Paquetá se torna o segundo técnico com passagem mais curta no Bota
menu button lance
lancelogo lancelogo lance

Paquetá se torna o segundo técnico com passagem mais curta no Bota

  •  Treino do Botafogo Marcos Paquetá
    Marcos Paquetá foi contratado para substituir Alberto Valentim. Confira o top-5 a seguir (Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)
  •  Mário Sérgio - Como Técnico do Botafogo
    1º - Mário Sérgio, falecido no trágico aéreo da Chapecoense, durou apenas três jogos (três derrotas), em 2007  (Foto: Paulo Sergio/Lancepress!)
  •  Dé Aranha ex-treinador do Botafogo 2001
    2º - Dé Aranha - cinco jogos em 2001 - Somou duas vitórias, dois empates e uma derrota, com 53,3% de aproveitamento Reprodução
  •  Marcos Paquetá - Botafogo
    2º - Marcos Paquetá não suportou quatro derrotas em cinco jogos e foi demitido na última quarta-feira (Foto: Vítor Silva/SSPress/Botafogo)
  •  Arthur Bernardes como técnico do Botafogo (2002)
    3º - Arthur Bernardes - seis jogos em 2002, sendo dois amistosos. Três empates e três derrotas Ralff Gebara/Lancepress
  •  Geninho como técnico do Botafogo (2008)
    3º - Geninho - seis jogos em 2008 - aproveitamento foi de 38,8% após duas vitórias, um empate e três derrotas Paulo Wrencher/Lancepress
  •  Felipe Conceição
    4º - Felipe Conceição foi a aposta da diretoria no início do ano. Ficou sete jogos e saiu com aproveitamento de 42,8% (Foto: V. Silva/SSPress/Botafogo)
  •  PC Gusmão ex técnico do Botafogo 2005
    5º - PC Gusmão - nove jogos em 2005 - 59,2% de aproveitamento, chegou a liderar o Brasileiro e pediu para sair Divulgação
LANCE! - 02/08/2018 - 19:05
Rio de Janeiro (RJ)
A passagem de Marcos Paquetá pelo Botafogo durou apenas 36 dias, contando do dia do anúncio de sua contratação ao de sua demissão, que se deu na noite da última quarta-feira, logo após a derrota para o Nacional-PAR, em Assunção - em duelo válido pela partida de ida da segunda fase da Copa Sul-Americana. 

Na Era Paquetá, foram apenas cinco jogos, com quatro derrotas e uma vitória, além de dois gols marcados e nove sofridos - um aproveitamento de 20%. E o técnico de 59 anos, assim, entra na indigesta lista dos cinco treinadores que menos comandaram o clube da Estrela Solitária na história. 

Marcos Paquetá, contratado durante a pausa para a Copa do Mundo para substituir Alberto Valentim, está na segunda posição da relação, junto a Dé Aranha, também com cinco jogos no currículo, e atrás de Mário Sérgio, que pediu o boné depois de apenas três partidas, todas com revés, em 2007.

E o que parecia improvável aconteceu. No início do ano, a mesma diretoria havia apostado em Felipe Conceição para assumir o comando técnico, cujo cargo pertencia a Jair Ventura em 2017, mas o demitiu com apenas sete jogos. O mesmo erro quanto à dispensa precoce era algo que poucos apostavam ainda em 2018, marcado pela conquista do Carioca com Valentim - este que, diferente dos já citados, quis sair do Botafogo para assumir o Pyramids (Egito). 

13 ANOS DEPOIS...

Também cabe destacar que o Botafogo, que não era marcado por trocas constantes de treinadores ao longo das temporadas, não tinha quatro treinadores - o que ocorrerá em breve - em um só ano desde 2005. Na ocasião, 
Paulo Bonamigo, Paulo César Gusmão (este com apenas nove partidas), Péricles Chamusca e Celso Roth foram os comandantes alvinegros. 


E MAIS:
Facebook Lance Twitter Lance