Palmeiras joga mal, mas mantém Fla a 'duas rodadas' de distância
menu button lance
lancelogo lancelogo lance

Palmeiras joga mal, mas mantém Fla a 'duas rodadas' de distância

Palmeiras x Atlético-MG
Dudu comemora o gol de empate do Palmeiras, no fim do jogo (Foto: EDUARDO CARMIM/PHOTO PREMIUM)
Thiago Ferri - 06/10/2019 - 18:22
São Paulo (SP)
O Palmeiras fez diante de 32 mil torcedores uma de suas piores atuações sob o comando de Mano Menezes, mas conseguiu salvar o empate com o Atlético-MG que manteve o time a "duas rodadas" de distância para o líder Flamengo. Agora os comandados de Jorge Jesus têm cinco pontos de frente, mas caso o Verdão fosse derrotado (e correu sério risco disso), a distância seria de três jogos pelos critérios de desempate.

As contas eu explico em breve, mas o sinal de alerta precisa ser ligado pela atuação fraca no Allianz Parque. Nesta transição entre um estilo de jogo vertical e a ideia de propor mais, Mano Menezes, suspenso, assistiu a sua equipe sofrer diante da linha de cinco defensores do Galo. Sem a bola, os visitantes ainda contavam com os quatro meio-campistas bem próximos, encaixotando a entrada de sua área.

Para fazer funcionar este estilo com maior posse, é vital a agilidade na movimentação e troca de passes. Não foi o que se viu neste domingo. É fato que o time ainda não está totalmente adaptado à ideia da atual comissão técnica, mas a morosidade com a bola no pé foi um grande problema. Tanto que no primeiro tempo não acertou nenhuma bola no gol de Cleiton, apesar dos 60% de posse de bola.



E MAIS:
O Galo passou a conseguir chegar com perigo na meta de Weverton, mesmo que passasse a maior parte do tempo só tirando espaços e se defendendo. O goleiro palmeirense já tinha feito duas boas defesas antes de Nathan abrir o placar, em uma bela jogada finalizada com um tiro cruzado.

Sidnei Lobo tentou dar mais presença de área no segundo tempo ao tirar Lucas Lima, novidade na escalação, para a entrada de Deyverson. Depois de dez minutos com ele e Borja juntos e pouco volume, tirou o colombiano e lançou Gustavo Scarpa. No fim, Raphael Veiga ainda substituiria Felipe Melo.

O abafa alviverde só teve resultado graças à qualidade de dois dos atletas mais técnicos do elenco: Scarpa e Dudu fizeram a trama que encerrou com o chute sem ângulo do camisa 7 para empatar aos 37 minutos do segundo tempo. Até os 52, quando Rafael Traci apitou pela última vez, o Palmeiras, enfim, martelou e criou chances. Mas Cleiton defendeu a melhor, de Vitor Hugo, aos 42.

Aprender a se desvencilhar de times retrancados será algo a se acompanhar no restante do ano para o Palmeiras de Mano Menezes, caso o técnico mantenha a ideia de jogar com a bola no pé. Na classificação, a situação agora é a seguinte:

1º - Flamengo: 52 pontos e 16 vitórias em 23 jogos
2º - Palmeiras: 47 pontos e 13 vitórias em 23 jogos
3º - Santos: 44 pontos e 13 vitórias em 23 jogos

Mesmo se tivesse vencido, o Palmeiras estaria a três pontos do Flamengo, mas precisaria de duas rodadas para passar, pois se empatasse na pontuação, teria uma vitória a menos. Teria que, portanto, ganhar duas vezes e torcer para que o Rubro-Negro fizesse, no máximo, dois pontos nesta sequência.

Agora, continua dependendo de duas vitórias, mas precisa que o líder seja derrotado duas vezes. Os dois times ainda vão se enfrentar, e com mando do Palmeiras. Para continuar a caçar a equipe que vive o melhor momento na competição, será preciso melhorar o desempenho.

Facebook Lance Twitter Lance