Edílson sobre rusga com Ceni: 'Ele errou ao me expor'
menu button lance
lancelogo lancelogo lance

Edílson sobre rusga com Ceni: 'Ele errou ao me expor'

Edílson
Edilson viveu uma relação de embates dom Ceni quando ele esteve no Cruzeiro-(Vinnicius Silva/Cruzeiro)
Valinor Conteúdo - 25/10/2019 - 14:58
Belo Horizonte
O jogo entre Cruzeiro e Fortaleza, neste sábado, 26 de outubro, às 21h, no Mineirão, ganhou status de decisão não só pelo confronto direto na luta contra o rebaixamento das duas equipes, mas principalmente por ter reencontros com potencial explosivo.

Alguns jogadores do elenco celeste vão estar frente a frente com Rogério Ceni, ex-treinador da Raposa, que deixou o clube por divergências com alguns atletas, tendo no meia Thiago Neves e no lateral-direito Edílson os casos mais emblemáticos.

Thiago já declarou que não pretende cumprimentar o técnico antes do jogo por julgar desnecessário. Edílson, em coletiva na Toca da Raposa, nesta sexta-feira, 25, também comentou a relação com o ex-comandante de forma pouco elogiosa.

Edílson foi barrado por Ceni, alegando que o lateral não estava em boas condições físicas optando por improvisações. Isso incomodou o jogador que se sentiu exposto pelo treinador.

-Eu acho que o Rogério errou ao me expor, assim como outros jogadores. Isso também será um aprendizado para a carreira dele, pois a gestão do grupo faz toda a diferença. Mas já está superado. Ele tem toda uma carreira de técnico pela frente e saberá ajustar essas coisas- disse.

Edilson contou sobre a conversa que teve com Rogério quando o técnico afirmou que ele não estava em boa forma física para atuar na semifinal da Copa do Brasil, contra o Internacional.

- Na primeira semana, quando o Rogério chegou, ele me falou que eu estava mal fisicamente. Eu lhe disse: "Sim, Rogério. Realmente estou". Fiquei dois meses parado. Estava lesionado e tive uma semana de treinamentos até o jogo contra o Avaí. Mesmo assim, eu viajei porque o time estava numa situação ruim. Nem esperava entrar, pois o Orejuela estava jogando. Queria ajudar de alguma forma no vestiário ou algo assim, mas todos nós sabíamos que eu não tinha condições de atuar. Quando o Rogério assumiu, eu fiquei praticamente três semanas treinando e me preparando para decisão contra o Inter. Eu já estava pronto, estava confiante. Acho que perdi a oportunidade de ajudar meus companheiros e a mim mesmo de ganhar mais um título- contou.

Com a chegada de Abel Braga, Edilson ganhou espaço no time, ocupando a lateral-direita na ausência de Orejuela, sendo titular contra Fluminense e São Paulo. Para ele, a fase é outra.


E MAIS:
- Acredito que todo o grupo vem evoluindo e estamos muito confiantes. Eu sempre quis trabalhar com o Abel, um treinador vitorioso e com uma linda história no futebol. As boas atuações eu já estava buscando há bastante tempo e a fase ruim me incomodava mais do que ninguém. Com o Abel, a equipe está ganhando corpo e estou conseguindo fazer o que sempre fiz - disse.

O jogador quer retomar a vaga de titular, pois Orejuela criou um intensa disputa pela posição, mostrando bom futebol desde que assumiu a camisa 2 cruzeirense.

- É nisso que estou mirando. A disputa com o Orejuela é sadia e o grupo só tem a ganhar com isso. Todos se cobrando, dando o máximo. É assim que vamos tirar o Cruzeiro dessa situação. Se eu não pensar na titularidade, nem posso pensar em jogar futebol. Nunca fui acomodado e estou aqui pra ajudar o Cruzeiro dentro de campo. A disputa é sadia. E obriga o outro a não se acomodar, faz o atleta a não se sentir dono da posição. Buscando sempre o melhor, treinamos e jogamos tentando fazer o máximo. E isso vai se refletir em bons resultados, sem dúvida - disse.

Duelos pessoais à parte, a Raposa tenta bater o Fortaleza, que tem 31 pontos, e sair do Z4. O time mineiro está com 28 pontos e além de vencer, terá de torcer para tropeços de Ceará e Fluminense, para deixar a zona do rebaixamento.




E MAIS:
Facebook Lance Twitter Lance