No dia do canhoto, um gol de direita que entrou para a história da Raposa
menu button lance
lancelogo lancelogo lance

No dia do canhoto, um gol de direita que entrou para a história da Raposa

Elivelton foi o autor do gol sobre o Sporting Cristal na decisão de 1997
Reprodução/Rede Globo
Valinor Conteúdo - 13/08/2018 - 17:08
Belo Horizonte
O dia 13 de agosto  é celebrado o dia do canhoto. Cerca de 12% da população  mundial tem o lado esquerdo dominante nas ações do dia a dia. Inclusive craques da bola. Porém, este mesmo dia tem sabor especial para o torcedor do Cruzeiro Há 21 anos, a Raposa conquistava o bicampeonato da Copa Libertadores da América em cima do Sporting Cristal do Peru.

O 1 a 0 no Mineirão lotado colocou o time celeste definitivamente entre os grandes do continente. E o gol da conquista foi de direita marcado por um canhoto. 

E o responsável pela glória celeste naquele dia, o atacante Elivelton, sempre se notabilizou pelos gols e dribles com a perna esquerda. Mas, no jogo final, pegou o rebote da defesa peruana e acertou um belo chite de direita, selando o segundo título azul. 

- Esse título foi de superação e de honra, Quando ganhamos do Grêmio, no último jogo da fase de grupos, era dado como certo a eliminação do nosso time. fomos lá, vencemos e seguimos em frente. Era um grupo forte, de muito caráter. É emocionante lembrar disso", disse em vista à Toca da Raposa 1. 

Apoio na hora certa

Elivelton cita a força da torcida e sua importância momentos antes do gol do título.
- O jogo estava ficando cada vez mais duro. O Dida(goleiro)  tinha feito uma defesa milagrosa. O tempo passava e ficamos nervosos sem o gol. A torcida ao invés de ficar impaciente, começou a nos apoiar ainda mais. Esse estímulo foi fundamenta, pois pouco depois, eu fiz o  gol", contou. 

Gol de direita feito por um canhoto

- O gol saiu do lado direito do campo. Eu sempre fiquei do lado esquerdo para pegar o rebote. Foi um acaso que deu certo. Quando o escanteio foi batido, corri para a direita quando a bola saiu da área e consegui acertar de pé direito. Posso falar que foi outro gol diferente de título do Cruzeiro, como na primeira Libertadores, quando o Joãozinho bateu a falta no lugar do Nelinho. Meu gol de direita foi abençoado e graças a Deus deu muito certo o chute com o pé "fraco", finalizou. 

Mate a saudade do gol de Elivelton aqui

E MAIS:
Facebook Lance Twitter Lance