Entenda como Dorival Júnior deve utilizar Valdívia no São Paulo
menu button lance
lancelogo lancelogo lance

Entenda como Dorival Júnior deve utilizar Valdívia no São Paulo

Valdivia
Valdívia deve ser emprestado ao São Paulo até o fim desta temporada (Bruno Cantini/Atlético-MG)
Yago Rudá - 06/02/2018 - 07:45
São Paulo (SP)
O meia-atacante Valdívia foi um pedido especial do técnico Dorival Júnior à diretoria do São Paulo. Emprestado pelo Internacional até o fim desta temporada, o jogador chega para ser um curinga no sistema ofensivo do Tricolor. Habilidoso, inteligente e veloz, o novo reforço do clube do Morumbi pode atuar tanto pelas beiradas do campo como ser o responsável pela armação das jogadas da equipe, escalado mais centralizado.

A princípio, o jovem jogador, de apenas 23 anos, deve disputar posição com os jogadores acostumados a jogar pelos lados. Atualmente, Marcos Guilherme é o dono da posição pelo lado direito e o peruano Cueva disputa com Brenner a vaga pelo lado esquerdo. Além do trio, o técnico Dorival Júnior tem uma oferta de meias e atacantes para a função: Paulinho, Cipriano, Caíque e Morato.

A intenção da comissão técnica do Tricolor é de que Valdívia seja um criador de jogadas pelas beiradas. O jogador desempenhou bem essa função em seu começo de carreira, no Internacional, e chamou a atenção do técnico Dorival Júnior. Por ser um bom finalizador e ter facilidade para chegar ao gol adversário, o reforço são-paulino é apontado como o último do clube para este início de temporada.


Depois de contratar Jean, Anderson Martins, Nenê, Tréllez e Diego Souza, a diretoria tricolor em conversa com a comissão técnica entende que o elenco está fechado com a vinda de Valdívia. Apesar do desempenho do meia-atacante no Atlético-MG não ter sido dos melhores, o jogador chega ao clube do Morumbi com a confiança do departamento de futebol. Afinal, o São Paulo concordou em pagar o salário integral do jogador.

Embora seja destro, Valdívia pode atuar pelo lado esquerdo do campo e, ao invés de ir para a linha de fundo e cruzar a bola para dentro da área, o reforço são-paulino pode optar por fazer a jogada por dentro e finalizar ao gol adversário, chutando cruzado. 


Além da função – que não necessariamente precisa ser cumprida por um atacante – o jogador pode ser usado como um articulador no meio de campo. A posição normalmente costuma ser exercida por Cueva e o recém-contratado Nenê pinta como uma opção para Dorival Júnior no elenco, mas Valdívia reúne características que o credenciam a jogar no meio, centralizado.


Esta última opção, porém, é a mais improvável para Valdívia. Apesar do São Paulo ter procurado alguns nomes que pudessem substituir o peruano Cueva no elenco, o ex-jogador do Galo é mais incisivo e costuma chegar mais ao gol adversário. Contudo, não possui a facilidade do camisa 10 tricolor para furar as retrancas adversárias e deixar os atacantes na cara do gol. 

E MAIS:
Facebook Lance Twitter Lance