Alvo de protestos, Peres muda contrato polêmico por zagueiro
menu button lance
lancelogo lancelogo lance

Alvo de protestos, Peres muda contrato polêmico por zagueiro

  •  Protesto Santos (VILA)
    Protesto de torcedores contra José Carlos Peres em frente da Vila Belmiro Gabriela Brino
  •  Protesto Santos (VILA)
    Protesto de torcedores contra José Carlos Peres em frente da Vila Belmiro Gabriela Brino
  •  Protesto Santos (VILA)
    Protesto de torcedores contra José Carlos Peres em frente da Vila Belmiro Gabriela Brino
  •  Protesto Santos (VILA)
    Protesto de torcedores contra José Carlos Peres em frente da Vila Belmiro Gabriela Brino
  •  Peres
    Peres é alvo de protestos após negociação polêmica por zagueiro equatoriano (Foto: Pedro Ernesto Guerra Azevedo/Santos)
  •  Peres
    Peres é alvo de protestos após negociação polêmica por zagueiro equatoriano (Foto: Pedro Ernesto Guerra Azevedo/Santos)
  •  Peres
    Peres é alvo de protestos após negociação polêmica por zagueiro equatoriano (Foto: Pedro Ernesto Guerra Azevedo/Santos)
Gabriela Brino - 07/06/2018 - 22:39
Santos (SP)
O presidente do Santos, José Carlos Peres, anunciou em reunião do Conselho Deliberativo do clube que irá reformular os moldes do polêmico contrato feito com o Manta (EQU) pelo zagueiro Jackson Porozo. A ideia é retirar a empresa Hi Talent, que tem Lica como um de seus fundadores, da negociação. Durante o anúncio, do lado de fora da Vila Belmiro, grupos de torcedores protestaram contra o presidente: "Fora Peres" e "Impeachment já!" são alguns dizeres.

De acordo com o mandatário, o departamento jurídico do Peixe está revisando o contrato e o reformulará da seguinte forma: 50% dos direitos econômicos do atleta ficarão com o Peixe e 50% para o Manta, sem que o empresário ou atleta ganhe parte de uma futura venda. 

- Porozo é um atleta que estava no Palmeiras, participou de torneio no RS e foi considerado o melhor. Os procuradores do Manta se sentiram passados para trás pelo Palmeiras, telefonaram para a gente e ofereceram o jogador. Saíram do Palmeiras porque queriam vender 50%. Houve matérias na época que disseram que roubamos jogador do Palmeiras, enfim... Vieram no Santos e ofereceram 50% e fizemos o negócio pelo mesmo valor oferecido ao Palmeiras - 350 mil euros. Foi uma oportunidade de momento e sentimos que tinha que ficar 50% para cada, clube para clube, mas como eu disse para vocês, da prática anteriormente de privilegiar a questão de quem estava trazendo, empresa, parte do jogador - disse.

- Manta passou 30% pro procurador. Ficou 20% pra eles e 30% para o procurador. Santos com 50%. É um pré-contrato, não está em atividade. Contratamos um novo gerente jurídico, ele está revisando e esse mais chamou a atenção. Chamamos a empresa, dissemos que não passa na CBF porque tem que ser clube pra clube. Explicamos para ele, rescindimos a parte dele e estamos chamando para repassar 30% ao Manta. Colocamos a regra que é de clube para clube, sem esse tipo de termo. Podemos perder negócio, na negociação sempre surgem procuradores e etc... Mas nesse caso, estamos resolvendo agora. Pré-contrato não é contrato ainda. Só pode jogar quando tiver 18 anos. Não conheço a empresa. Tiramos fora e convocamos o Manta. Temos um novo gerente jurídico que está vendo esses casos - acrescentou.

O Santos  pagou 350 mil euros (cerca de R$ 1,5 milhões) pelo jovem, com vínculo até o final de 2121. Inicialmente o Alvinegro passaria 20% de uma futura venda ao Manta e 30% do lucro à empresa Hi Talent. 

Durante a reunião, os conselheiros foram calorosos e fizeram vários ataques ao Peres. Os maiores vieram de conselheiros que citaram o contrato acima e  cobraram respeito do cartola ao clube, que se referiu à Vila Belmiro como um 'puxadinho' em entrevistas recentes. 

E MAIS:
Facebook Lance Twitter Lance