Três dos quatro vices do Palmeiras fazem nota de repúdio contra Leila
menu button lance
lancelogo lancelogo lance

Três dos quatro vices do Palmeiras fazem nota de repúdio contra Leila

Jesse e Genaro devem continuar como vices
Genaro Marino (à direita) assinou nota de repúdio às declarações de Leila Pereira (Foto: Divulgação)
LANCE! - 26/07/2018 - 19:40
São Paulo (SP)
Rompidos com o presidente Maurício Galiotte, três dos quatro vice-presidentes do Palmeiras publicaram uma nota de repúdio contra Leila Pereira. Eles contestam a entrevista da conselheira e patrocinadora ao UOL, na qual diz que não renovará o patrocínio de Crefisa e FAM em dezembro se o atual mandatário não for reeleito.

Genaro Marino, Victor Fruges e José Carlos Tomaselli são os primeiro, terceiro e quarto vices da atual gestão, respectivamente, mas estão rachados com Galiotte. Eles não participam das tomadas de decisão da atual diretoria e devem, inclusive, montar a chapa de oposição para a eleição presidencial no fim de ano, com Genaro como o adversário de Maurício.

A ala dos agora oposicionistas, ligados a Paulo Nobre, questiona desde o início a entrada de Leila Pereira ao Conselho Deliberativo. Agora, também criticam o trabalho da conselheira para aumentar o mandato no clube de dois para três anos, o que dará condição para que ela concorra à presidência em 2022.



No fim da nota, os vices cobram Maurício:

"O senhor ficará de braços cruzados e boca fechada ou vai, pela primeira vez em seu mandato, defender o nosso amado clube para confrontar a “conselheira”(?) Leila Medjalani Pereira? O senhor vai deixar o clube ser chantageado publicamente mais uma vez pelo “parceiro”? Até quando uma “conselheira” (?) será a porta-voz da sua gestão?", diz o texto.

Veja a nota completa abaixo:

"Por entender que ninguém pode se considerar acima da Sociedade Esportiva Palmeiras, vimos a público manifestar nosso repúdio às declarações da “conselheira” (?) Leila Mejdalani Pereira ao UOL, nesta quinta, 26.

Ninguém que é VERDADEIRAMENTE torcedor da S.E.P. pode aceitar que nosso clube seja, mais uma vez, coagido. Sobretudo colocado sob o revólver do poder econômico por conta de interesses e gostos particulares ou vaidades pessoais.

Chantagear o que alega ser seu time de coração afirmando que só manteria sua “ajuda financeira” caso seus amigos continuem na gestão não é atitude de um palmeirense genuíno. Nosso alviverde é maior do que preferências individuais, amigos ou inimigos.

A Crefisa e a FAM patrocinam a S.E.P. por conta do que representamos, pela força da nossa camisa e pelo tamanho da nossa torcida, não é, cara “conselheira”(?) ?

Não somos hipócritas ou insanos para dizer que essa relação comercial é ruim para o clube. Porque não é. Queremos, inclusive, que ela continue por muitos e muitos anos, apesar de a senhora insistir em dizer que paga um valor acima do mercado, o que também repudiamos.

O Palmeiras não é seu e é grande há mais de cem anos, senhora Leila, INDEPENDENTEMENTE de quem seja o presidente ou o patrocinador.

Não damos o direito a nenhum parceiro, por maior que seja o tamanho do investimento, de achar que isso compra nosso clube. Pode comprar outros, nunca o Palmeiras. A senhora não vai nos ameaçar ou achar que somos seus reféns.

Não entendemos em que momento casuísmo e modernidade passaram a ser sinônimos na língua portuguesa. Mandato de três anos pode não ser um avanço.

Usa-lo como subterfúgio para interesses próprios é um crime contra a S.E.P. O que explica essa ostensiva campanha para que essa mudança se aplique já na próxima gestão, cara “conselheira”(?) ? Por que não faz o mesmo esforço para que sejam alteradas as regras para conselheiros (de fato e de direito) vitalícios? Lutar pelo aumento IMEDIATO do mandato de três anos, sendo que isso lhe possibilitaria ser candidata já no pleito seguinte, é apenas coincidência?

Se não for, lançamos um desafio à “conselheira”(?) Leila Medjalani Pereira: prometa e registre em cartório que não usará essa mudança em benefício próprio e que não será candidata à presidência em 2022. Seja clara com o torcedor e com os sócios do clube e escolha um lado: defenderá os interesses da SEP, sua OBRIGAÇÃO como conselheira, ou os da sua empresa?

A senhora não aceitará os desafios. A senhora nem se importa com o cristalino e absurdo conflito de interesse que é ser “conselheira” (?) e patrocinadora ao mesmo tempo. Conflito que se ampliaria exponencialmente caso a senhora se tornasse presidente.

Mas não a culpamos por isso. Afinal, nem seus amigos presidentes dos poderes executivo e deliberativo vêem problema. Aliás, como “conselheira eleita”(?), a senhora ajudaria na busca de novos patrocinadores caso tire a Crefisa e a FAM do clube? Que medo a senhora tem de ter alguém isento na cadeira de presidente do Palmeiras?

Como vice-presidentes legítimos, eleitos e com comprovado tempo de sócio e de conselheiro, não ficaremos de braços cruzados enquanto a senhora tenta comprar o Palmeiras.

Exmo. presidente Maurício Precivalle Galiotte: o senhor ficará de braços cruzados e boca fechada ou vai, pela primeira vez em seu mandato, defender o nosso amado clube para confrontar a “conselheira”(?) Leila Medjalani Pereira? O senhor vai deixar o clube ser chantageado publicamente mais uma vez pelo “parceiro”? Até quando uma “conselheira” (?) será a porta-voz da sua gestão? Independentemente de seus interesses políticos, temos que olhar única e exclusivamente para o bem da S.E.P., não para projetos pessoais.

Nem a sede de poder da senhora Leila nem a sua omissão, caro presidente, podem tirar do nosso apaixonado torcedor, o posto de ÚNICO, LEGÍTIMO e VERDADEIRO dono da Sociedade Esportiva Palmeiras.

Genaro Marino Neto
1º Vice-Presidente

Victor Fruges
3º Vice-Presidente

José Carlos Tomaselli
4º Vice-Presidente"



Facebook Lance Twitter Lance