Orgulho, sacrifício e alegria da mãe: Veríssimo chega a 100 jogos no Peixe
menu button lance
lancelogo lancelogo lance

Orgulho, sacrifício e alegria da mãe: Veríssimo chega a 100 jogos no Peixe

  •  Pais Lucas Veríssimo
    Veríssimo com os pais (Foto: Instagram/Reprodução)
  •  Lucas Veríssimo
    Lucas Veríssimo (Foto: Ivan Storti/Santos)
  •  Veríssimo dedica gol a esposa e ao filho
    Veríssimo dedica gol a esposa e ao filho (Foto: Instagram/Reprodução)
Ana Canhedo - 13/05/2018 - 07:00
São Paulo (SP)
O jogo deste domingo, às 19h, na Vila Belmiro, contra o Paraná, será especial para Lucas Veríssimo. E não é só pelo Dia das Mães, embora o beque seja a alegrias da vida da mãe, Dona Zilda, e da esposa, Amanda, que em breve será mamãe, já que está grávida de Samuel, o primeiro filho do jogador. Nesta quinta rodada de Campeonato Brasileiro, o zagueiro de 22 anos completa a expressiva marca de 100 jogos com a camisa do Santos. Orgulhoso, lembra, em entrevista ao LANCE!, dos percalços para chegar a 2018 como titular absoluto da equipe. 

- Chegar a 100 jogos é motivo de muito orgulho para mim. Só eu sei tudo o que passei, todo sacrifício que fiz para alcançar esse sonho. Desde a infância até a fratura no pé que escondi do professor Dorival (em 2016) para não perder meu espaço. É uma marca que vou guardar para sempre na minha vida e na minha memória. Sou muito grato ao clube por essa oportunidade - fala o jovem zagueiro. 

E justamente com Dorival, Veríssimo foi de última opção para a zaga à titular absoluto da equipe. Hoje, é dono de uma regularidade que lhe garante o posto de principal zagueiro do time. Em 2018, disputou 18 jogos, fez 20 desarmes e deu 753 passes certos, uma média de quase 42 por jogos, de acordo com números do Footstats. Neste domingo, quer dividir a alegria com a mãe. 

- Coincidência grande completar uma marca tão expressiva como essa justo no Dia das Mães. Vou dividir com ela toda minha alegria e felicidade. Ela, assim como meu pai e toda minha família, são responsáveis por tudo isso que tem acontecido em minha vida. Eu evoluí muito desde que subi para o profissional. Graças a Deus, as coisas estão acontecendo na minha carreira e espero que seja só o começo. Ainda tenho muitos objetivos pela frente - completa. 

No começo da temporada, o zagueiro esteve perto de ser vendido ao Spartak Moscou, da Rússia. A negociação não se concretizou e o jogador seguiu a ser peça importante no elenco comandado pelo técnico Jair Ventura.

Confira outros pontos da entrevista de Lucas Veríssimo: 

Golear o Luverdense (por 5 a 1, pela Copa do Brasil, na Vila Belmiro) serviu para alviar a pressão e o clima tensão após o resultado em Porto Alegre (5 a 1 para o Grêmio, pelo Brasileirão)?

​Claro que foi um resultado que não estávamos esperando, não era o que queríamos e nem o que buscamos. Mas conseguimos recuperar a confiança já no último jogo. Não pensamos no passado, nosso foco é sempre o próximo jogo. Agora estamos pensando apenas no Paraná e em conquistar os três pontos dentro de casa.

Especialmente para os jogadores de defesa, como foram as horas depois e a reação após sofrer cinco gols no Sul?
Como eu falei, não esperávamos por isso. Havia muito tempo que isso não acontecia aqui no Santos. Eu mesmo desde que subi para o profissional nunca passei por uma situação dessas. O grupo já retomou a confiança, todo mundo se cobrou e agora é página virada. Fica de aprendizado para que nunca mais se repita.

Vencer o Paraná, na Vila, é sinônimo de boa fase de volta?
Sem dúvidas. Nós precisamos dessa vitória para nos recuperar na tabela de classificação. Estamos com um jogo a menos, é verdade, mas precisamos ter uma boa margem de gordura até a parada para a Copa do Mundo. Vamos entrar com a concentração máxima nessa partida pra repetir a boa atuação contra o Luverdense e sair com a vitória.

Facebook Lance Twitter Lance