Declaração de Andrés Sanchez gera carta de repúdio de grupo armênio
menu button lance
lancelogo lancelogo lance

Declaração de Andrés Sanchez gera carta de repúdio de grupo armênio

Andrés Sanchez
Mandatário se desculpou da declaração por meio também de uma carta (Foto: Rodrigo Coca/ Ag. Corinthians)
LANCE! - 30/07/2020 - 15:30
São Paulo (SP)
O Comitê das Entidades da Coletividade Armênia do Brasil emitiu uma carta aberta endereçada a Andrés Sanchez, presidente do Corinthians, na última quarta-feira. O documento em questão, que depois foi respondido pelo mandatário, mostrava indignação pelo fato de Andrés ter chamado de turco um brasileiro descendente de armênio.

Como explicado na carta (apresentada na íntegra mais abaixo), o povo armênio sofreu historicamente nas mãos do Império Turco Otomano, sendo um dos maiores exemplos o ano de 1915, quando cerca de 1,5 milhão de armênios foram perseguidos e mortos. A situação na qual Andrés Sanchez se envolveu aconteceu no dia 25 de julho, durante uma coletiva de imprensa, quando o presidente corintiano disse:

- Tem gente falando que a gente, no Parque São Jorge, precisa de professor de português. O duro é que é um turco indicando professor de português. Infelizmente, realmente, muitos corintianos precisam. Como eu, que não tenho formação universitária, fiz o ginásio malfeito, mas se a gente precisar, temos capacidade de procurar um professor de português, não precisa de um turco indicar, não.

E MAIS:
Apesar de não ter dado nomes, a comunidade armênia entendeu que a crítica e, portanto, a generalização de “turco” foi direcionada a Sergio Janikian, que foi diretor de futebol do clube em 2015 e que faz parte atualmente da chapa "Reconstrução Corinthiana", que tem Mário Gobbi Filho como candidato.

Confira abaixo a carta aberta na íntegra, emitida pela Comitê das Entidades da Coletividade Armênia do Brasil e assinada por 13 entidades:

CARTA ABERTA AO PRESIDENTE DO SPORT CLUB CORINTHIANS PAULISTA SR. ANDRÉS NAVARRO SANCHEZ

A Comunidade Armênia do Brasil vem respeitosamente se manifestar sobre a entrevista coletiva concedida pelo notório presidente do Sport Club Corinthians Paulista Andrés Navarro Sanchez, em 25 de julho de 2020.
Em abril de 1915, o Império Turco Otomano perpetrou contra o povo armênio aquele que seria conhecido como o primeiro genocídio do Século 20, em que cerca de 1,5 milhão de armênios foram perseguidos e massacrados de maneira vil e impiedosa.
Com relação a este triste evento, o Sr. Andrés Navarro Sanchez nos honrou com a permissão da entrada de uma faixa alusiva a este genocídio, carregada pelo time, no jogo Corinthians e Chapecoense, realizado em 24/04/2019.
Esta nobre consideração nos deixou muito honrados e ensejou de nossa parte os devidos agradecimentos em carta enviada diretamente ao Sr. Andrés Navarro Sanchez.
Sendo assim, nossa perplexidade transcende os assuntos internos do Sport Club Corinthians Paulista e as diferenças que possam existir dentro das várias correntes internas do clube.
O fato é que nossa Comunidade se sentiu indignada com relação à generalização atribuída a um brasileiro descendente de armênios que faz parte do clube, chamando-o de turco durante entrevista coletiva que foi concedida no último sábado, dia 25 de julho deste ano, a todos os grandes órgãos da imprensa esportiva.
A história de sofrimento de nosso povo impingida pelo Império Turco Otomano não pode ser arranhada ou desprezada com colocações dessa natureza.
Como agravo a esta situação, nesta semana o povo armênio foi mais uma vez covardemente atacado pelo Governo do Azerbaijão com o apoio explícito do Governo turco.
Na certeza de vossa compreensão e autocrítica, com a dimensão histórica dos fatos e considerando a grande estima que temos por sua pessoa, estamos certos de que haverá de sua parte a devida retratação para com a Comunidade Armênia do Brasil.
Atenciosamente,
Associação Beneficente de Damas Brasil Armênia HOM filial Arpi - Silva V. Kahtalian
Associação Beneficente de Damas Brasil Armênia HOM filialMassis -Sonia Sanazar Tarpinian
Associação Cultural Armênia De São Paulo – ACASP - TroGomidé - Nigol Nigoghosian
Associação Educacional e Cultural Hamazkayin - Garo Hovhannesian
Comunidade Armênia de Osasco - Paulo Tarpinian Junior
CNA – Conselho Nacional Armênia do Brasil - Vartine Simone Kalaidjian
Diocese da Igreja Apostólica Armênia do Brasil - Bispo Nareg Berberian
- Presidente do Conselho Representativo da DIAAB - André Kissajikian
- Presidente da Diretoria Executiva de SP da DIAAB - Dikran Kiulhtzian
Fundo Nacional Armênia - João Carlos Boyadjian
Igreja Central Evangélica Armênia de São Paulo -Vartan Moumdjian
Paróquia Armênia Católica São Gregório Iluminador - Padre Antonio Francisco Lelo
Sama - Clube Armênio - Sérgio Krikor Arakelian
Sociedade Beneficente e Cultural Marachá - Azad Gananian
União Geral Armênia de Beneficência - Haig Apovian



Andrés Sanchez pede desculpas

Em nota enviada a todas as entidades que assinaram a carta, o presidente do Corinthians se desculpou pelo ocorrido, dizendo que “apesar de nunca ter citado Armênia ou povo armênio”, “saber que feri os sentimentos nacionais de um povo tão sofrido me enche de tristeza”. No final do documento, ele espera que seja perdoado por quem se sentiu ofendido e declara, em nome do Corinthians, “Somos todos Armênios”.


Facebook Lance Twitter Lance