Após saídas internas, futuro do time de basquete do Botafogo é incerto
menu button lance
lancelogo lancelogo lance

Após saídas internas, futuro do time de basquete do Botafogo é incerto

Basquete - Botafogo
Time de basquete do Botafogo (Foto: Vítor Silva/Botafogo)
Sergio Santana - 24/07/2020 - 06:00
Rio de Janeiro (RJ)
O basquete do Botafogo sofreu impactantes mudanças. Na mesma semana em que iniciou o pagamento a jogadores e funcionários referente ao salário da última temporada, Gláucio Cruz, diretor de esportes olímpicos, e Alexandre Brito, vice-presidente de esportes olímpicos, deixaram os respectivos cargos na última quarta-feira.

Ambos estavam decididos pela saída desde março, quando a temporada do NBB, por conta da pandemia do novo coronavírus, acabou de forma precoce. Alexandre e Gláucio não deixaram o cargo antes porque queriam honrar com os pagamentos da temporada passada e preparar o Alvinegro para os próximos meses. O futuro, contudo, não traz garantias.

Alexandre e Gláucio foram, em muitos momentos, vozes solitárias que lutaram pela continuidade do basquete em General Severiano. Internamente, a modalidade sempre sofreu com certa rejeição por beneméritos e pessoas com influência. Com a saída dos dois, portanto, a bola laranja nunca ficou "tão fraca" no Glorioso, apesar dos bons resultados em quadra.

E MAIS:
O Botafogo, atual campeão da Liga Sul-Americana, se garantiu na próxima Liga dos Campeões - o torneio mais importante das Américas. Antes de saírem, Alexandre e Gláucio deram entrada na papelada para o Alvinegro disputa-la, ainda sem data definida para começar. A mesma medida foi tomada com o NBB (Novo Basquete Brasil) e o Campeonato Carioca.

O planejamento, porém, começará praticamente do zero. Sem pessoas no comando, a diretoria do Botafogo, caso o desejo seja manter o basquete, terá que encontrar alguém para o comando dos esportes olímpicos com rapidez. Outras equipes do país já estão em fase final em relação à montagem do elenco e o Alvinegro ainda nem iniciou a questão de renovações de contratos.

O desejo do treinador Léo Figueiró e da maior parte dos jogadores é de continuar. As lideranças do plantel, pela identificação com o projeto, não pretendem pular do barco, mas também precisam de uma resposta definitiva da diretoria do clube. Na próxima temporada, o Botafogo contará, com patrocínios da Ambev e da Tim, com mais de R$ 5 milhões para a montagem do elenco - mais do que no ano passado, por exemplo.

Por mais que a papelada esteja encaminhada para o Botafogo participar de todas as competições na próxima temporada, a presença do clube de General Severiano no basquete ainda não é garantida. O Alvinegro corre contra o tempo para tomar uma decisão definitiva.

Facebook Lance Twitter Lance