Com quarta pior defesa, Fluminense aquece disputa após crescimento de Luccas Claro e Digão
menu button lance
lancelogo lancelogo lance

Com quarta pior defesa, Fluminense aquece disputa após crescimento de Luccas Claro e Digão

Digão, Luccas Claro, Nino e Matheus Ferraz - Fluminense
Digão, Luccas Claro, Nino e Matheus Ferraz brigam por vagas na zaga tricolor (Fotos: Divulgação/Fluminense FC)
Luiza Sá - 15/09/2020 - 06:00
Rio de Janeiro (RJ)
É bem verdade que o ataque é o setor que gera mais dúvidas no Fluminense, tanto internamente quanto por parte da torcida. No entanto, a defesa também vem passando por alterações em quase todas as partidas recentes. Mas o motivo não é necessariamente ruim. Antes preteridos, Digão e Luccas Claro cresceram e esquentaram a disputa por vagas na equipe do técnico Odair Hellmann, que usou três duplas diferentes em dois meses. Apesar disso, os números ainda são bem abaixo do esperado.

Desde o início do Campeonato Brasileiro, o Tricolor saiu de uma partida sem sofrer gols apenas uma vez na competição, contra o Athletico-PR. Foram 13 gols sofridos em 10 jogos. Esse número faz do Fluminense o time com a quarta pior defesa do Brasileirão, empatado com Goiás, Sport e Flamengo. Red Bull Bragantino, com 16, Bahia, com 15, e Corinthians, com 14, estão à frente na lista, alguns deles com um jogo a menos.

Para a partida da Copa do Brasil, a dupla titular deve sofrer alterações novamente. Digão saiu com dores contra o Corinthians e Nino provavelmente retornará ao posto que antes era indiscutivelmente seu desde que voltou do Pré-Olímpico com a Seleção Brasileira. Antes disso, inclusive, com o jovem fora e Matheus Ferraz ainda longe dos 100% por uma lesão grave, Digão e Luccas Claro fizeram parceria em boa parte dos jogos no início da Taça Guanabara. No entanto, eles passaram a ser terceira e quarta opção.

Luccas, que não jogava desde fevereiro, aproveitou as lesões de Digão e Ferraz para se estabelecer e não sair mais da equipe, apenas quando foi poupado, contra o Atlético-GO. Neste jogo, Digão foi o escolhido para "tapar o buraco", assim como aconteceu contra o Atlhetico. No entanto, no Fla-Flu ele foi escolhido e desbancou Nino, assim como no jogo deste domingo, com o Corinthians.


E MAIS:
Detalhes que decidem

Odair Hellmann frequentemente menciona "detalhes que decidem as partidas", normalmente contra o Flu, em suas entrevistas coletivas. E para entender as constantes trocas também é preciso analisar justamente esses pequenos lances que vem mudando todas as partidas do Fluminense, para o bem e para o mal. De gols no início ou no fim até algumas falhas, tudo passa pelo setor defensivo.

Em um recorte das últimas partidas, Nino falhou no gol do Corinthians e no lance que gerou a expulsão de Hudson, contra o Atlético-GO. O jovem também deu o bote errado no segundo gol do São Paulo e ainda contou com falha generalizada de marcação para Luciano aparecer sozinho na área, algo que também aconteceu no terceiro, marcado por Victor Bueno. No primeiro, que deu o empate à equipe paulista, Egídio marcou mal. Luccas Claro não foi bem no posicionamento em um dos gols do Flamengo. Contra o Vasco, já nos minutos finais, Talles Magno apareceu livre para aproveitar o rebote e diminuir.

Muitos destes lances estão surgindo das laterais do campo, seja com cruzamentos na área com bola rolando ou em cobranças de falta. A marcação por zona feita pelo Flu frequentemente apresenta brechas e, por isso, a equipe tem se complicado.

- Trabalhamos, visualizamos os gols que a gente leva. Claro que quando o adversário consegue chegar com profundidade pelo lado, com um bom cruzamento ele dá perigo. Nós também, quando conseguimos essa jogada. Temos conversado bastante, porque não conseguimos trabalhar, ir para o campo fazer esse enfrentamento e esse tipo de trabalho, além de mostrar os vídeos. Mas temos ido bem. Sempre que o que corrigir, mas vamos corrigir ganhando - disse o técnico Odair Hellmann após a vitória contra o Corinthians.

- Temos que corrigir essa situação de tomar o gol no final, já tinha acontecido contra o Vasco. Não pode levar esses gols desta maneira, mesmo vencendo, porque você oportuniza o adversário que não foi melhor e não jogou para vencê-lo a entrar na partida de novo. É ter atenção aos detalhes. Levamos gol cedo no último jogo e agora fizemos um gol cedo - completou.

O Fluminense volta a entrar em campo nesta quarta-feira, às 21h30, contra o Atlético-GO. A partida é válida pelo confronto de ida pela quarta fase da Copa do Brasil.


Facebook Lance Twitter Lance