Mexeu, ganhou: dez vezes em que Zé Ricardo virou jogo após substituições
menu button lance
lancelogo lancelogo lance

Mexeu, ganhou: dez vezes em que Zé Ricardo virou jogo após substituições

  •  Zé Ricardo em São Januário
    Zé Ricardo em São Januário Paulo Fernandes/Vasco.com.br
João Mércio Gomes - 17/04/2018 - 06:15
Rio de Janeiro (RJ)
Nos últimos meses, o Vasco tem provado mais do que nunca que é, de fato, o time da virada. A vitória sobre o Atlético-MG nos acréscimos da estreia no Brasileirão foi a quinta da equipe só neste ano - com direito a gol nos acréscimos em todas elas. Para os exames cardíacos dos torcedores, bastam apresentar os ingressos dos jogos que estão liberados. Zé Ricardo disse algumas vezes que prefere 'vitórias mais tranquilas', mas já deve ter se acostumado. Afinal, desde que virou treinador profissional, tem sido comum vencer depois de largar atrás no placar. E não é por acaso.

Logo em seu primeiro jogo no comando do Flamengo, em 2016, vitória de virada. Ao todo, são doze triunfos desta forma. Em nove deles, Zé teve participação decisiva com substituições que surtiram efeito. Em uma outra ocasião, o técnico até conseguiu reverter o placar, mas não segurou o resultado. Além de três clássicos com muitos gols, sem vitória e sem a participação dos reservas. Confira as viradas da carreira de Zé Ricardo:

MEXEU, VIROU

Vasco 2x1 Atlético-MG
​Contra o Galo, na estreia do Brasileirão-18, Otero abriu o placar em chute de longe, mesmo o Vasco melhor na partida. No segundo tempo, Zé pôs Rildo, Thiago Galhardo e Rios. Os dois primeiros foram fundamentais: Thiago Galhardo disputou bola de cabeça e Wagner empatou na sobra. Nos acréscimos, Rildo invadiu a área e sofreu pênalti convertido por Pikachu.

Vasco x Atlético-MG
Celso Pupo/Fotoarena
Botafogo 2x3 Vasco
​O gol do rival nos primeiros minutos não abalou. Yago Pikachu fez dois e virou o placar, que foi para o intervalo empatado novamente. Zé Ricardo pôs Paulinho, Thiago Galhardo e Andrés Rios. O trio participou da jogada decisiva nos acréscimos, que resultou no escanteio batido pelo meia e convertido pelo argentino.

Andrés Rios comemora o gol da vitória no clássico
Paulo Fernandes/ VASCO
Fluminense 2x3 Vasco
Precisando da vitória, o Vasco saiu na frente mas deixou o rival virar. No segundo tempo, Zé Ricardo pôs Paulinho, Rios e Thiago Galhardo. O primeiro foi fundamental: tabelou com Wellington e empatou em chute colocado de fora da área. O argentino, nos acréscimos, brigou por bola no alto e sobrou para Fabrício, que fuzilou e trouxe a classificação nos últimos minutos.

Fluminense x Vasco
Paulo Fernandes/Vasco.com.br
Vasco 4x3 Boavista
Em Cariacica, o Cruz-Maltino abriu o placar, levou a virada, empatou, sofreu mais um gol e virou nos acréscimos. Zé Ricardo pôs Thiago Galhardo, Rildo e Riascos. O colombiano participou de dois gols, e o meia marcou um dos deles em jogada feita pelo camisa 17. Superação até os últimos minutos novamente.

Vasco x Boavista
Carlos Gregório Jr/Vasco
Vasco 2x1 Macaé
Os atacantes estrangeiros viviam um jejum de gols, mas ambos marcaram na virada diante do Macaé em São Januário. O adversário abriu o placar no primeiro tempo e o argentino empatou no início do segundo. Zé Ricardo pôs Rildo, Riascos e Thiago Galhardo. O meia bateu escanteio para o colombiano decretar a virada de cabeça, como sempre, nos acréscimos do jogo.

Vasco x Macaé
(Foto: Paulo Fernandes/Vasco)
Santos 1x2 Vasco
​Quando Ricardo Oliveira marcou logo após Jordi entrar no lugar do lesionado Gabriel Félix (reservas de Martin), o Vasco parecia derrotado na Vila Belmiro. Zé Ricardo, porém, lançou Evander na equipe e o garoto acertou um chute venenoso de longe, traindo o goleiro Vanderlei. No fim, ainda desarmou e passou para Nenê, que sofreu falta e bateu com perfeição nos acréscimos.

SANTOS X VASCO
Marco Galvão/Fotoarena
Santos 3x2 Flamengo
​A única das vezes em que virou com substituição decisiva, mas não levou os três pontos. No penúltimo jogo pelo Flamengo, Zé pôs Felipe Vizeu na Vila Belmiro e o atacante marcou o gol da virada no segundo tempo. Porém, após expulsão de Rodinei, o Peixe pressionou e buscou a virada nos minutos finais.

Santos x Flamengo
Miguel SCHINCARIOL
Flamengo 2x1 Fluminense
Na final do Carioca, o empate já bastava para Zé conquistar o primeiro título da carreira. Porém, com o adversário aberto, o treinador pôs Rodinei e Gabriel para explorar os contra-ataques: deu certo. O atacante aproveitou rebatida da defesa e lançou o lateral, que teve calma para avançar e decretar a virada.

Flamengo x Fluminense
Jorge Rodrigues/Eleven.
Flamengo 3x1 Figueirense
A virada no primeiro tempo não valeria para o Flamengo se classificar na Copa Sul-Americana. Zé Ricardo avançou o time com Alan Patrick e Fernandinho nos lugares de Márcio Araújo e Everton. O atacante, de canhota, soltou uma bomba para eliminar os catarinenses da competição e garantir a vaga na fase seguinte.

Flamengo x Figueirense
(Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)
Flamengo 2x1 Cruzeiro
A invencibilidade rubro-negra em Cariacica estava prestes a ir por água abaixo quando Rafinha deixou o Cruzeiro na frente faltando 20 minutos para o fim do jogo. Foi quando Zé Ricardo pôs Fernandinho, Mancuello e Alan Patrick. Os meias decidiram a virada: o camisa 19 deu duas assistências, uma delas para o argentino acertar chute no ângulo, dando a vitória aos 44 do segundo tempo.

Facebook Lance Twitter Lance