Kalou mostra cartão de visitas, mas empate no fim frustra Botafogo
menu button lance
lancelogo lancelogo lance

Kalou mostra cartão de visitas, mas empate no fim frustra Botafogo

Kalou - Corinthians x Botafogo
Salomon Kalou contra o Corinthians (Foto: Vítor Silva/Botafogo)
Sergio Santana - 06/09/2020 - 06:00
Rio de Janeiro (RJ)
Copo meio cheio ou meio vazio? No sentido de desempenho, a atuação do Botafogo sobre o Corinthians, no último sábado, na Neo Química Arena, foi a melhor da equipe no Campeonato Brasileiro - e quiçá em toda a temporada. O empate em 2 a 2, com um gol do Timão no fim da partida, contudo, traz um sentimento de frustração ao Glorioso.

A partida ficará marcada pelo primeiro gol de Salomon Kalou com a camisa do Botafogo. Mesmo em dois jogos, o marfinense deu uma nova cara ao sistema ofensivo do Alvinegro. Se diante do Coritiba, na última quarta-feira, a melhora se deu apenas por méritos individuais do camisa 8, desta vez houve um avanço coletivo, passando muito pelo jogo na segunda metade do campo.

No primeiro tempo, a estratégia do Botafogo passou por fechar as linhas de passe de Victor Cantillo. O colombiano, principal jogador na articulação do Timão, ficou sobrecarregado e limitou-se a apenas 23 passes certos nos 45 minutos iniciais. O Corinthians se via obrigado a jogar pelas pontas, sem a participação efetiva do camisa 24.


E MAIS:
Com a bola, o Botafogo assustava o Corinthians justamente atrás dos volantes. Bruno Nazário e Salomon Kalou se posicionavam entre os meio-campistas e os zagueiros e, saindo das pontas para o meio, geravam problemas para a defesa do Corinthians. O camisa 10 do Alvinegro, inclusive, marcou o primeiro gol na atual edição do Campeonato Brasileiro e assumiu a artilharia do Glorioso na temporada, com seis bolas na rede.

Para acionar os dois, o Botafogo contou com Caio Alexandre e Honda. Figuras importantes na pressão aos meio-campistas do Corinthians, a dupla era responsável por ditar o ritmo do Glorioso na partida. O japonês, por exemplo, não errou nenhum passe no primeiro tempo. O jovem criado em General Severiano, por sua vez, teve bom aproveitamento nos lançamentos - quatro acertos em seis tentativas.

Muito do jogo do Botafogo passava por incomodar a saída de bola da equipe comandada por Tiago Nunes, que não tinha conforto para jogar desde o campo de defesa. No segundo tempo, contudo, faltou perna, algo até natural pelo esforço colocado nos primeiros 45 minutos da partida.

O segundo gol do Corinthians, aos 47 minutos do segundo tempo, sai de erros de posicionamento da defesa do Botafogo. Guilherme Santos se confunde com a dobra do Corinthians no lado direito e, já cansado, não acompanha Léo Natel, que cruza para Jô finalizar às redes. As substituições tardias, mais uma vez, tiveram um impacto negativo.

Facebook Lance Twitter Lance