L! Espresso: Corinthians contrata atleta preso por agredir mulher horas após apoiar Lei Maria da Penha
menu button lance
lancelogo lancelogo lance

L! Espresso: Corinthians contrata atleta preso por agredir mulher horas após apoiar Lei Maria da Penha

Juninho Sport
Juninho já foi indiciado por agressão contra a ex-namorada (Foto: Williams Aguiar/Sport)
Luiz Fernando Gomes - 08/08/2018 - 08:32
São Paulo (SP)
A lembrança aos 12 anos da Lei Maria da Penha, criada para coibir e punir crimes contra a mulher, ocorre na semana em que o Brasil aparece entre os cinco países com mais casos de feminicídio no mundo e com a sociedade atordoada com casos chocantes recentes, como o da advogada Tatiane Spitzner, brutalmente agredida pelo marido até despencar do quarto andar de um prédio no Paraná. Toda ação para ajudar a combater esse tipo de covardia é bem-vinda, e o esporte fez a sua parte nesse sentido. Mas essa louvável postura costuma vir de personalidades e de setores dos clubes mais sintonizados com a realidade, já que dirigentes de futebol são altamente capazes de transformar atos de solidariedade em um descaso com o próprio discurso. O Corinthians foi um dos clubes a usar seus perfis nas redes sociais nesta terça-feira para incentivar torcedores a não se calarem ao assédio e à violência contra a mulher, denunciando no telefone 180. Horas depois, o departamento de futebol alvinegro acertou junto ao Sport a contratação por empréstimo do atacante Juninho, de 19 anos e com uma extensa ficha de problemas. O mais grave deles: agressão a uma ex-namorada, em outubro de 2017, um dos delitos pelos quais será julgado em dezembro, além de ameaça e injúria. Sim, é isso mesmo: no dia em que se posicionou perante a torcida como um porta-voz pela igualdade e contra a violência, o Corinthians contratou um jogador preso por agredir uma mulher. Faltam adjetivos para definir esse absurdo, que tristemente escancara como o futebol vive em um plano paralelo, de atletas a dirigentes, sem a mínima noção de respeito e senso coletivo. A reação de revolta dos corintianos foi imediata nas redes sociais, mas o silêncio da diretoria prevaleceu à repercussão. Segundo o Ministério dos Direitos Humanos, 2018 já acumula mais de 73 mil denúncias de violência contra a mulher, mas o departamento de futebol do Corinthians não parece preocupado com a situação.

Quer ler mais opinião e informação todos os dias? O LANCE! Espresso é uma newsletter gratuita que chega de manhã ao seu e-mail, de segunda a sexta. É uma leitura rápida e saborosa como aquele cafezinho de todos os dias, que vai colocar você por dentro das principais notícias do esporte. A marca registrada do jornalismo do LANCE!, com análises e contextualização de Luiz Fernando Gomes. Clique aqui e inscreva-se.

E MAIS:
Facebook Lance Twitter Lance