Vitória do Vasco mostra capacidade por voos mais altos na reta final
menu button lance
lancelogo lancelogo lance

Vitória do Vasco mostra capacidade por voos mais altos na reta final

  •  Fluminense x Vasco
    Thiago Galhardo comemorando ao lado de Maxi López e os companheiros a vitória do Vasco no último sábado Rafael Ribeiro/Vasco
  •  Fluminense x Vasco - CASTAN
    Fluminense x Vasco - CASTAN Thiago Ribeiro / AGIF
  •  Fluminense x Vasco
    Fluminense x Vasco Rafael Ribeiro/Vasco
  •  Fluminense x Vasco
    Fluminense x Vasco Rafael Ribeiro/Vasco
  •  Fluminense x Vasco
    Fluminense x Vasco Rafael Ribeiro/Vasco
  •  Fluminense x Vasco - JADSON
    Fluminense x Vasco - JADSON Andre Melo Andrade/Eleven
  •  Fluminense x Vasco
    Fluminense x Vasco LUCAS MERÇON / FLUMINENSE F.C.
  •  Fluminense x Vasco
    Fluminense x Vasco LUCAS MERÇON / FLUMINENSE F.C.
  •  Fluminense x Vasco
    Fluminense x Vasco LUCAS MERÇON / FLUMINENSE F.C.
  •  Fluminense x Vasco
    Fluminense x Vasco LUCAS MERÇON / FLUMINENSE F.C.
  •  Fluminense x Vasco
    Fluminense x Vasco LUCAS MERÇON / FLUMINENSE F.C.
  •  Fluminense x Vasco
    Fluminense x Vasco Paulo Sergio/F8
David Nascimento - 04/11/2018 - 08:00
Rio de Janeiro (RJ)
A luta do Vasco nas quase 32 rodadas já disputadas neste Campeonato Brasileiro foi contra a zona de rebaixamento. Faltando seis jogos para o término da competição, 18 pontos em disputa, o Cruz-Maltino apresenta capacidade para voos mais altos, podendo sonhar com uma vaga na Conmebol Sul-Americana de 2019. A vitória sobre o Fluminense, no último sábado, no Maracanã, a primeira da equipe como visitante no torneio, evidencia este ponto na busca pelo "bônus".

O desempenho do Vasco em um geral no clássico carioca da rodada não foi grandes coisas, com um primeiro tempo sofrendo bastante pressão do Fluminense, mas revertendo o panorama nos 45 minutos finais. Principalmente depois da saída de Fabrício para a entrada de Thiago Galhardo. Venho falando nas minhas últimas análises da equipe aqui no LANCE!, Alberto Valentim vem evoluindo no comando do Vasco, mas insiste em Fabrício, que não rende, como titular...


E MAIS:
Diante do Fluminense, Fabrício não foi bem mais uma vez. Thiago Galhardo entrou em seu lugar e em poucos minutos, fez mais do que o companheiro que ficou pouco mais de um tempo em campo. Thiago Galhardo, inclusive, merece - e não é de hoje - um reconhecimento por parte de Alberto Valentim para retornar ao time titular do Vasco, justamente no lugar de Fabrício. Com Fabrício, é raro a criação cruz-maltina funcionar bem. Sem Fabrício, com Thiago Galhardo, a raridade é o setor não funcionar.

Com 38 pontos após 32 jogos disputados, o Vasco, nas partidas restantes - diante do Grêmio, no próximo domingo, fora de casa, e depois Atlético-PR (casa), Corinthians (fora), São Paulo (casa), Palmeiras (casa) e Ceará (fora) -, irá para o tudo ou nada diante das metas finais neste término de temporada. Para se manter na elite do futebol brasileiro, os matemáticos falam em 44, 45 pontos, o que mais duas vitórias faria o Vasco alcançar.

Se for ir mais além como o próprio Thiago Galhardo falou após a vitória no clássico - "temos que pensar em 47, 48 pontos para conseguirmos a Sul-Americana, é a nossa meta", disse o meia do Vasco aos jornalistas na saída do Maracanã -, pode-se dizer que sim, é possível ao Vasco conseguir esta classificação para o segundo principal torneio sul-americano da Conmebol. Vejo esta ambição como sadia ao elenco cruz-maltino, que não pode se acomodar nestes seis jogos que restam para o fim do ano.

O Vasco é capaz, sim. Demorou muito para este espírito ressurgir na equipe neste 2018, mas ainda com tempo suficiente para que se livre da queda e se garanta na Sul-Americana do próximo ano. O que tem de fazer? Manter o ritmo do segundo tempo diante do Fluminense, da vitória do Cruzeiro e do empate com o Internacional, nos últimos jogos. A confiança aumentou com a vitória sobre o Fluminense, a primeira como visitante neste Brasileiro, para comprovar que o torcedor vascaíno pode sonhar com voos mais altos. Para um time gigante como o Vasco não há nada impossível. Só não pode insistir nos erros!


Facebook Lance Twitter Lance