Daniel sobe 'Plano Xerém', e Flu lucra mais de R$ 8 mi com emprestados
menu button lance
lancelogo lancelogo lance

Daniel sobe 'Plano Xerém', e Flu lucra mais de R$ 8 mi com emprestados

Montagem Fluminense
Wellington Nem, Daniel, Ayrton Lucas e Marcos Calazans são alguns que retornaram ao Flu (Foto: Divulgação/FFC)
Marcello Neves - 08/08/2018 - 06:00
Rio de Janeiro (RJ) 
O Fluminense é reconhecido por ter uma das melhores categorias de base do Brasil, e Xerém soma papel fundamental para ajudar a driblar os problemas financeiros e fortalecer o clube. O caso mais recente é o de Daniel Simões, que voltou de empréstimo para ajudar Junior Sornoza no setor de meio de campo. O retorno não foi por acaso e, além da necessidade clara no elenco, faz parte do projeto "Plano de Carreira de Xerém", que chama atenção pelo ganho técnico e financeiro vivido nos últimos anos. 

O projeto empresta jovens atletas que não estão sendo aproveitados no elenco principal para outras equipes do Brasil ou do exterior. Após se destacar na conquista do Brasileirão Sub-20, Daniel logo caiu nas graças da torcida. Porém, não teve tantas oportunidades e acabou sendo emprestado para ganhar mais experiência. Com o projeto, o Tricolor tem a chance de reaproveitar o atleta após três empréstimos. 

- O Fluminense trabalha de uma forma diferente da maioria dos clubes do Brasil em relação a base. O nosso projeto Plano de Carreira é uma dessas forma de trabalhar, que vem se destacando. É um projeto importante para Xerém e para o clube não só na parte técnica, com jogadores que chegam na equipe principal com boa rodagem e muitas vezes até mesmo internacional, como Calazans, Pablo Dyego, Ayrton Lucas, por exemplo. É um projeto que também ajuda na parte financeira, já que conseguimos fazer diversas vendas de atletas que estavam sem espaço no elenco principal do clube - declarou o diretor esportiva da base Marcelo Teixeira. 

A história de Daniel não é a primeira no Fluminense. Outros atletas também fizeram parte do projeto e voltaram para Laranjeiras, casos como Wellington Nem, Ayrton Lucas, Pablo Dyego, Marcos Calazans, Marcos Júnior e Gustavo Scarpa. O custo é avaliado em menos de R$ 1 milhão por ano.

Por outro lado, o Tricolor já arrecadou mais de R$ 8 milhões com atletas que foram vendidos enquanto estavam emprestados, como o caso de Biro Biro, Eduardo, Samuel e Ailton. Isso sem contar os atletas que renderam dinheiro pelo empréstimo, como Luiz Fernando e Matheus Alves.

Atualmente o Flu possui mais 14 jogadores no projeto: Wellington Silva, Mascarenhas, Paulinho, Léo Pelé, João Vitor, Derlan, Eduardo, Fernandinho, Peu, Matheus Alves, William, Nogueira, Lucas Fernandes e Luiz Fernando ainda esperam a sua oportunidade de poder voltar para a equipe profissional tricolor.


E MAIS:
Facebook Lance Twitter Lance