Filipe Toledo faz maior marca do ano e se classifica no Mundial
menu button lance
lancelogo lancelogo lance

Filipe Toledo faz maior marca do ano e se classifica no Mundial

Filipe Toledo (SP)
@WSL / Tony Heff
LANCE! - 14/03/2018 - 13:01
Snapper Rocks (Austrália)
Três brasileiros se classificaram para as quartas de final do Quiksilver Pro Gold Coast e vão disputar o último dia da etapa de abertura do Circuito Mundial Masculino de Surfe. Filipe Toledo tirou 9,67, maior marca do ano. Os estreantes, Thomas Hermes e Michel Rodrigues também se classificaram. Michael, inclusive, ganhou a vaga do campeão mundial, Adriano Souza. A bateria foi vencida pelo taitiano Michel Bourez, com os três quase empatados na casa dos 13 pontos.

Filipe Toledo vai disputar a segunda vaga para as semifinais com Thomas Hermes e quem passar enfrenta o vencedor do confronto entre os australianos, Adrian Buchan e Owen Wright, atual campeão da competição. Michel Rodrigues enfrenta o também australiano, Julian Wilson, número 3 do ranking mundial no ano passado.

Vencedor da competição em 2015, Filipe Toledo começou sua trajetória vencendo Ítalo Ferreira, por 14,60 contra 13,70 pontos de Ítalo. Filipe teve a nota 7,93 enquanto Ítalo obteve dos juízes, 7,93. A melhor exibição de Filipe Toledo ainda estava por vir.

Contra os australiano Adrian Buchan e Mikey Wright, surfou a melhor onda do ano, efetuando manobras modernas e progressivas, finalizando com a inovadora “Club Sandwich”, que poucos conseguem fazer. O brasileiro venceu a bateria com 15,70 pontos, enquanto Adrian e Mikey obtiveram 14,60 e 11,20 pontos, respectivamente.

- Eu tinha força e velocidade naquela onda 9,67 que finalizei com o Club Sandwich. Eu já tinha tentado essa manobra outras vezes e queria ser mais criativo, mas nunca tinha acertado tanto como hoje (quarta-feira). Tomei a iniciativa de ir em várias ondas e acho que realmente valeu a pena – disse Toledo

Filipe Toledo foi o segundo brasileiro a passar para as quartas de final na quarta-feira. O baixinho catarinense Tomas Hermes foi o primeiro, encerrando a carreira do tricampeão mundial Mick Fanning competindo na Gold Coast. Owen Wright liquidou a bateria logo em suas duas primeiras ondas e também se classificou.

O cearense Michael Rodrigues, que mora em Florianópolis (SC), se classificou em duas baterias emocionantes, decididas nas ondas surfadas no último minuto. Ele colocou nas cordas o número 4 do mundo no ano passado, Jordy Smith, recebendo a nota 8,5 dos juízes, a maior do dia até ali, por suas manobras. Seu adversário, o sul-africano Jordy Smith, apesar de boa exibição, obteve a nota 8,17 e foi eliminado.

- Eu não sei nem descrever o que estou sentindo, é maravilhoso e estou muito feliz. O Jordy (Smith) é um dos meus surfistas favoritos no mundo, eu adoro ele e eu só tentei fazer o meu melhor. Foi incrível surfar contra ele numa bateria, vence-lo então é inacreditável- disse Michael Rodrigues.

Dos quatro brasileiros que disputaram classificação para as quartas de final, três passaram suas baterias. Apenas Adriano de Souza não conseguiu e começa a temporada em nono lugar no Jeep Leaderboard da World Surf League. Outros três perderam na terceira fase e ficaram em 13º lugar.

A derrota mais surpreendente foi a do campeão mundial Gabriel Medina, para o mesmo Mikey Wright que havia eliminado o bicampeão John John Florence na repescagem. O australiano foi novamente preciso para escolher as melhores ondas e começou na frente com nota 7,67 na primeira que surfou.

Realizando os melhores campeonatos do mundo desde 1976, a World Surf League (WSL) tem como objetivo celebrar o melhor surfe do mundo nas melhores ondas do mundo, através das melhores plataformas de audiência. A Liga Mundial de Surf, com sede em Santa Mônica, na Califórnia, atua em todo o globo terrestre, com escritórios regionais na Austrália, África, América do Norte, América do Sul, Havaí, Europa e Japão.


Facebook Lance Twitter Lance