Cruzeiro aumenta 'birra' com André Cury, agente de David e Éderson
menu button lance
lancelogo lancelogo lance

Cruzeiro aumenta 'birra' com André Cury, agente de David e Éderson

Carlos Ferreira disse que André Cury é "persona non grata" no clube mineiro
Carlos Ferreira disse que André Cury é "persona non grata" no clube mineiro-(Bruno Haddad/Cruzeiro)
Valinor Conteúdo - 06/02/2020 - 18:33
Belo Horizonte
O interlocutor do futebol no Cruzeiro, Carlos Ferreira, que faz a ponte do dia a dia no clube com o conselho gestor do Cruzeiro, falou sobre a saída do atacante David, para o Fortaleza, depois de conseguir uma liminar na Justiça, que o liberou do seu contrato com a Raposa, e do processo envolvendo o volante Éderson contra o clube.

Ferreira também comentou em entrevista à Rádio 98FM, sobre o atrito envolvendo a Raposa e o empresário de David e Éderson, André Cury, que é considerado “persona non grata” no Cruzeiro, por ser considerado o artífice das ações judiciais dos dois atletas contra o clube mineiro.


- O mínimo que os parceiros de tantos anos do Cruzeiro deviam ter feito era nos procurar e relatar os fatos que estavam acontecendo. Nós não tínhamos conhecimento desses fatos do Éderson e David. Enfim, ao contrário dessa boa fé, eles esperaram dias e horas para ansiosamente adquirir o direito da ação. Então, não é uma conduta de alguém que se diz parceiro, que não quer prejudicar o Cruzeiro. Eu acho que, pela parceria, lealdade ao Cruzeiro, sabendo do momento caótico que vivia politicamente e financeiramente o Cruzeiro, (deveria) nos procurar: "Olha, tem essa situação, temos um problema com Éderson, David. Vamos sentar aqui e resolver essa questão". Essa seria a conduta de alguém que é parceiro e quer o bem do clube. É um direito dele? É um direito, mas moralmente deveria ter feito isso, e ele o não fez - disse Carlos Ferreira.


E MAIS:
Éderson e David foram à Justiça do Trabalho contra o Cruzeiro para cobrar dívidas do clube. Salários, 13º, férias e FGTS e direitos de imagem são questionados pelos jogadores. Carlos Ferreira contesta o valor das ações judiciais.

- Esse tanto de milhões que o André colocou, se for olhar ponto por ponto, você chega à conclusão que todos esses números foram reproduzidos por ele (André Cury), pois verdadeiramente o Cruzeiro devia para o David R$ 1.126.000,00 e para o Éderson R$ 338.000,00. São dois ativos do clube. Se o André fosse realmente parceiro do clube, ele teria conversado com a gente, e resolveríamos isso. Com esses dois, seriam nada mais, nada menos, do que R$ 30 milhões para o Cruzeiro, que poderiam nos ajudar com a dívida da FIFA. Então, legalmente, nós reconhecemos que os jogadores tinham o direito, mas moralmente não, pois sabiam que o Cruzeiro devia, do momento que o clube estava vivendo, tanto econômica, como política. O clube vivia um colapso, e nós entramos para apagar incêndio, portanto a conduta do André deveria ser diferente da que foi -disse, que afirmou querer resolver rapidamente o caso do volante de 20 anos.

-O Éderson, caso não queira permanecer, entendemos o lado dele, porém, o mais importante é a resolução rápida disso, pois precisamos gastar energia com coisas mais importantes do que isso. Então, espero que tenhamos um final feliz nessa história: Cruzeiro, André Cury, David e Éderson-explicou.

Cury, também em entrevista à Rádio 98FM, o empresário André Cury afirmou que Éderson não quer permanecer no clube e que o desejo é negociar.

- Os jogadores não querem mais permanecer, mas estão todos abertos a fazer um acordo com o Cruzeiro, ninguém quer prejudicar o Cruzeiro. Querem seguir sua vida e fazer o que sabem, que é jogar futebol. tranquilo em paz e sem dar prejuízo para o Cruzeiro. Está aberto quitar as multas, perdoar salário atrasado, nós estamos perdoando dívida com agente, ingressando dinheiro no clube, para tentar resolver o imbróglio - disse André Cury.

Cruzeiro, Éderson e André Cury se reuniram esta semana para tentar um acordo fora dos tribunais. Todavia, as conversas não foram para frente. Uma audiência entre as partes está marcada para o dia 19 de fevereiro, para tentar uma conciliação que seja boa para todos os lados. 


E MAIS:
Facebook Lance Twitter Lance