São Paulo conseguiu abafar crise há um mês, mas vê Jean perto do limite
menu button lance
lancelogo lancelogo lance

São Paulo conseguiu abafar crise há um mês, mas vê Jean perto do limite

Jean não apresentou qualquer limitação e se mostrou recuperado das dores no pé esquerdo
Jean durante treino do São Paulo - FOTO: Rubens Chiri/saopaulofc.net
Fellipe Lucena - 21/03/2019 - 08:00
São Paulo (SP)
A crise envolvendo Jean no São Paulo estava "ensaiada" há quase um mês. A postura do goleiro vinha desagradando a diretoria desde que ele pediu para não ser relacionado para o jogo contra o Red Bull, em 24 de fevereiro, após descobrir que não seria titular, algo que não se tornou público na ocasião.

- O Jean não quis ir para o jogo diante do Red Bull. Na última hora ele acabou cedendo e foi. Eu sentei com o Jean por quase meia hora, bati um papo com o atleta. Jamais agiria de uma forma que não fosse a correta, que não fosse a de mostrar o caminho certo, que não fosse exigir comprometimento. Eu disse a ele que naquele momento não era uma atitude correta. Ele estava reivindicando uma titularidade e expliquei a ele que tudo na vida tem o seu tempo - disse o interino Vagner Mancini após o empate por 1 a 1 com o São Caetano, nessa quarta, o primeiro jogo após o afastamento de Jean por indisciplina.



E MAIS:
Jean acreditava que seria titular contra o Red Bull porque Tiago Volpi falhara na derrota por 2 a 1 para o Corinthians, mas Mancini optou por mantê-lo. A diretoria entendeu que a postura de Jean foi desrespeitosa com o companheiro e estava decidida a multá-lo se ele mantivesse a decisão de não ir para a partida.

A bomba acabou estourando na última segunda-feira. Em uma reunião com todo o grupo, Mancini condenou o fato de Jean e outros jogadores terem ido para o banho logo após a derrota para o Palmeiras, sem esperar o início da tradicional reza de vestiário. O goleiro não gostou da cobrança, abandonou o gramado e avisou à diretoria que gostaria de treinar na academia. Ele foi avisado de que aquilo se tratava de um ato de indisciplina sujeito a punição, mas manteve a decisão de não trabalhar com o grupo.

Multado e afastado por tempo indeterminado, Jean manifestou-se nesta quarta, horas antes da partida contra o São Caetano, por meio de uma nota em seu Instagram. Essa atitude irritou ainda mais a diretoria, já que o time dependia dessa partida para ir às quartas de final do Paulistão. Mancini afirmou que a nota foi feita "para tumultuar".

O São Paulo acha que Jean está perto do limite. O clube pagou R$ 6 milhões ao Bahia em janeiro de 2018 - o valor poderia chegar a R$ 10 milhões se atingisse um determinado número de partidas, algo que não aconteceu - e sempre o tratou como grande promessa para o futuro, mas já se irritou com ele diversas vezes. O goleiro teve uma discussão com Sidão no início do ano passado, foi expulso por provocar a torcida do Vitória quando ganhou uma sequência na reta final do Brasileirão e, ao voltar, recebeu novo cartão amarelo tolo contra a Chapecoense.

A diretoria espera que ele demonstre algum arrependimento e peça desculpas para considerar a possibilidade de devolvê-lo à rotina normal e colocá-lo à disposição da comissão técnica. Foi o que aconteceu com Gonzalo Carneiro, que se rebelou após não ser utilizado na Florida Cup e não apareceu para o jogo contra o Mirassol, na primeira rodada do Paulistão. Repreendido e multado, desculpou-se e pediu para voltar a treinar com o grupo, algo que foi imediatamente atendido.

Facebook Lance Twitter Lance