Ilesa há três jogos, defesa do Tricolor inicia 2018 com números de ponta
menu button lance
lancelogo lancelogo lance

Ilesa há três jogos, defesa do Tricolor inicia 2018 com números de ponta

  •  São Paulo x Bragantino
    Dorival Júnior não vê o time ser vazado há três jogos Paulo Pinto / saopaulofc.net
  •  Rodrigo Caio
    Rodrigo Caio é titular e principal zagueiro (Foto: Maurício Rummens/Fotoarena/Lancepress!)
  •  São Paulo - Apresentação Anderson Martins
    Anderson Martins foi contratado neste ano (Foto: Luis Moura/WPP/Lancepress!)
  •  Bruno Alves
    Bruno Alves tem tido chances (Foto: Marcello Fim/Raw Image)
  •  Arboleda - Palmeiras x São Paulo
    Arboleda terminou 2017 como titular, mas está machuado (Foto: Ale Vianna/Eleven)
Yago Rudá - 12/02/2018 - 07:15
São Paulo (SP)
Mesmo sem o equatoriano Arboleda à disposição para entrar em campo, o sistema defensivo do São Paulo tem alcançado bons números. Se no ano passado, a fragilidade da defesa preocupou os torcedores, a versão 2018 do Tricolor começa mais segura. A equipe não é vazada há três partidas, nas vitórias contra Madureira (1 a 0), Botafogo (2 a 0) e Bragantino (1 a 0).

Até aqui, o São Paulo fez sete partidas no ano e apenas dois times (São Bento e Corinthians) conseguiram estufar as redes defendidas pelo goleiro Sidão. Foram apenas quatro gols sofridos (média de 0,57 gols por jogo), o que garante aos comandados do técnico Dorival Júnior a sétima melhor média dos 20 clubes da Série A do Campeonato Brasileiro (veja lista completa abaixo).

Os números são melhores ainda quando consideradas apenas as partidas em que os titulares estiveram em campo. Na estreia do Paulistão, em Sorocaba, o Tricolor entrou com um time repleto de jogadores da base e a zaga foi formada pelo garoto Rony e por Aderllan. Desconsiderada esta partida, foram seis jogos e apenas dois gols sofridos (média de 0,33).

- É a sexta partida da equipe titular, e só sofremos gol em uma, contra o Corinthians. Algo está mudando, comemorou Dorival Júnior logo após a vitória sobre o Bragantino, no Morumbi, no meio da última semana.

Para se ter uma ideia da mudança, no ano passado o São Paulo fez 62 partidas oficiais e tomou 80 gols (média de 1,29, considerada alta). Por muitas vezes, o sistema defensivo foi apontado como o principal responsável pelos momentos ruins da equipe em 2017.

Ciente da importância de corrigir os defeitos da última temporada para não repeti-los neste ano, o técnico Dorival Júnior manteve a estrutura da defesa e apenas trocou o lateral Edimar por Reinaldo. Rodrigo Caio e Éder Militão continuaram como titulares e, com Arboleda se recuperando de um estiramento na coxa direita, Anderson Martins e Bruno Alves se revezaram na vaga do defensor. 


As médias de gols sofridos dos 20 clubes da Série A

1º) Atlético-PR - 0,16 gols sofridos por jogo 
1º) Cruzeiro - 0,16 gols sofridos por jogo 
1º) Flamengo - 0,16 gols sofridos por jogo 
4º) Chapecoense - 0,44 gols sofridos por jogo 
5º) América-MG - 0,5 gols sofridos por jogo 
5º) Palmeiras - 0,5 gols sofridos por jogo 
7º) Bahia - 0,57 gols sofridos por jogo 
7º) Internacional - 0,57 gols sofridos por jogo 
7º) São Paulo - 0,57 gols sofridos por jogo 
10º) Fluminense - 0,66 gols sofridos por jogo 
11º) Corinthians - 0,83 gols sofridos por jogo 
11º) Sport - 0,83 gols sofridos por jogo 
13º) Atlético-MG - 0,86 gols sofridos por jogo 
14º) Ceará - 0,9 gols sofridos por jogo 
15º) Vasco - 1 gol sofrido por jogo 
15º) Vitória - 1 gol sofrido por jogo 
17º) Botafogo - 1, 14 gols sofridos por jogo 
18º) Paraná - 1,16 gols sofridos por jogo 
18º) Santos - 1,16 gols sofridos por jogo 
20º) Grêmio - 2,16 gols sofridos por jogo 


E MAIS:
Facebook Lance Twitter Lance