Por questões políticas, Özil anuncia aposentadoria da seleção alemã
menu button lance
lancelogo lancelogo lance

Por questões políticas, Özil anuncia aposentadoria da seleção alemã

Ozil (Alemanha)
Özil disputou 92 partidas pela seleção da Alemanha (Foto: AFP/KENZO TRIBOUILLARD)
LANCE! - 22/07/2018 - 16:42
Berlim (ALE)
Mesut Özil não jogará mais pela Alemanha. Em tom de despedida, o jogador emitiu um comunicado via Twitter anunciando sua decisão. O meia do Arsenal justificou sua saída da seleção por considerar perseguido pela Federação Alemã de Futebol.

Frequentemente, o jogador expressa suas opiniões favoráveis à imigração e ao multiculturalismo na Alemanha. Özil tem ascendência turca. Suas críticas foram direcionadas ao presidente da Federação Alemã, Reinhard Grindel.


- Em 2004, enquanto você (Grindel) era membro do Parlamento (alemão), você reclamou que "o multiculturalismo é na verdade um mito, uma mentira duradoura", enquanto votava contra a legislação favorável à duplas nacionalidades e às punições por subornos, e também disse que a cultura islâmica se tornou muito entranhada em muitas cidades alemãs. Isto é imperdoável e não se pode esquecer - declarou Özil.

Özil e presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdoğan
Özil com o presidente da Turquia (Foto: Hayhan Ozer / AFP)
A crise entre o jogador e a federação ficou ainda mais evidente após uma foto de Özil e Ilkay Gündogan, outro jogador da seleção alemã, junto com o presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdoğan, no dia 13 de maio, em Londres. O meia afirmou que não quis entrar em polêmica, mas a imagem desagradou a entidade.

- O tratamento que eu recebi da DFB e de muitos outros me fazem não mais querer vestir a camisa da seleção da Alemanha. Eu não me sinto querido e acho que tudo o que eu conquistei desde a minha estreia internacional (na seleção), em 2009, foi esquecido.

No comunicado, que tem três folhas, Özil também se defende das acusações de que a foto com o presidente turco tenha cunho político e declarou que faria mais uma vez.

- Para mim, ter uma foto com o presidente Erdogan não tem a ver com política ou eleições, mas com o respeito que tenho ao mais alto cargo do país de minha família. Meu trabalho é ser um jogador de futebol e não um político. De fato, nós falamos sobre futebol sempre que nos encontramos, já que ele também era jogador na juventude – diz um trecho do documento. - Eu sei que isso pode ser difícil de entender. Um líder político não pode ser separado da pessoa. Mas neste caso é diferente. Eu faria a foto novamente.

E MAIS:
Facebook Lance Twitter Lance