Galo explica que ajuda de parceiros são empréstimos e agradece os 'socorros na hora do aperto'
menu button lance
lancelogo lancelogo lance

Galo explica que ajuda de parceiros são empréstimos e agradece os 'socorros na hora do aperto'

Sérgio Sette Câmara, presidente do Altético-MG
Sérgio Sette Câmara fez outro agradecimento público aos parceiros que ajudam o clube em  momentos complicados-(Foto: Bruno Cantini/Atlético)
Valinor Conteúdo - 14/05/2020 - 15:24
Belo Horizonte
Para conseguir manter o clube funcionando sem futebol, o Atlético-MG tem contado com a ajuda dos parceiros “endinheirados” do clube, além da manutenção dos principais contratos de patrocínios, casos da Construtora MRV e do Banco BMG, que vem ajudando o clube em outras questões financeiras.

E, o atual presidente do Galo, Sérgio Sette Câmara, voltou a demonstrar gratidão pela ajuda que o clube vem recebendo. Recentemente, o dono da MRV, Rubens Menin, socorreu o Atlético na dívida de mais de R$ 13 milhões com a Udinese-ITA, após os mineiros perderem uma ação na FIFA pelo não pagamento da compra do meia Maicosuel, em 2014.

Sette Câmara falou como a MRV ajuda o clube de forma muito amistosa, sem onerar os cofres do clube, quando recebe um aporte da empresa de Rubens Menin.

-Os juros que o Rubens cobra do Atlético quando ele faz esse tipo de empréstimo é zero. Só a correção monetária. É o mínimo. Acredito que isso demonstra um carinho muito especial que ele tem pelo clube - disse Sérgio Sette Câmara em entrevista ao Canal do Nicola.

O presidente atleticano colocou em “pratos limpos” a relação de parceria que vai além de patrocínios e afirmou que quando a coisa “aperta”, busca ajuda dos parceiros.


- Não vou negar que quando a gente passa um aperto ou outro a gente busca uma ajuda tanto do Ricardo quanto do Rubens. Pode se tornar um credor. Dentro da situação que estamos vivendo, temos que buscar dinheiro em algum lugar pra pagar dívidas. São poucos clubes que têm um Rubens Menin para fazer esse tipo de operação - afirmou Sette Câmara, que explicou como o Galo tem acertado o débito que possui com Ricardo Guimarães, dono do BMG, e ex-presidente do alvinegro.


E MAIS:
O banco de Guimarães fez vários empréstimos ao clube e hoje a dívida é milionária e o Atlético teria de repassar parte de venda de jogadores para a instituição financeira e ainda um valor mensal, casa dos R$ 200 mil. Porém, o acordo não tem sido cumprido pela compreensão constante de Ricardo Guimarães.



- São empréstimos. Você vai fazer o quê? Tem que pagar conta, não tem crédito na praça, o clube tem uma dívida grande, histórica. Tem que colocar a mão pro céu que temos pessoas que emprestam pra gente a juro zero. Senão, como íamos sobreviver? Nem com juros altos você está conseguindo pegar empréstimo em banco hoje. Imagina com juro zero - explicou Sette Câmara.

Bônus por metas cumpridas

O Banco BMG e o Atlético-MG tem um acordo novo no contrato de patrocínio que irá beneficiar o clube. O produto veiculado no uniforme do alvinegro, a conta digital “Meu Galo BMG” vai bonificar o Galo a cada 50 mil novas contas com R$ 1,5 milhão ao clube.

A conta digital é totalmente gratuita e oferece saque sem cartão, cashback tanto no crédito quanto no débito, possibilidade de investimentos, transferências gratuitas e pacote exclusivo de benefícios para os torcedores atleticanos.

O Banco BMG também passou a apoiar a equipe feminina do Galo, ocupando o espaço máster da camisa utilizada pelas atletas.

Para dar transparência à Massa Atleticana, a página oficial do Meu Galo BMG terá um contador que vai marcar em tempo real a quantidade de contas abertas no banco digital. As redes sociais mantidas pela instituição serão inundadas de sorteios e conteúdos especiais com a participação de jogadores do Galo.

Os torcedores podem baixar o aplicativo Meu Galo BMG sem qualquer custo nas lojas virtuais dos sistemas Android e iOS, ou criar a conta diretamente no site http://www.meugalobmg.com.br.



E MAIS:
Facebook Lance Twitter Lance