 2017 e 2018)
- Oito vezes: Maracanã (1997, 1999, 2003, 2004, 2005, 2006, 2007 e 2013)
- Sete vezes: Olímpico (1989, 1991, 1993, 1994, 1995, 1997 e 2001)
- Cinco vezes: Morumbi (1998, 2000, 2001, 2002 e 2008)
- Duas vezes: Ilha do Retiro (1989 e 2008), Beira-Rio (1992 e 2009), Pacaembu (1995 e 2009), Palestra Itália (1996 e 2004), São Januário (2005 e 2011), Vila Belmiro (2010 e 2015) e Couto Pereira (2011 e 2012)
- Uma vez: Helenão (1990), Serra Dourada (1990), Heriberto Hülse (1991), Manoel Schwartz/Laranjeiras (1992), Castelão (1994), Alfredo Jaconi (1999), Boca do Jacaré (2002), Jaime Cintra (2005), Orlando Scarpelli (2007), Barradão (2010), Arena Barueri (2012), Vila Capanema (2013), independência (2014), Allianz Parque (2015), Arena do grêmio (2016) e Arena Corinthians (2017).

Mineirão: Cruzeiro 0 (5) x (3) 0 Flamengo - final da Copa do Brasil
Casa do Cruzeiro, Mineirão receberá final da Copa do Brasil pela nona vez em 2018 (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)
Edição de 2018 pode ter uma das artilharias mais baixas da Copa do Brasil
Em 2005, Fred marcou 14 gols com a camisa da Raposa no torneio, entrando para a história como artilheiro e recordista em número de gols da Copa do Brasil. Atrás dele vêm Deivid (Corinthians) com 13 gols, Washington (Ponte Preta) com 12 e Neymar (Santos) com 11.

Já em 2018, os atuais artilheiros da disputa nacional são Gabriel (Santos), Romulo (Avaí) e Neilton (Vitória), com quatro gols cada. Dos jogadores que entrarão em campo na final, Romero é o melhor colocado no ranking, tendo balançado a rede pelo Corinthians em três ocasiões. Barcos e Raniel, do Cruzeiro, tem dois gols assinalados com a camisa mineira.

Supondo que Romero, Barcos ou Raniel consigam assumir a ponta da artilharia isolada, a Copa do Brasil poderá ver seus artilheiros assinalarem o mesmo número de gols do ano passado: cinco. Esta é a menor marca dos goleadores na disputa nacional e já foi vista em três ocasiões (2007, 2011 e 2017). Ao longo das 29 edições da competição, a média de gols dos artilheiros é de 7,7.

Todos os artilheiros da história da Copa do Brasil
- 1989: Gérson (Galo), com 7
- 1990: Bizu (Náutico), com 7
- 1991: Gérson (Galo), com 6
- 1992: Gérson (Inter), com 6
- 1993: Gilson (Grêmio), com 8
- 1994: Paulinho McLaren (Inter), com 6
- 1995: Sávio (Flamengo), com 7
- 1996: Luizão (Palmeiras), com 8
- 1997: Paulo Nunes (Grêmio), com 9
- 1998: Romário (Flamengo), com 7
- 1999: Romário (Flamengo) e Petkovic (Vitória), com 7
- 2000: Oséas (Crueiro), com 10
- 2001: Washington (Ponte Preta), com 12
- 2002: Deivid (Corinthians), com 13
- 2003: Nonato (Bahia), com 9
- 2004: Alex Alves (Botafogo) e Dauri (XV de Novembro), com 8 cada
- 2005: Fred (Cruzeiro), com 14
- 2006: Valdiram (Vasco), com 7
- 2007: André Lima (Botafogo), Dênis Marques (Atlético-PR), Dimba (Brasiliense) e Victor Simões (Figueirense), com 5 cada
- 2008: Edmundo (Vasco) e Romerito (Sport), com 6
- 2009: Taison (Internacional), com 7
- 2010: Neymar (Santos), com 11
- 2011: Alecsandro (Vasco), Rafael Coelho e William (Avaí), Adriano e Kléber (Palmeiras), com 5 cada
- 2012: Luis Fabiano (São Paulo), com 8
- 2013: Hernane (Flamengo), com 8
- 2014: Bill (Ceará), Gabriel (Santos) e Léo Gamalho (Santa Cruz), com 6 cada
- 2015: Gabriel (Santos), com 8
- 2016: Marinho (Vitória), com 6
- 2017: Léo Gamalho (Goiás), Lucas Barrios (Grêmio) e Rafael Sóbis (Cruzeiro), com 5 cada

*Sob a supervisão de Aigor Ojêda

E MAIS:
Facebook Lance Twitter Lance