Presidente do STJ brinca com caso Fred revelando-se cruzeirense
menu button lance
lancelogo lancelogo lance

Presidente do STJ brinca com caso Fred revelando-se cruzeirense

Fred é o artilheiro do Mineiro com 10 gols em 11 jogos pela Raposa
A disputa entre Galo e Fred se arrasta desde janeiro de 2018, quando o jogador acertou sua ida para o Cruzeiro- (Vinnicius Silva/Cruzeiro)
Valinor Conteúdo - 23/08/2019 - 17:19
Belo Horizonte
O Atlético-MG deve estar “aliviado” por não ter um julgamento parcial na ação que move contra o atacante do Cruzeiro, Fred, na cobrança sobre a multa de R$ 10 milhões que o alvinegro cobra do jogador.

“Aliviado”, pois o presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro João Otávio de Noronha, comentou sobre o caso e revelou que não será o responsável pelo julgamento do processo, brincando com o fato de ser torcedor do Cruzeiro.

-Não posso adiantar julgamento, primeiro porque não sou eu que vou julgar esse caso. São colegas. Mas se eu tivesse que decidir, lembre-se que sou cruzeirense (risos)- disse o ministro em entrevista à Rádio Itatiaia.

O presidente da segunda corte mais importante do país é natural de Três Corações e se formou em Direito na Faculdade de Direito do Sul de Minas. Ele está como ministro do STJ desde 2002 e ocupa a presidência desde agosto do ano passado.


E MAIS:
O Galo pede que o STJ decida quem terá competência para decidir a peleja: a Câmara Nacional de Resoluções de Disputas(CNRD), órgão criado pela CBF para solucionar confrontos entre os seus filiados, ou a Justiça do Trabalho. O alvinegro tende a preferir no CNRD, pois obteve ganho de causa na câmara para que Fred pague os 10 milhões.

Entenda o caso

A disputa judicial entre Galo e Raposa começou no fim de 2017, quando Fred acertou sua ida para o Cruzeiro, depois de jogar pelo Atlético-MG. O atacante assinou contrato com o time celeste no dia 22 de dezembro de 2017 e o alvinegro impôs uma condição para ele deixar o clube e ir para o rival: pagar uma multa de R$ 10 milhões.

Fred se resguardou de ser cobrado pelo alto valor. Ele comunicou sobre a multa ao Cruzeiro e disse que só assinaria contrato se o clube celeste assumisse a dívida. Com essa garantia, o atacante se isentou da multa, deixando o problema para o clube celeste. Atleta e representantes da Raposa aceitaram o acordo.

O Cruzeiro se recusou a pagar a multa imediatamente e o Galo entrou com a ação na no CNRD no início de 2018 para tentar receber o valor. No fim do ano a CNRD deu ganho ao time alvinegro, que reforçou sua decisão mais uma vez.



E MAIS:
Facebook Lance Twitter Lance