Corinthians 'vira banco', explica patrocínio e projeta novidades à Fiel
menu button lance
lancelogo lancelogo lance

Corinthians 'vira banco', explica patrocínio e projeta novidades à Fiel

Corinthians explica acordo com o BMG
Guilherme Amaro
Guilherme Amaro - 22/01/2019 - 18:23
São Paulo (SP)
Corinthians e BMG explicaram nesta terça-feira como será o contrato válido por duas temporadas. Além do patrocínio master, estampando o principal espaço na camisa, o clube e o banco vão fazer ações para alavancar as receitas.

Em até 40 dias, após o Carnaval, um aplicativo chamado Meu Corinthians BMG estará disponível. A cada movimentação realizada, o Timão ficará com 50% do lucro. Com isso, o clube vai "virar banco" e ganhar um valor "incalculável" de acordo com o número de clientes.

No anúncio realizado na semana passada, o diretor de marketing do Corinthians, Luis Paulo Rosenberg tinha falado em R$ 30 milhões. Esse valor é calculado já com uma base de torcedores que vão aderir ao Meu Corinthians BMG. Nesta terça, o presidente Andrés Sanchez explicou o acordo e disse que terá "novidades" a cada 200 mil usuários.



- Não teve participação de empresários ou agências de publicidade, isso foi feito direto entre o BMG e o Corinthians. É uma coisa nova, inovadora, é uma parceria, não simplesmente um outdoor na camisa. É convocar a nação corintiana para abrir conta, daqui a 30 dias terá a plataforma Meu Corinthians BMG. A partir do momento que você abrir a sua conta digital gratuitamente, poderá usar todos os produtos do banco. Minha função é brigar com o banco para ser o mais barato possível. O BMG não tem participação nenhuma em jogadores nem hoje nem no futuro. Mas é óbvio que, por ser patrocinador máster, podemos usar o adiantamento para trazer jogadores. Não tem valor o patrocínio, quem vai determinar é a nação corintiana. Cada produto que comprar, o Corinthians terá 50%. É incalculável o valor - discursou Andrés.

- Torcedor pode ficar tranquilo: vão chegar mais jogadores. Quando tiver 200 mil contas abertas no Meu Corinthians BMG, teremos novidades - projetou.

E MAIS:
VEJA ABAIXO AS EXPLICAÇÕES DE LUIS PAULO ROSENBERG E DO ACIONISTA DO BMG RICARDO GUIMARÃES.

Rosenberg:


"Na verdade, eu não sei como está isso, mas o Corinthians está virando banco. No seguinte sentido: foi criada uma plataforma digital e, nesse banco, o Corinthians é dono de metade. Assim é que foi fixado. Nós, como Corinthians, queremos saber quanto vem. Então fizemos várias simulações. Mas a melhor comprovação da crença do banco em relação ao que pode vir é quanto ele está disposto a colocar no momento inicial. Vocês acompanham todos os contratos de patrocínio. Alguém já ouviu falar num contrato em que no primeiro dia é depositado R$ 30 milhões? Esse número pode chegar a R$ 50 milhões, R$ 70 milhões..."

"Eu tenho salientado para vocês nessas últimas divulgações de patrocínio que o foco que o marketing do Corinthians está tentando dar é com parcerias, não patrocínios isolados. Vocês viram com Poty, Joli, Positivo... Sempre o ganho do patrocinador é compartilhado com o Corinthians"

Ricardo Guimarães:

"É um modelo inédito, não é simplesmente um patrocínio, como a gente está acostumado a ver. O que estamos fazendo é juntando marketing com negócios. O BMG desenvolveu uma plataforma de banco para torcedor e estamos dando início com o Corinthians. Vamos criar um aplicativo para o torcedor que vai chamar Meu Corinthians BMG, tudo o que for feito será compartilhado entre o banco e o clube. É importante dizer que vamos estar estimulando o torcedor a usar esse aplicativo, mas fazendo as operações que ele já faz no mercado financeiro. Vamos tentar desenvolver e ter a maior oferta de produtos ao torcedor. Além de o torcedor ser muito bem atendido e taxas compatíveis com o mercado, tudo o que ele fizer através do aplicativo terá retorno ao Corinthians. O clube vai compartilhar com o banco os resultados apurados com a torcida"

"O tamanho dessa parceria vai ser, como o Rosenberg já disse, é ilimitado. O torcedor é que vai calibrar o valor que o Corinthians vai receber. É uma parceria ganha-ganha-ganha. É bom para o banco, que aumenta a sua base de clientes, para o Corinthians, que aumenta sua receitas, e bom para o torcedor que pode construir um time mais forte ainda"

"Esse aplicativo que estamos lançando deve estar no ar em 30 ou 40 dias, talvez depois do Carnaval. Cada continha aberta, se gerar lucro para o banco, vai ser compartilhado com o Corinthians. Cada centavo aplicado ou empréstimo tomado, será compartilhado com o Corinthians de forma relevante para o Corinthians"

"O relacionamento do BMG é com o Corinthians, queremos crescer isso. Não tem disputa nenhuma com a patrocinadora do Palmeiras, que por sinal é uma empresa de sucesso, que respeitamos bastante. Não queremos disputar nada com ela. Disputa é mais entre torcedores de clubes, pois só tem um vencedor. Instituições podem ter boas relações, pois pode haver mais de um vencedor. Se tiver uma disputa saudável entre as torcidas, é até salutar, mas não entre nós, patrocinadores. O BMG tá criando essa plataforma em que o Corinthians é praticamente sócio, mas também desenvolveu uma plataforma de banco para o torcedor. A partir dessa experiencia, queremos desenvolver outras parcerias. Estamos em conversa adiantada com o Atlético e podemos participar com um ou mais outros clubes neste momento"

Facebook Lance Twitter Lance