Paz, reforços e treinos: Jair suporta pressão e Copa pode ajudar o Santos
menu button lance
lancelogo lancelogo lance

Paz, reforços e treinos: Jair suporta pressão e Copa pode ajudar o Santos

Fluminense x Santos
Paulo Sergio/Agencia F8
Ana Canhedo - 14/06/2018 - 06:00
São Paulo (SP)
Pressionado na reta final do primeiro semestre, o técnico Jair Ventura suportou bem os maus momentos e o time mostrou - pequenos - sinais de evolução nos últimos jogos. Por isso, a tendência é que a pausa de um mês para a disputa da Copa do Mundo ajude a equipe a engrenar na temporada ou ao menos se ajustar. Nela, Jair terá tempo livre para treinar, sossego e menos questionamentos, posto que não terá jogos oficiais e, ao que tudo indica, reforços para trabalhar. 

- Tivemos 12 jogos sem pausa nessa última sequência. O time praticamente não treina. Fiz mudança sem treinar, essa é a verdade... Melhores resultados foram com a semana cheia. Só vejo como benéfica. Muitos desfalques por conta dessa loucura do calendário e pela intensidade que se tornaram os jogos. Importância dessa paralisação é voltar com mais energia. Agora, vem os grandes jogos, os grandes momentos - disse Jair, logo após a vitória diante do Fluminense, no Rio de Janeiro. 

De fato, contra o Tricolor Carioca o treinador tirou o Santos do 4-3-3 para jogar desde o início no 4-4-2, com Bruno Henrique e Gabigol mais avançados e uma linha de quatro com Alison, Diego Pituca, Léo Cittadini e Jean Mota. Durante a entorse no joelho direito de Alison, foi justamente Pituca uma das grandes descobertas do treinador. O volante dono da camisa 21 vem jogando bem e se firmou entre os titulares da equipe. 

A linha de quatro meias e dois atacantes do Peixe contra o Flu:

A mudança tática aconteceu justamente por desfalques e pendências que devem ser resolvidas durante o período de pausa: Arthur Gomes está em fase final de recuperação de uma entorse no tornozelo esquerdo, mesma lesão de Vitor Bueno, que deve estar de volta no próximo mês. O centroavante Yuri Alberto se recupera de dores no ombro direito. Já Eduardo Sasha tem entorse no tornozelo direito e, por fim, Rodrygo, a grande estrela do time, tem seu estafe em ação para tentar concretizar sua venda ao Real Madrid. 

Mesmo que seja vendido, Rodrygo só deixará o Santos em 2019, ano no qual completa a maioridade. Dito isso, concretizar a venda é a melhor maneira de fazer com que o garoto volte a focar todas as suas atenções para o segundo semestre do clube alvinegro. 


Se o presidente José Carlos Peres cumprir com a promessa, o próximo mês será também data na qual o Santos ganhará reforços. Ao menos três: um volante, um meia armador e um centroavante são prioridades. Com novos jogadores, as alternâncias táticas de Jair dentro de um mesmo jogo poderão ganhar fôlego novo. 

Em um primeiro semestre de 35 jogos, com 14 vitórias, 14 derrotas e outros sete empates, o carioca de 39 anos sabe que precisará mostrar mais na reta final da temporada, principalmente porque logo em agosto o Santos já terá o mata-mata da Libertadores para disputar, contra o Independiente, da Argentina. 

O prognóstico, surpreendentemente, é animador. O elenco, a partir desta quinta-feira, para por dez dias e, após as férias se reapresenta pensando na viagem ao México, onde realizará amistosos. O Santos ainda não oficializou as datas dos jogos, mas a tendência é que a delegação viaje no começo de julho.

E MAIS:
Facebook Lance Twitter Lance