30 em 13: entenda por que o técnico Jair Ventura roda elenco do Santos
menu button lance
lancelogo lancelogo lance

30 em 13: entenda por que o técnico Jair Ventura roda elenco do Santos

Jair Ventura
Paizão, Jair Ventura tem dado oportunidades aos garotos para conhecer bem seu elenco (Foto: Ivan Storti/Santos)
Ana Canhedo - 12/03/2018 - 06:00
São Paulo (SP) 
Às vésperas de estrear em casa pela Libertadores e já classificado às quartas de final do Campeonato Paulista, o técnico Jair Ventura optou por um time alternativo na última rodada da fase de grupos do estadual e acabou derrotado pelo São Bento, na Vila Belmiro - chegando a três derrotas e um empate nos últimos quatro jogos. Mesmo assim, usou sua coletiva de imprensa após o confronto para sustentar a decisão e foi claríssimo na linha de raciocínio: quis conhecer seu elenco antes dos duelos importantes. 

E a preocupação do carioca tem razão de ser. Jair Ventura tem em mãos um elenco cuja a média de idade é baixa. Alguns de seus principais garotos nem sequer completaram a maioridade, como é o caso de Rodrygo e Yuri Alberto, ambos com 16 anos. É preciso conhecer a capacidade e testar o poder de reação de cada um deles antes os mais diversos problemas. É preciso saber com quem contar.

Dos 34 atletas à disposição no elenco, apenas cinco não foram usados no estadual: os meias Lucas Lourenço e Yuri, além dos zagueiros Cleber e Matheus Guedes, do goleiro João Paulo e do lateral Emerson, de 16 anos - o ala Romário, emprestado ao Ceará, participou de dois jogos do Santos no Paulistão, bem como o volante Matheus Jesus, que também saiu. A preocupação natural do treinador tem ainda mais sentido se levado em conta a falta de dinheiro em caixa do Santos. A tendência é que a diretoria feche o elenco para 2018 com apenas mais um jogador - um meio-campista. 

- Todo o treinador do mundo quer jogador, mas temos uma avaliação financeira que tem que ser respeitada. Estávamos classificados (às quartas) com duas rodadas de antecedência. Por isso, tive a oportunidade de testar 30 atletas. A derrota é ruim, mas o Santos teve o luxo de entrar com um time alternativo para saber com quem podemos contar nos próximos jogos - ponderou Jair, e foi além: 

- Abdiquei dos resultados para conhecer o grupo. Treino é treino, jogo é jogo. Não sou o tipo de treinador que sai quebrando tudo. Se estamos só ganhando eu não vou tratar vocês diferentes por estar sempre vencendo. E é isso que passo para a minha equipe. Os resultados não vão interferir na nossa atuação quinta. É continuar trabalhando. 

Satisfeito com os testes que promoveu entre seu grupo, o comandante agora quer colher os resultados justamente na quinta-feira, quando tem confronto importante pela fase de grupos da Libertadores, contra o Nacional-URU. 

- São 30 jogadores usados em 13 jogos (além das 12 rodadas do Paulistão, a estreia na Libertadores, contra o Real Garcilaso-PER). Chegamos em um momento bem decisivo conhecendo bem o elenco, 30 jogadores tiveram oportunidade. 

E MAIS:
Facebook Lance Twitter Lance