TIM 4G: Carlos Germano: história no gol vascaíno
menu button lance
lancelogo lancelogo lance

TIM 4G: Carlos Germano: história no gol vascaíno

  •  Carlos Germano (Vasco)
    Carlos Germano (Vasco) Divulgação
  •  Carlos Germano (Vasco)
    Carlos Germano (Vasco) Reprodução
  •  Carlos Germano (Vasco)
    Carlos Germano (Vasco) Marcelo Sadio
  •  Carlos Germano (Vasco)
    Carlos Germano (Vasco) Reprodução
  •  Carlos Germano (Vasco)
    Carlos Germano (Vasco) Marcelo Sadio
  •  Carlos Germano (Vasco)
    Carlos Germano (Vasco) Reprodução
  •  Carlos Germano (Vasco)
    Carlos Germano (Vasco) Reprodução/Youtube
  •  Carlos Germano - Vasco
    Carlos Germano - Vasco (Foto: Fernando Roberto/Lancepress!)
  •  Carlos Germano (Foto:Wagner Meier)
    Carlos Germano (Foto:Wagner Meier) Carlos Germano (Foto:Wagner Meier)
LANCE! - 02/06/2017 - 17:04
Rio de Janeiro
E MAIS:
Carlos Germano Schwambach Neto nasceu na cidade capixaba de Domingos Martins, em 14 de agosto de 1970. Marcou época no gol do Vasco, onde jogou como titular em praticamente toda a década de 1990. Discreto, seguro e dono de ótima elasticidade, tornou-se ídolo não apenas pelas grandes defesas e pela lealdade ao clube, mas também pela conduta fora do campo, sempre correto e exemplo de companheirismo, o que o credencia como um dos homenageados pela TIM, patrocinadora do clube, como craque TIM 4G do passado.

Germano atuou no Gigante da Colina entre 1991 e 1999, onde foi campeão carioca (1992/1993/1994 e 1998), conquistou o Campeonato Brasileiro de 1997, a Libertadores de 1998 e o Torneio Rio-São Paulo de 1999. Viveu seu grande momento na decisão do Brasileiro de 1997, contra o Palmeiras. Fechou o gol com defesas espetaculares, garantindo o título para São Januário. Na Colina, o goleiro atingiu a marca histórica de 933 minutos sem sofrer gols, entre os dias 24 de novembro de 1991 e 27 de setembro de 1992.

A ótima fase lhe valeu vaga no elenco da Seleção Brasileira que disputou a Copa do Mundo de 1998, na França, sendo o reserva imediato de Taffarel no vice-campeonato. Com a camisa amarelinha, fez nove jogos, sem sofrer gols. Foi campeão da Copa América de 1997.
Carlos Germano deixou o Vasco em 1999, brigado com a diretoria, após não entrar em acordo no processo de renovação de contrato. Depois de nove anos em São Januário, passou por vários clubes, como Santos, Portuguesa, Internacional, Botafogo, Paysandu, América-RJ e Madureira, encerrando a carreira em 2005, no Penafiel, de Portugal. Em 2008, iniciou a trajetória como preparador de goleiros e trabalhou no Vasco durante seis anos, ate a última troca de diretoria.

Patrocinadora de Botafogo, Flamengo, Fluminense e Vasco, a TIM homenageará até o fim de 2017 jogadores do passado dos quatro grandes clubes do Rio de Janeiro, que, de forma geral, apresentaram os atributos “G” (Garra, Gênio, Gigante, Grandeza) quando atuavam. Periodicamente, contaremos um pouco da história destes craques e o motivo deles terem sido escolhidos. Afinal, os quatro maiores times cariocas merecem a maior cobertura 4G do Rio e as melhores histórias para serem compartilhadas.




icone-carregar-comentCreated with Sketch.
CARREGAR COMENTÁRIOS
Facebook Lance Twitter Lance