Porto e Chelsea se enfrentam na Champions e jornalista português diz ao LANCE!: 'Nada é impossível'
menu button lance
lancelogo lancelogo lance

Porto e Chelsea se enfrentam na Champions e jornalista português diz ao LANCE!: 'Nada é impossível'

Juventus x Porto
Porto conseguiu classificação emocionante diante da Juventus nas oitavas de final (Foto: MARCO BERTORELLO / AFP)
João Brandão - 31/03/2021 - 12:18
Rio de Janeiro (RJ)
Na próxima semana, o Porto irá encarar o Chelsea pelas quartas de final da Champions League com o sonho de repetir o feito da temporada de 2003/2004. Em entrevista ao LANCE!, Pedro Morais, jornalista do Record, de Portugal, afirmou que o desafio dos Dragões para seguir vivo na competição é enorme, mas não impossível e que os torcedores podem se agarrar em superstições.

- No futebol nada é impossível. Há esse sonho por parte do clube, até pelo simbolismo de manter a lógica dos 17 anos - 1987 (Porto foi campeão da Taça dos Clubes Campeões Europeus), 2004 (Porto foi campeão da Liga dos Campeões) e 2021 -, mas também há consciência de que será muito complicado, sobretudo pela diferença orçamental que existe. No entanto, o dinheiro não compra tudo.


> Veja a tabela da Champions League

Além da diferença econômica entre os dois clubes, Morais alerta para os cuidados que o Porto deve ter ao enfrentar os ingleses nos dois duelos que serão disputados no Estádio Ramón Sánchez-Pizjuán, em Sevilha.

- Uma das maiores dificuldades do Porto esta temporada tem sido estancar as transições rápidas dos adversários, pelo menos no Campeonato Português. E esse é um dos pontos mais fortes do Chelsea, que tem vários jogadores rápidos e com capacidade de definição altíssima. Mas o Porto, se for organizado como tem sido até aqui na Champions League, pode travar esses pontos fortes dos londrinos.

Apesar dos portugueses estarem focados totalmente nos duelos marcados para os dias 7 e 13 de abril, a avaliação do sorteio e da chave é tida como positiva. Os Dragões conseguiram escapar do Bayern de Munique, Paris Saint-Germain e Manchester City e só enfrentam um desses adversários em uma eventual final.

- Nesta fase, qualquer equipe simbolizaria uma tarefa árdua, sobretudo para uma equipe que, perante a grande maioria dos torcedores dos clubes que ainda estão na competição, é vista como um “outsider”. Havia dois nomes a evitar - o Manchester City e o Bayern - e um que, pelo momento, poderia ser ligeiramente mais acessível que o Chelsea - o Borussia Dortmund -, mas qualquer opção seria difícil de derrotar.

Confira outros trechos da entrevista com Pedro Morais:

LANCE!: Como está a expectativa dos torcedores e da imprensa com relação ao Porto nesta Champions League?

Pedro Morais: Depois do Porto eliminar a Juventus, em Turim, creio que uma parte considerável do universo portista estará confiante de que é possível voltar a surpreender. Apesar de ciente das dificuldades que qualquer equipe acarreta nesta fase da competição, muitos fãs acreditam que, com o mesmo espírito de sacrifício e a mesma determinação demonstrada contra a Velha Senhora, tudo é possível.

L!: Existe mais confiança ou cautela com relação ao confronto contra o Chelsea?

PM: Há um grande equilíbrio. Existe um enorme respeito pelo Chelsea e pelo poderio que os londrinos têm, mas também há muita confiança dentro do time. Os jogadores acreditam nas suas capacidades e já demonstraram várias vezes esta temporada, sobretudo na Liga dos Campeões, que têm boas razões para se manterem moralizados.

L!: Como é avaliado o trabalho do Sérgio Conceição?

PM: Dentro do universo do Porto, o Sérgio é quase consensual. Chegou em uma altura difícil para o clube e conquistou o título de campeão nacional logo no primeiro ano. De lá para cá, mesmo com parte dos problemas não estarem resolvidos, ganhou mais quatro troféus, juntando-lhes na esmagadora maioria das temporadas boas campanhas na Europa.

L!: Portugal tem a melhor escola de treinadores atualmente?

PM: Portugal tem muitos treinadores de qualidade. Há um grande entendimento do jogo e um gosto enorme pelo método. Os técnicos portugueses são, no geral, muito metódicos e trabalham taticamente as suas equipes com muito rigor. Por isso, Portugal é seguramente um dos países com melhor capacidade de exportar treinadores atualmente.


E MAIS:
Facebook Lance Twitter Lance