Pinotti pede demissão do cargo de diretor de futebol do São Paulo
menu button lance
lancelogo lancelogo lance

Pinotti pede demissão do cargo de diretor de futebol do São Paulo

Vinícius Pinotti
Vinicius Pinotti assumiu o cargo em maio e pediu demissão por divergência com Leco (Foto: Marcello Fim/Raw Image)
William Correia e Yago Rudá - 06/12/2017 - 14:45
São Paulo (SP)
Vinicius Pinotti não é mais diretor executivo de futebol do São Paulo. Nesta quarta-feira, o dirigente comunicou ao clube a sua saída da função, que tem como principal motivo as divergências com o presidente Carlos Augusto Barros e Silva.

Pinotti assumiu a diretoria de futebol em maio, logo depois de Leco ser eleito para seu mandato atual. O agora ex-diretor já vinha tendo problemas de relacionamento com o presidente há meses em relação às negociações no mercado, e esse foi um dos pontos que explicam a sua saída.

Pinotti tocava as conversas por reforços e saídas e, há um bom tempo, queixava-se a amigos que não tinha a liberdade que imaginava. Leco gostava de participar das negociações e até de fazê-las sozinho. Um desses casos de ação de Leco sem ajuda do diretor envolveu o volante Matheus Jesus, que estava acertado com o Tricolor, dependendo só de trâmites burocráticos para ser anunciado, mas parou no Santos.

A reclamação sobre essa intromissão de Leco era cada vez mais constante. O São Paulo, contudo, nega oficialmente o rumor de que a saída do diretor tem a ver com uma possível negociação do atacante Lucas Pratto com o Cruzeiro, que é descartada por todas as partes que estariam envolvidas.

São-paulino fanático, Pinotti iniciou relação mais próxima com a diretoria em 2015, arcando com mais de R$ 13 milhões para tirar Centurión do Racing, da Argentina. Pouco depois, virou diretor de marketing antes de assumir o futebol. Sobre a dívida por Centurión, Leco sempre ressalta que já acertou um plano de pagamento a Pinotti - em julho, o clube vendeu 70% dos direitos do atacante para o Genoa, da Itália, por 3,5 milhões de euros (R$ 12,85 milhões).

Como diretor executivo de futebol, Pinotti tentou ser o homem forte do departamento, alegando querer poupar Leco. Acabou estremecendo sua relação com Rogério Ceni, de quem era amigo, ao demiti-lo em julho. Ao mesmo tempo, costumava ser exaltado pelos jogadores por estar sempre disposto a ajudar em qualquer problema deles, inclusive pessoais.

A saída de Pinotti afeta diretamente o planejamento do São Paulo para 2018, já que o diretor tratava das negociações de saídas, chegadas e renovações de jogadores para o elenco. Enquanto não definir um substituto, Leco e o advogado Alexandre Pássaro devem tomar à frente de algumas situações mais urgentes, como manter o volante Jucilei, concluir a chegada do goleiro Jean, do Bahia, e definir se venderá o volante Hudson para o Cruzeiro.

E MAIS:
icone-carregar-comentCreated with Sketch.
CARREGAR COMENTÁRIOS
Facebook Lance Twitter Lance