Dorival valoriza reação e pede paciência com jovens no São Paulo
menu button lance
lancelogo lancelogo lance

Dorival valoriza reação e pede paciência com jovens no São Paulo

  •  São Paulo 2 x 2 Chapecoense
    São Paulo 2 x 2 Chapecoense Rubens Chiri/saopaulofc.net
  •  São Paulo x Chapecoense
    São Paulo x Chapecoense Luis Moura / WPP
  •  São Paulo x Chapecoense
    São Paulo x Chapecoense Luis Moura / WPP
  •  São Paulo x Chapecoense
    São Paulo x Chapecoense Jales Valquer / Fotoarena
  •  São Paulo x Chapecoense
    São Paulo x Chapecoense Luis Moura / WPP
  •  São Paulo x Chapecoense
    São Paulo x Chapecoense Luis Moura / WPP
  •  São Paulo x Chapecoense
    São Paulo x Chapecoense Luis Moura / WPP
  •  São Paulo x Chapecoense
    São Paulo x Chapecoense Luis Moura / WPP
  •  São Paulo x Chapecoense
    São Paulo x Chapecoense Luis Moura / WPP
  •  São Paulo x Chapecoense
    São Paulo x Chapecoense Luis Moura / WPP
Marcio Porto - 09/11/2017 - 23:23
São Paulo (SP)
Dorival Júnior apareceu na sala de entrevistas do Pacaembu disposto a valorizar os jogadores do São Paulo. Não só pelo empate diante da Chapecoense, alcançado após o adversário fazer 2 a 0, mas pela postura de jogadores jovens vindos da base, como Araruna, meio-campista improvisado na lateral direita e que saiu no intervalo após ser muito vaiado pela torcida.

- Ele acabou de voltar de lesão, sentiu demais no sábado, e hoje também. Precisamos ter calma e paciência. Torcedor sabe que ele tem qualidade, é questão de tempo. Ele errou, mas apareceu, procurou estar próximo. Jogador mostra personalidade em momentos assim, complicados. Precisamos ter calma e tranquilidade com esses jogadores promissores - disse Dorival, citando ainda Shaylon, titular na vaga de Cueva, que está com a seleção peruana, e Lucas Fernandes, que entrou bem no segundo tempo.

- É muito difícil achar alguém que se assemelha a um grande jogador como Cueva. Mas Lucas e Shaylon não se omitiram, tentaram criar, ser importantes, e são muito jovens ainda. Tiveram muita coragem, vigor e participaram, sem se omitir. Lucas entrou muito bem, movimentando, querendo participar, estar como opção sempre, aparecendo. Daqui a pouco, com mais jogos, mostrarão condição. Prometem muito e precisamos valorizar. Cueva vive grande momento, e nos fará falta, mas temos de buscar soluções no plantel.

Nesse espírito de valorização, o elogio do técnico é geral. O treinador admitiu que a equipe sofreu com suas próprias ações no primeiro tempo, detectando ansiedade em seus comandados. Mas gostou muito da organização no segundo tempo, mesmo depois de a Chapecoense fazer 2 a 0, aos 14 minutos da etapa final, com Reinaldo convertendo pênalti.

- Precisamos valorizar esse time. Pela circunstância da partida, o poder de reação precisa ser reconhecido. Não deixamos de tentar criar. Mesmo em noite em que coisas não fluíram, equipe quis o resultado, buscou, não se omitiu, e mereceu empate. Com mais tempo, poderíamos consolidar mais uma virada, como já fizemos - indicou.

- Vi muito mais coisas boas do que negativas hoje no São Paulo. Houve ansiedade no primeiro tempo, espaçando equipe, perdendo movimentação para buscar o gol. A Chapecoense teve méritos, tem jogadores de nível. Na segunda etapa, voltamos a ter paciência, ímpeto. Foi na base da luta. Quando estávamos em cima, sofremos o segundo gol. Foram dois lances cirúrgicos, decisivos e competentes em que a Chapecoense saiu na frente. Valorizo o que os jogadores do São Paulo fizeram.

Veja outros temas abordados por Dorival Júnior nesta quinta-feira:

Improvisar Petros e Marcos Guilherme na lateral, com Buffarini no banco
Fiz a opção porque a Chapecoense tinha um por dentro, não um lateral de ofício, Reinaldo estava marcado, e aproveitou a chance que teve. Queria mais jogadores por dentro e abrindo para cruzar e finalizar, por isso tirei Araruna. O primeiro gol saiu assim. Comportamento bom da equipe, mesmo com 2 a 0, acreditando que poderia chegar a um resultado melhor.

Arbitragem
Não falarei de arbitragem. Erros acontecem de um lado e de outro.

Rebaixamento
Não deixou de assustar, mas estamos próximos do primeiro objetivo. Quando consolidar, dentro das nossas possibilidades, podemos lutar por uma nova condição. Dos últimos 12 pontos, fizemos 10, aproveitamento excelente, próximos do líder do segundo turno. Uma campanha completamente diferente do turno. Essa equipe foi formada dentro da competição, com dificuldade e exigência altas, o que mina o trabalho de qualquer equipe. O São Paulo esteve próximo da zona de rebaixamento por muito tempo, mas conseguiu certa estabilidade e, quem sabe, podemos pensar mais. É importante o ponto somado hoje, mas queremos mais e nos consolidar.

Evolução do time
Temos jogadores que não tomam cartão há mais de dez rodadas, é um fato muito importante. Vejo a equipe consistente, jogando em qualquer campo e situação, da mesma maneira, buscando resultado. É o que queríamos ver no São Paulo.

Meta de pontos

Não faço contas. Torço e trabalho por um futebol de consistência. O São Paulo tem capacidade para isso e jogaremos em busca de pontos.


E MAIS:
icone-carregar-comentCreated with Sketch.
CARREGAR COMENTÁRIOS
Facebook Lance Twitter Lance