Peres desabafa, pede apoio do sócio do Santos e diz sofrer boicote diário
menu button lance
lancelogo lancelogo lance

Peres desabafa, pede apoio do sócio do Santos e diz sofrer boicote diário

Peres
Peres concedeu longa entrevista coletiva no CT Rei Pelé, em Santos, nesta quinta-feira (Foto: Ivan Storti/Santos)
LANCE! - 13/09/2018 - 19:17
Santos (SP)
Presidente do Santos, José Carlos Peres fez um longo desabafo na sala de imprensa do CT Rei Pelé na tarde desta quinta-feira, logo depois da apresentação do atacante Felippe Cardoso. De maneira lúcida, o dirigente pediu o apoio do associado que votará por sua permanência ou não no cargo no próximo dia 29 de setembro, disse sofrer um boicote diário de seu vice, Orlando Rollo, desde o primeiro dia de gestão e garantiu que sua postura seguirá a mesma caso passe pelo impeachment: sem devolver o que considera a "mamata" do grupo de oposição. 

Na Assembleia Geral, os sócios decidirão se vão acatar ou não a aprovação do Conselho Deliberativo a respeito dos dois pedidos de impeachment contra Peres. Ambos aprovados por maioria dos conselheiros. Agora em guerra declarada com seu vice, Peres lamentou não o ter atacado publicamente antes, já que foi "espetado" por Rollo desde o começo de gestão, segundo ele. 

Tudo que pediram e prometemos nós cumprimos. Só não esperava ter fogo amigo que me espetou desde o primeiro dia (...) É bom ressaltar que clube está organizado, pagamentos em dia, não devemos um centavo para ninguém. Existe entulho financeiro para pagar, R$ 119 milhões até dezembro. Foram acumulando dívidas e jogando para frente. Clube fatura R$ 8 milhões e gasta R$ 12. Há muito fazer, mas tem Comitê de Gestão para passar tudo por lá. Tem que se modernizar, dar exemplo que com honestidade dá para chegar. Falar em caos é para quem interessa, clube nunca esteve tão organizado (...) - disse Peres, durante a longa entrevista coletiva. 

Durante seu depoimento (reproduzido na íntegra abaixo), Peres atacou não só Rollo, mas também os conselheiros da oposição e falou até mesmo sobre o próprio Comitê de Gestão - o dirigente encontra opositores no colegiado, algo que dificulta suas ações. Segundo Peres, até o ex-centroavante do Santos Ricardo Oliveira o telefonou para passar apoio no momento conturbado. 

Confira na íntegra o depoimento de Peres, separado por tópicos:


Parte política em outra direção do time
Não podemos misturar as coisas, primeira postura foi separar o CT. Muita gente vinha, empresários, fechamos a porta, só comissão técnica, jogadores, funcionários e vocês da imprensa. Separamos para falarmos de futebol. Isso foi muito bom porque deixamos o jogador bem blindado. É por isso que os resultados vieram desde o jogo contra o Cruzeiro. Passei a acompanhar equipe, abracei, passei a conversar mais com a comissão técnica e não perdemos. O mais importante de tudo é ter humildade daqui para frente. Galgamos altura boa. Eu seria o primeiro a colocar o Santos na segunda divisão na história. Houve reação, técnico top, comissão top, contratações precisas. Contratações sem dinheiro no primeiro semestre.

Contas zeradas! Pagamento para cinco dias depois, muita bandalheira entulhada. O que se destaca são essas divergências, ninguém destaca o que foi pago, maior venda da história das Américas, garoto de 17 anos vendido maior que a multa. E multa era excessiva. O que de bom aconteceu: contratamos Gabigol, artilheiro, passou fase mais ou menos, criticaram, menino mostrou valor e está fazendo gols. Sasha e Dodô. Três contratações só, substituindo jogadores que aqui saíram. Ricardo Oliveira, por exemplo, Lucas Lima. Ricardo Oliveira quando eu cheguei já estava contratado pelo Atlético-MG, um pré-contrato no dia 11, e eu simplesmente não criei problema. Aliás, um forte abraço ao Ricardo Oliveira que me ligou no dia 10 dizendo que estava conosco em oração e que sabe do meu trabalho. Eu trabalho 14 ou 15 horas por dia. Houve problema com as pessoas que têm interesse no clube. Gastaram milhões para conseguir dois impeachment políticos, sem dolo, é lamentável pela grandeza do clube.

Presidente do Conselho Deliberativo reconhece que o estatuto é confuso e permite que 20 pessoas possam conturbar o ambiente do Santos. Pessoas com interesse contrariado. É bom ressaltar que clube está organizado, pagamentos em dia, não devemos um centavo para ninguém. Existe entulho financeiro para pagar, R$ 119 milhões até dezembro. Foram acumulando dívidas e jogando para frente. Clube fatura R$ 8 milhões e gasta R$ 12. Há muito fazer, mas tem Comitê de Gestão para passar tudo por lá. Tem que se modernizar, dar exemplo que com honestidade dá para chegar. Falar em caos é para quem interessa, clube nunca esteve tão organizado. Abro a porta para os jornalistas verem financeiro, marketing. Nunca tivemos marketing como agora e torcida está adorando. Fazemos tudo que prometemos, voto à distância aguardando homologação do Conselho. Tudo que pediram e prometemos nós cumprimos. Só não esperava ter fogo amigo que me espetou desde o primeiro dia. Isso foi exposto, quando nunca deveria ser. Não frequento redes sociais, não ataco, e informações são passadas. Eu não posso. Documentos sobem, é um boicote diário. É ano para arrumar. Situação é caótica e pergunto como ex-gestão quis se eleger. Eu fui para o banco, ninguém do Comitê de Gestão falou para ir, eu fui porque trabalhei no mercado financeiro. E liquidamos tudo. Três contratações pontuais. Agora contratamos Bryan, Sánchez e Derlis, certeiras. Falta Bryan entrar em forma para ser 100%. Não contratamos batalhão, 150 na última gestão. Foram seis com qualidade. De seleção! Graças a Deus está aí o resultado.

Futebol, quando existe crise e aproveitaram o momento para coletar assinaturas, é uma crise que vai embora, mas volta. A gente fala isso para os jogadores. Temos que ficar alertas, correr atrás. Desculpe o desabafo. Clube está funcionando 100%, quem administra sou eu, Comitê de Gestão. Tem um e um que responsabiliza. Não são dois. Foram ilações absurdas. Tivemos esse julgamento de segunda-feira. Vencemos as duas, estatuto é claro. São 2/3 dos presentes. Retiraram seis e falaram que só os votantes. Isso golpeia o estatuto. Vencemos a primeira e segunda. Tudo isso é preocupante. Separo do futebol e aqui temos que falar de agenda positiva, do que agrega. Clube é maravilhoso, estamos fazendo internacionalização. Fomos ao México, há muitos avanços. Não estamos fazendo dívidas, pagando tudo em dia. Nunca aconteceu isso.

Abraçar o elenco / contratações

Quem contratou o Cuca fui eu. Clube só reagiu porque tem ele. É extraordinário treinador. Me surpreendeu. Sinergia absurda! Jogador entra a 150% por hora. Acordou elenco. Tínhamos jogadores extraordinários que não estavam. Crédito é da comissão e jogadores. Eu abracei, dei minha cara, o apoio. Jogador não joga só com os pés. Se trouxer o Messi e não estiver focado e protegido, não vai render. Passei a acompanhar mais na questão de não deixar faltar nada e participar com eles. Jair se classificou para Copa do Brasil, Libertadores, sempre com problemas de reforços e não tínhamos dinheiro. Contratamos na raça, dinheiro bem aplicado, não demos luva de R$ 5 milhões, com R$ 4,3 para o bolso de pessoas que lutam para me tirar. Deram R$ 5 milhões adiantados. É economizar, não deixar roubar, sem corrupção.

'Ex-empresário de estimação' 
Optei por não ter empresário de estimação. Disse para trazer bons negócios. Não vou entulhar dinheiro. Fizemos sete contratações, agora o menino da Ponte, Cuca descobriu. Não me arrependo de forma alguma, Santos é outro. Santos de R$ 27 milhões para um único agente acabou. Vendemos o Rodrygo sem um centavo de comissão. Fizemos de clube para clube. Real Madrid se assustou, pode entrevistá-lo, foi puta novidade. Com o Flamengo, ficou bom pedaço para empresários. Não fecho a porta para ninguém, não sou inimigo, não entro em rede par abater. Bato porque perderam a boquinha. Tenho orgulho da educação, trabalhei 36 anos no mercado financeiro, tenho berço e não vou ser venal. Quero conseguir com talento e qualificação.

Futebol é muito próximo do crime. Temos que mudar. Enquanto não tiver dolo, como tem na Europa, não vamos perder de vista que a Juventus, que é um exemplo, caiu porque comprava juízes, era um clube todo perdido, infestado de empresários. Quando bateu o pé, hoje domina o futebol mundial. Está dominando, tem gabarito de tirar o maior jogador do Real Madrid. Quando há dolo, não se submete à chantagem, é bolso no vinagre. Clube não tem dono, é prefeitura, e nem sempre dá para dar emprego para todo mundo. Clube não pode ser o RH da cidade.

Pretende ir à Justiça?
Agora é pensar no dia 29, com nova eleição. Só lamento que o estatuto está sendo golpeado. É eleição de presidente e não tem urnas em São Paulo. Eu estaria brigando se só tivesse urnas em São Paulo. Somos uma cidade só, separados por alguns quilômetros. Santos é de São Paulo, do Brasil e do Mundo. Temos que nos abraçar, dar as mãos. Estou muito feliz com a Vila Belmiro e com o Santos. Terceiro jogo que lotamos. Quando aconteceu? Compraram a briga, #ReageSantos, e estamos preparados para ganhar no domingo. Se ganharmos, será mais um upgrade. É só manter o foco.

Crise e oposição

Eu tinha um assessor de imprensa de comunicação que era do bem. Muito do bem. O Vinicius. Pessoa honrada, digna e que não era de bater de volta. Ficava quieto. Deixa bater... Quando se bate muito, mentira vira verdade. Isso trouxe para o mercado da informação uma ideia de que o cara não sabe o que faz. Que caí de pará-quedas. Isso foi ruim, foi a construção do espeto e não reagimos quando tivemos que reagir. Essa é a minha culpa, peço desculpa para associado e Conselho, deixei criar o bolo. Reagido rebatendo e estocando isso lá atrás, barrando lá atrás. Fui deixando, mas tem tempo, dia 29 está aí. Torcedor do Santos é mais forte que imaginam. Tem muita gente do bem no Conselho. Me lembrou segunda-feira o problema do Independiente e a Conmebol. Fui com cinco advogados, primeira vez que um presidente participou. Assisti quatro horas e meia de debates. As quatro horas e meia, com Daniel Cravo nos acompanhando, concordaram com tudo. Com todos os argumentos. Três, um presidente da Comissão Disciplinar e um da Venezuela e outro do Chile via internet. Saímos falando que vencemos. E perdemos. Disseram sim, tem razão, nanana, e nenhum momento discordaram. E votaram não.

No dia 10, quando houve eleição, estava definido. Gente na porta com tablet pegando uber pra chamar gente em casa. Não há resistência e mesmo assim vencemos apertadíssimo de acordo com o Estatuto. Tem que ter 2/3 dos presentes e não dos votantes. Pressão foi grande, retiraram seis e disseram que não estavam presente. Sumam, varinha mágica. E ficou 242, com cálculo em cima dos 242. É de dar vergonha. E é obrigado a ouvir: "Olha, é que o estatuto é confuso". É só ler. Está lá o artigo que fala que tem que ser sobre os presentes.

Relação futura com Rollo e início da crise

Nunca houve racha oficial. Houve as espetadas. Você conhece outros vices? Me dá um. Ninguém sabe quem é o vice. Quem governa é o presidente. Quem responde a dois impeachments sou eu. Impeachment político contra mim. Vice tem que ficar no lugar dele. Onde colabora. Não prometi cargo para ninguém, me traga uma pessoa. Sou contra. Mas quando termina campanha, estão lá, transição e acaba reconhecendo, trabalhou direito. Ideia é profissionalizar o clube totalmente. Contratação e dispensa quem faz são os executivos. O que eu vou fazer depois do dia 29 estou fazendo agora. Ele perguntou o que faria, dei futebol feminino, esportes olímpicos e segurança. Eu já estou fazendo modificações, vai ter nada e só participar do CG. Ele que vai ditar o futuro dele. A questão toda é veiculou-se de uma proposta. Se o presidente renunciar eu renuncio. Não! Ele que renuncie. Por que tem que esperar eu? Qual a dele? Estou consciente que administrei o clube de forma segura. Qual a opinião do Cuca, Jair... Clube é tratado com seriedade.

Tenho 70 anos. Tenho muitos defeitos, muitos, todos nós temos, a gente vai ficando velho e piora. Ficamos mais rígidos e deitar na cama falando que trabalhei e não fui desonesto. Mas não tenho o da desonestidade. Batem, mas comigo não. O que eles batem é gestão, algo que não foi dolo, negociação. É o cara confundir o que é 100% dos direitos federativos e econômicos. São coisas diferentes. Lucas Lima não foi embora mesmo com os 10. Clube é dono de 100% dos federativos.

O que você acha que o vice vai falar?
 
Cabeça é dele. As insatisfações são dele. Eu não ataquei ele, só falei verdade até agora. Respeito como ser humano. Não sou inimigo de ninguém. E nunca será. Sempre tratei de forma digna. Quando começou isso? Não começou, tratei com dignidade. Gestão está pífia por que? Só fala que está pífia quem administra, pagando conta, tratando de banco, salário, etc. Quem está de fora não pode falar. Eu espero que tenha bom senso porque o clube não pode pagar. Caixa me ligou preocupada, porque conheço. Se não me conhecessem, poderia ser pior. Temos patrocínios fechando que esperam final do mês. O prejuízo que o clube está tendo... será que o povo ama? Tem amor pelo clube? Nenhum. São interesses contrariados. Vamos todos dar a mão, fazer que nem a torcida. Campo cheio, São Paulo cheio. Arrecadar dinheiro, trazer sinergia para o time explodir, subir, buscar Libertadores.

Com trabalho, dedicação, focando resultado. Não vamos entrar nessa falácia. Cara que me julgou torceu contra o time. Isso foi vazado nas redes. O cara que julga bota nas redes dizendo que o time tem que perder. Como é que pode? Nunca torci contra meu time, nem quando estava insatisfeito. Sempre com amor. Fico triste e chateado com pessoas que, pelo poder, fazem isso. Lamento, peço desculpas, mas lamento.

Campanha para os associados
Preparamos uma campanha. Redes sociais falam por si só, apoiam a presidência. Sabem que vim aqui para limpar a casa. Tem dois caminhos para seguir: primeiro é relaxar, deixar roubar, amigo de todos, encher de funcionário, vai ser o melhor da história para os próximos. Outro é ser o mais odiado da história, mais combatido, mas que vai deixar um outro Santos daqui a dois anos. É essa a mensagem que eu passo. Por que dois impeachments políticos e desconexos? Qualquer juiz diz que não pode e que parece peça de filme. Conto com associado do Santos no dia 29 e até o Conselho. Metade votou na gente. Perdemos no critério deles por um voto. Lembrando que tem um nosso que saiu, um conselheiro nosso, na primeira votação. Perdeu, foi embora e faltou. Teríamos vencido o segundo.

É acreditar primeiro em Deus, o que se faz na terra se paga. Nunca fiz algo assim tão feroz, nunca pedi impeachment. Que o associado reflita e que desaprove o ato de conselheiros. Fui eleito pelos sócios e não pelos conselheiros. Pelo contrário. Eles foram eleitos pelo voto do associado. Quem manda no sócio! Não adianta achar que quem manda é o conselheiro. Respeito muito o Conselho, fui seis vezes conselheiro, participei da casa e sei como funciona.

Continuidade no clube com Conselho contrário
Conto com bom senso dos conselheiros. Eles querem a desgraça por interesses próprios. Vão se esconder depois do dia 29. Quero dar a mão ao Conselho, vamos levantar o clube. Santos precisa de união e paz como diz o clube. Com impeachment, não haverá nem união nem paz. Se volto, vão ficar desaprovados e isso é terrível para um órgão ser julgado. Não estou sendo julgado sozinho, eles também. Conselho também. Não sou eu. É claro que existe e ficou deflagrado que é Peres contra Rollo. Rollo contra Peres. Isso foi fomentado lá atrás e deixei crescer. Associado vai escolher: qual é o melhor futuro? Que tenha clareza da situação do clube e saber o que é melhor para o clube. Terminou dia 29, é hora da paz, esquecer política e tocar tecnicamente. Vocês serão importantes para ajudar o clube. Se não tem clube, não tem trabalho para ninguém. Todo mundo com notícias positivas, hoje tem muitas ilações, bonequinho, copo, sei não... Notícias da certeza, ouvindo provas e os lados. Conto de coração para levantar esse clube. Santos é um dos maiores times do mundo. A gente foi pro México e vimos como o clube é respeitado. Fala que é presidente do clube e muda tudo.

Documento engessando poderes do vice

O documento é o seguinte: havia CIS, todas têm que sair da maior parte dos quatro profissionais, jurídico, comunicação, futebol e financeiro. Tem que sair deles, me demandam, transfere, aprovo... O que acontecia é que havia muitas ordens verbais e muitas ordens por CIS, que é irregular. CI tem que ser pelos profissionais. Eu não faço, eu aprovo. Baixamos portaria para o profissionalismo ser executado por quem fomentava isso, passando e-mail, solicitações, passagens, CIS, para evitar tudo isso. Todos os profissionais na minha portaria respondem aos executivos. Eu não faço demanda. Se eu preciso, falo com eles. Não faço CI. Quando preciso de passagem aérea, chamo meu gerente financeiro. Cotação é que não tem que passar por mim, cada área comanda e tem sua alçada. Quem quiser algo vai pedir para a área, o vice também. Não proibi nada. Proíbo é que venha de ordem direta, por CI, não me consta que meu vice é funcionário do clube. Não está na linha de profissionalismo. Nada contra ele ou ninguém.


E MAIS:
Facebook Lance Twitter Lance