Fluminense muda postura e preza por competitividade em empréstimos
menu button lance
lancelogo lancelogo lance

Fluminense muda postura e preza por competitividade em empréstimos

Ramon x Matheus Alessandro
Ramon e Matheus Alessandro foram emprestados (Foto: Divulgação) 
Marcello Neves - 11/01/2019 - 08:00
Rio de Janeiro (RJ) 
O modelo é simples: jogador jovem, com qualidade, mas que precisa de experiência antes de ser aproveitado. O Fluminense adotou uma linha importante nesta janela de transferências: empréstimos com base na competitividade. Os casos recentes de Ramon e Matheus Alessandro, principalmente, mostram a nova palavra a ser seguida na montagem do elenco e adotada pela diretoria: rodagem. 

Exemplos práticos desse modelo têm nomes: Wellington Nem e Ayrton Lucas. O atacante ganhou destaque após a Copinha de 2011, e, sem espaço no elenco principal, foi emprestado ao Figueirense. No retorno, foi peça fundamental do título brasileiro de 2012. O lateral foi ao Londrina e retornou sendo titular absoluto até ser vendido ao Spartak Moscou (RUS). 

Aos 20 anos, Ramon vive expectativa parecida. Também é uma joia promissora e tinha a sua venda encaminhada para o Real Madrid, mas não foi aprovado nos exames médicos e voltou ao Fluminense, onde estourou o limite de idade e não pode ser mais aproveitado pela base. Foi emprestado ao CSA, onde deve ser titular e disputará a Série A em 2019. 

É o caso parecido com o de Matheus Alessandro, de 22 anos. O atacante tinha propostas do futebol chinês, japonês e turco, mas a escolha foi pela Fortaleza, após pedido de Rogério Ceni. Decisão duplamente favorável: o atacante ficará próximo ao radar do Fluminense, que avaliará o seu desenvolvimento, e o atacante também terá a chance de disputar a primeira divisão. 

Outro que será observado é Reginaldo, zagueiro que foi emprestado para a Ponte Preta. Mesmo com idade já avançar, é dos atletas que estão na linha "precisam de rodagem no elenco do Fluminense. Assim como Fernando Neto, que foi emprestado ao Paraná. Ambos disputarão a Série B, que é vista como mais competitivas que torneios internacionais de países distantes. 

Facebook Lance Twitter Lance