São Paulo joga melhor, mas fica no empate na despedida de Lugano
menu button lance
lancelogo lancelogo lance

São Paulo joga melhor, mas fica no empate na despedida de Lugano

SÃO PAULO X BAHIA
Tricolor vencia até os 43 minutos do segundo tempo, mas cedeu o empate (Luis Moura / WPP)
Yago Rudá - 03/12/2017 - 19:21
São Paulo (SP)
Certamente, o torcedor do São Paulo não gostaria de ver sua equipe encerrar esta edição do Campeonato Brasileiro na 13ª posição, a pior da história do clube na era dos pontos corridos. Apesar de ter ficado no retrovisor dos rivais durante quase todo o ano, ter visto nomes importantes deixarem o clube durante a temporada e brigado quase um turno inteiro contra o rebaixamento, o fim de ano dos tricolores foi especial. Afinal, apesar do empate em 1 a 1 com o Bahia, os são-paulinos puderam se despedir do ídolo Lugano e a garotada de Cotia mostrou que o ano de 2018 pode reservar grandes alegrias.

No jogo que marcou a despedida de Diego Lugano como jogador do São Paulo, a torcida fez sua parte e preencheu as arquibancadas do Morumbi. Ao todo, 60.485 pessoas viram a equipe de Dorival Júnior jogar melhor durante toda a partida e ficarem na igualdade com a equipe nordestina. O triunfo encerrou a participação do Tricolor na temporada, com 62 jogos, 24 vitórias, 20 empates e 18 derrotas. O aproveitamento foi de apenas 49,4% dos pontos disputados, muito pouco para quem, ao longo dos anos, se acostumou a ser protagonista no futebol brasileiro.


Apesar da decepção de não ter conseguido se classificar para a Copa Libertadores do ano que vem, o torcedor que esteve no Morumbi deixou o estádio com um misto de sensações. Por um lado, a satisfação de ter visto pela última vez o ídolo Lugano em campo. Campeão de quase tudo com o Tricolor, o uruguaio teve atuação digna de sua grandeza e, após o jogo, foi para os braços da torcida se despedir de quem tanto lhe apoiou durante a carreira.

Se teve tristeza por conta da despedida do ídolo, também ficou a esperança de dias melhores. Afinal, o gol são-paulino foi marcado pelo promissor garoto Brenner, de apenas 17 anos. O atacante fazia sua estreia no Morumbi e, após bola rolada por Petros em falta dentro da área, estufou a rede defendida por Jean. Além do atacante, o confronto diante dos baianos marcou as estreia de Bissoli e Gabriel Sara na equipe de cima do Tricolor. É a renovação do clube, que se propõe a incomodar os rivais no ano que vem.

A festa, claro, poderia ser muito maior caso a equipe conquistasse o triunfo diante de sua torcida. O time ganhava até os 43 minutos da etapa final, quando Jucilei falhou na marcação e deixou Eder livre para cabecear para o fundo do gol de Sidão.


FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 1 X 1 BAHIA

Local: Morumbi, São Paulo (SP)
Data-Hora: 3/12/2017 - 17h
Árbitro: Elmo Alves Resende Cunha (GO)
Auxiliares: Fabricio Vilarinho da Silva (Fifa-GO) e Cristhian Passos Sorence (GO)
Público/renda: 60.485 pagantes/R$ 1.237.352,00
Cartões amarelos: Petros, Brenner, Lugano e Rodrigo Caio (SAO), Eder, Edson e Renê Júnior (BAH)
Cartões vermelhos: Petros (SAO)
Gols: Brenner (18'/2ºT) (1-0), Eder (43'/2ºT) (1-1)

SÃO PAULO: Sidão; Militão, Lugano, Rodrigo Caio e Edimar; Jucilei, Petros e Shaylon; Marcos Guilherme (Gabriel, aos 37'/2ºT), Cueva (Thomaz, aos 36'/2ºT) e Brenner (Bissoli, aos 32'/2ºT). Técnico: Dorival Júnior.

BAHIA: Jean; Eder, Tiago, Thiago Martins e Juninho Capixaba; Edson (Matheus Sales, aos 12'/2ºT), Renê Júnior (Yuri, aos 32'/2ºT), Allione, Régis (Júnior Brumaro, aos 26'/2ºT) e Mendoza; Edigar Junio. Técnico: Paulo César Carpegiani

E MAIS:
icone-carregar-comentCreated with Sketch.
CARREGAR COMENTÁRIOS
Facebook Lance Twitter Lance