Peres tem reunião com aliados para ajustar defesa contra impeachment
menu button lance
lancelogo lancelogo lance

Peres tem reunião com aliados para ajustar defesa contra impeachment

Peres
Presidente é alvo de dois processos de impeachment parecidos e irá se defender (Foto: Ivan Storti/Santos)
Ana Canhedo - 10/07/2018 - 07:00
São Paulo (SP)
O presidente José Carlos Peres articula sua defesa contra dois pedidos de impeachment no Santos. Na tarde da última segunda-feira, o dirigente esteve reunido com cinco advogados no escritório do Peixe em São Paulo para tratar do tema e alinhar os detalhes finais do que será apresentado à Comissão de Inquérito e Sindicância do clube - uma parte já foi entregue, mas a defesa poderá ser complementada. Dentre os advogados esteve Daniel Bykoff, apontado como braço direito de Peres. 

Encerrado o prazo do dirigente para entregar a defesa à CIS, a Comissão terá outros setes dias para produzir um relatório e entregar à presidência do Conselho Deliberativo, hoje cargo ocupado por Marcelo Teixeira.

Bykoff trabalhou no jurídico do clube no começo da gestão do atual presidente, mas, por pressão externa e por ser apontado como braço direito do dirigente, acabou desligado de suas funções recentemente. Mesmo assim, segue próximo ao mandatário e é conselheiro do Santos. 

Peres está tranquilo quanto aos pedidos de impeachment que correm nos bastidores do clube. O dirigente acredita estar diante de situações de revanchismo eleitoral e acredita ter mexido em áreas do clube que deixaram opositores insatisfeitos. Segundo ele mesmo garante, existem documentos e provas consistentes de que as duas empresas das quais é sócio não praticam nenhum tipo de atividade que vá contra o Estatuto Social do Santos. 

Há alguns meses, Marcelo Teixeira não deu prosseguimento a um primeiro pedido de impeachment de Peres, considerando o mesmo sem embasamento. Depois disso, outros dois vieram. Um, inclusive, com 100 assinaturas. Ambos tratam da Saga Talent e da Peres Sports & Marketing. O dirigente é acusado de agenciar jogadores, algo que o impediria de presidir o Alvinegro. 

O relatório do Conselho Fiscal do clube também é usado pelos opositores como argumento para pedir o impedimento do presidente. Nele constam irregularidades. 

E MAIS:
Facebook Lance Twitter Lance